Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Não viva ao contrário!

Não viva ao contrário!

Categoria: Saúde
Visitas: 30
Não viva ao contrário!

Muitos são os parâmetros que cabem no tema da saúde e que, frequentemente, são menosprezados enquanto premissas para uma salutar vivência. Por exemplo, a insanidade mental é algo que afecta um crescente número de pessoas, pelas mais variadas razões, quer genéticas, quer circunstanciais, quer ambientais, mas a tendência é de subvalorizar e ignorar um sofrimento que, a ser reconhecido, não diz respeito apenas ao próprio e exige uma tomada de posição e um encetar de procedimentos que dão trabalho e apelam a responsabilidades. A recusa de uma realidade pode afigurar-se, num primeiro momento, como o caminho mais fácil; a questão é que os problemas não ficam em stand by à espera que se adquira coragem para os enfrentar. Em muitos casos são progressivos, e, perante a ignomínia de familiares e até de profissionais não especializados, apresentam desfechos que se poderiam evitar ou, no mínimo, amaciar.

A visão é outro dos elementos descurados. É sabido que as listas de espera para consultas e cirurgias urgentes dão para desesperar, e que a maioria dos indivíduos que delas dependem são reformados ou pensionistas cujos rendimentos não chegam sequer para os remédios diários… E entretanto, a diminuição da qualidade de vida engrossa a lista das tristezas de quem devia ver os seus cabelos brancos um pouco mais respeitados. Se a mentira compulsiva e as promessas sem fundamento, e, mais grave, sem cumprimento, fossem doença, não haveria politico que se aguentasse para lá da campanha eleitoral! Onde é que já se viu chegar-se ao cúmulo de uma lente de contacto custar os olhos da cara?! Alguém podia encomendar um rastreio geral à classe política…

Os dentes, que alguns teimam em mostrar, embora, por vezes, escondendo um sorriso amarelo, são, amiúde, cartão de visita de uma boca povoada de cáries, tártaro, placa bacteriana e buracos tão profundos que podem ser confundidos com escavações arqueológicas! Dado que os dentistas, não levando «couro e cabelo», levam dentes e dinheiro, MUITO dinheiro, a optar por não fazer um contrato testamentário, numa espécie de pagamento póstumo da obra realizada em tempo real, não resta senão deixar que o “marfim” estragado caia de podre. Esta podridão, porém, é passível de acarretar complicações sérias, entre as quais figuram ataques cardíacos. Pois é, o coração não sofre modificações somente após sentimentos transmitidos ao cérebro: também não se compadece com infecções prolongadas e recorrentes…

Para preservar o bom funcionamento deste órgão vital, afastando dele doenças susceptíveis de intervenção por parte de algum “faquir cirúrgico”, é aconselhável alimentar-se correctamente, eliminar ou reduzir o stress, ter algum tipo de actividade física e dormir bem. Há muita gente que dorme ao contrário, ou seja, tem insónias. Não queira viver ao contrário…

Maria Bijóias

Título: Não viva ao contrário!

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 30

619 

Comentários - Não viva ao contrário!

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Superstições Náuticas

Ler próximo texto...

Tema: Barcos
Superstições Náuticas\"Rua
Todos temos as nossas manias e superstições. Não que se trate de comportamentos compulsivos, mas a realidade é que mesmo para quem diz que não liga nenhuma a estas coisas, as superstições acompanham-nos.

Passar por baixo de uma escada, deixar a tesoura, uma porta de um armário ou uma gaveta aberta ou até deixar os sapatos em posição oposta ao correcto, são das superstições mais comuns. As Sextas-feiras 13 também criam alguma confusão a muita gente, mas muitos são os que já festejam e brincam com a data.

Somos assim mesmo, supersticiosos, uns mais do que outros, mas é uma essência que carregamos, mesmo que de forma inconsciente.

Existem no entanto profissões que carregam mitos mais assustadores do que outros, e por exemplos muitos actores não entram em palco sem mandar um “miminho” uns aos outros.

Caso de superstição de marinheiro é dos mais sérios e se julga que se trata só de casos vistos em filmes de piratas, desengane-se. Os marinheiros dos dias de hoje carregam superstições tão carregadas de emoção quanto os de outros tempos.

Umas mais caricatas do que outras, as superstições contam histórias e truques. Por exemplo, contra tempestades, muitos marinheiros colam uma moeda no mastro dos navios.

Tal como fazem os actores, desejar boa sorte a um marinheiro antes de embarcar, também não é boa ideia. Os miminhos dados antes de entrar em palco também servem para o efeito.

Dar um novo nome a um barco é uma péssima ideia para um marinheiro. Dizem que muitos há que não navegam em barcos rebaptizados.

Lembra-se que os piratas de outros tempos utilizavam brincos? Pois isto faz parte de uma superstição. Dizem que os brincos evitam que se afoguem.

Entrar com um pé direito na embarcação é sinal de bons ventos. Tal como acontece com muitos de nós, os marinheiros também não gostam de entrar de pé esquerdo.

Já desde remotos tempos se dia que assobiar traz tempestades. Ora aqui está um mote dos marinheiros, pelo que se assobiar numa embarcação, arrisca-se a ter chatices com o marinheiro.

Verdades ou mentiras, as superstições existem e se manter os seus próprios mitos acalma um marinheiro, então que assim seja. Venham as superstições náuticas que cá estamos para as ouvir.

Já agora uma curiosidade ainda maior. Dizem que se tocar a gola de um marinheiro passará a ter sorte. Será verdade ou foi um marinheiro que inventou?

Pesquisar mais textos:

Carla Horta

Título:Superstições Náuticas

Autor:Carla Horta(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    17-06-2014 às 06:39:27

    Não acredito em superstições de forma alguma.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios