Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Barcos
  1. Escrito por: Teresa Maria Batista Gil
    Categoria: Barcos

    Tal como é necessário ter carta de condução para conduzir veículos e motociclos também a navegação exige carta de acordo a idade e tipo de embarcação. Os desportos náuticos são muito apreciados por muitos mas exigem grande precaução e formação em escolas náuticas. Antes de navegar tem de se ter a formação adequada e a carta que se divide em várias categorias. Mesmo que seja para desportos ou viagens de lazer é necessário este requisito bem como outros documentos sempre actualizados. Em primeiro lugar tem de se tirar a carta de principiante que pode ser adquirida antes dos catorze anos, ou seja dos oito aos catorze...
    ler mais...
  2. Escrito por: Rosana Fernandes
    Categoria: Barcos

    O Dingue é o primeiro veleiro com definidas regras a ser construído no Brasil. O objetivo deste veleiro é ser de fácil construção e navegação. Ele foi projetado para participar tanto de passeios familiares como de competições e regatas. Ele foi idealizado por Miguel Pomar, um engenheiro naval brasileiro, em 1978. A intenção inicial de Miguel era constuir um barco em que pudesse levar sua família a passeios náuticos e ainda poder deslocar este barco facilmente, tendo um tamanho prático para facilitar essa locomoção. Diante desse contexto surgiu o veleiro Dingue, conquistando muitos adeptos, tanto iniciantes na arte de velejar...
    ler mais...
  3. Escrito por: Carla Horta
    Categoria: Barcos

    Quem nunca se apaixonou pela cena de um filme, em que o casal apaixonado parte num barco em direção ao horizonte e são felizes para sempre? Pois bem, não se iluda! Nem sempre existem finais felizes e os enjoos aparecem quando menos se espera. Mas afinal porque enjoamos quando andamos de barco? A resposta é bastante lógica depois de explicada! O nosso ouvido interno orienta-nos para o ambiente e espaço onde estamos inseridos através do equilíbrio. Em suma, se nos encontramos sobre um piso onde as oscilações são constantes, muito dificilmente consegue manter equilibrio fisiológico. Esta sensação de vertigem traduz-se...
    ler mais...
  4. Escrito por: Teresa Maria Batista Gil
    Categoria: Barcos

    Navegar pode ser um prazer indiscutível, mas deve ter-se muito cuidado e seguir as regras para navegar em segurança. Estas são fundamentais para evitar acidentes ou outros problemas relacionados com distracção e falta de segurança. Assim quando vai navegar de barco convém em primeiro lugar informar-se sobre as condições climáticas locais, antes da partida (deve ver televisão e ouvir rádio para obter uma informação segura do clima). No caso de haver nuvens escuras, rápidas mudanças dos ventos, súbita queda de temperatura, o melhor é não navegar ou se for surpreendido em viagem deve voltar ao porto para segurança. A...
    ler mais...
  5. Escrito por: Carla Horta
    Categoria: Barcos

    É certo que todos nós temos um certo fascinio pela mar. Ver o por do sol numa embarcação, quer com os amigos, quer com a cara metade. O romantismo ou a folia podem ser partilhados dentro de um barco, e se não enjoar, vai com toda a certeza usufruir de muitos bons momentos. No entanto, na hora de decidir qual o barco que deve comprar, existe sempre alguma hesitação. Primeiro que tudo pensar qual é o destino que queremos dar ao barco, ou no minimo, os destinos que queremos percorrer. Se a ideia é dar pequenos passeios com a pequena familia, a opção passará por um barco mais pequeno, mas se pelo contrario, a intenção passa...
    ler mais...
  6. Escrito por: Maria Bijóias
    Categoria: Barcos

    O barco, para além de um instrumento de trabalho para pescadores, elementos da Marinha e outros que, de uma maneira ou de outra fazem do mar o seu ganha-pão, constitui um meio de transporte bastante escolhido por quem pretende passeios calmos, descontraídos, diferentes. Efectivamente, o turismo náutico tem apresentado um apreciável desenvolvimento. Os barcos à vela facultam um contacto mais intimista com a Natureza. Trata-se de uma relação mútua de rendição e deslumbramento, em que se faz a descoberta, em plenitude, de tudo o que o mar e o vento têm para oferecer. Há já empresas que alugam veleiros, com ou sem tripulação,...
    ler mais...
  7. Escrito por: Sílvia Baptista
    Categoria: Barcos

    Para quem ama o mar, é fabuloso asistir ao por do sol, traz uma sensação de paz e calmaria mas para outros, admirar o mar é apenas uma parte, estar nele, dentro de um barco é muito melhor. Em se tratando de barcos, há vários modelos e funcionalidades específicas e aplicavéis a cada modelo. Para quem prefere optar por lanchas, tem as lanchas focker que chegam a ter até vinte e cinco pés, são lanchas projetadas com ótimo desing, que oferecem conforto, beleza, ação dinâmica e bom desenpenho. Entre os modelos que podem ser escolhidos estão a lancha Focker Ventura 255, lancha Focker 240, lancha Focker 190, lancha Focker 215,...
    ler mais...
  8. Escrito por: Sílvia Baptista
    Categoria: Barcos

    Imagine, receber um convite romântico para desfrutar de um belo cruzeiro em boa companhia, resgatar e apimentar a relação que estava sinalizando desgaste, ou quem sabe; aproveitar as férias com os amigos, tirar do papel e realizar uma viagem maravilhosa com pessoas de alto astral, passar dias no mar com tudo, fazendo ginástica para tirar as teias da preguiça, ampliar as amizades, dançar em pleno alto mar...Parece bom, não é? Para muitos, nem sempre. Agora, imagine tudo que foi citado de agradável e ao zarpar, comece a sentir a cabeça girando, a sensação de que tudo está enjoando, querer fazer tantas coisas e o enjôo se...
    ler mais...
  9. Escrito por: Carla Horta
    Categoria: Barcos

    Navegar é sempre uma aventura. Se o dia estiver soalheiro e o vento correr de feição, um passeio de barco vai ser perfeito e vai ter um dia extraordinário com toda a certeza. Andar de barco é sempre um programa perfeito, mas tal só acontece se quem levar o barco for alguém responsável e profissional. Navegar não é pêra doce e só mesmo para quem quer e sabe. Para quem comanda um barco, sabe os princípios básicos e importantes para levar todos os tripulantes a bom porto. A responsabilidade de ter a seu cargo um barco que transporta vários passageiros é algo extraordinário e que pode dar que pensar. Mas não só os...
    ler mais...
  10. Escrito por: Teresa Maria Batista Gil
    Categoria: Barcos

    Os desportos são inúmeros e todos eles muito gratificantes para a saúde do corpo e da mente. Cada vez mais são praticados por homens e jovens de todo o mundo. As zonas costeiras são bastante frequentadas em qualquer época do ano em especial pelos apreciadores de desportos aquáticos. Cada vez são mais procurados devido às facilidades de se poder participar em viagens recreativas e de competição. Para os que não podem comprar embarcações a motor as zonas costeiras oferecem a possibilidade de alugar todo o tipo de embarcação. Alêm disso promovem esportes em colaboração com as autoridades locais e municipais. Não só...
    ler mais...
  11. Escrito por: Hediene
    Categoria: Barcos

    Barcos são elaborados com ferramentas da geometria, respeitando as leis da física. Podem flutuar e locomover em superfícies aquáticas, servindo de transporte para pessoas ou materiais. Além da diversidade de matéria-prima e dos processos na construção, as embarcações mudam de forma e utilidade, dependentes do desenho e do recurso de propulsão. As Balsas possuem fundo achatado, navegam no raso e transportam veículos. Ao redor do mundo, são denominadas: cacilheiros, em Lisboa; jangadas, no nordeste do Brasil, onde servem para a pesca em alto-mar; e batelão, na região de Moçambique. Ferry boat é sua designação mundial...
    ler mais...
  12. Escrito por: Hediene
    Categoria: Barcos

    Bons barcos devem atender aos requisitos básicos de qualidade, durabilidade e segurança, e podem ser feitos de materiais diversificados e por distintos métodos de fabricação. O processo Ply-Glass cria produto insuperável, rígido, com pouco peso e isolamento térmico adequado. Embora talhados em corte longitudinal e cascos poligonais, desenhos apropriados e construção caprichada, permitem que estes barcos sejam bastante atraentes. O revestimento de resina de vidro, sobre a madeira compensada, reduz a vulnerabilidade, e o difícil lixamento externo evita a deterioração da madeira. Mesmo usadas intensivamente, estas embarcações...
    ler mais...
  13. Escrito por: Maria Bijóias
    Categoria: Barcos

    Um barco não é propriamente um bem muito barato. Assim que, para além de saber para que se quer a embarcação (lazer, regata, cruzeiro) e com que características (cabine aberta ou proa, vela ou a motor, nova ou usada), é preciso ter em atenção diversos fatores aquando da sua aquisição. Se a pretensão for no sentido de comprar um barco novo, visitar exposições ou efetuar a transação no final do verão (que corresponde ao fim de época da moda) são alturas ideais para conseguir um bom negócio. Se, por outro lado, interessar mais uma embarcação usada, podem consultar-se, por exemplo, anúncios on-line ou recorrer a...
    ler mais...
  14. Escrito por: Maria Bijóias
    Categoria: Barcos

    A água exerceu, desde sempre, fascínio sobre o Homem. Ou não fosse o globo terrestre maioritariamente constituído por ela. Aliás, a sua primeira grande aventura constou, exactamente, de se fazer ao mar. Para tal, revelava-se indispensável a concepção de um engenho que permitisse rasgar as águas de lagos, rios e mares. Neste contexto, as velas surgiram como um meio válido para aproveitar a energia do vento. Não obstante, nem sempre a intensidade e direcção deste se mostram favoráveis ao impulsionamento das embarcações. Assim sendo, foram-se desenvolvendo técnicas para tornar possível velejar com apenas um mínimo de...
    ler mais...
  15. Escrito por: Maria Bijóias
    Categoria: Barcos

    Viagem turbulenta. As ondas sacodem o barco de uma tal maneira que o estômago parece querer sair pela boca. As ânsias afiguram-se idênticas às de uma mulher que está para dar à luz. O passageiro arfa de forma contínua e aflitiva. Aproxima-se o barqueiro e pergunta ao passageiro: «O cavalheiro está com falta de ar?» O homem, que mal consegue articular palavra, responde quase imperceptivelmente: «Não, meu senhor. Estou é com falta de terra…!» Isto é o que acontece a muito boa gente, mal a embarcação, seja ela de que tipo for, larga do porto de embarque. Efectivamente, é nestas alturas que muitos têm a clara noção de...
    ler mais...
  16. Escrito por: Rua Direita
    Categoria: Barcos

    A utilização dos barcos como meio de transporte, remete-nos para 5000 anos atrás, na civilização ocidental, com a invenção do barco à vela. Recorrendo à força do vento, ficou possível deslocar pessoas e mercadorias por distâncias cada vez maiores. As embarcações foram-se desenvolvendo, assim como a habilidade do marinheiro em reconhecer as direcções do vento para a realização da travessia desejada. Com isto nasceu a Rosa dos Ventos. A época dos descobrimentos deu-se com o recurso aos barcos e a navegação era feita pela observação das estrelas. Só que ainda não se podia velejar contra o vento, mas a descoberta...
    ler mais...
  17. Escrito por: Rua Direita
    Categoria: Barcos

    Partilhar com os seus filhos longos passeios de barco pode ser uma experiência muito agradável, contudo nem sempre é fácil gerir um grupo de crianças em alto mar. Deixamos-lhe então algumas sugestões de actividades a que pode recorrer para entreter os mais pequenos. • Ajude-os a criar um diário de bordo. Os mais velhos podem recolher dados sobre a distância e o clima, bem como tirar algumas fotografias para colar no diário; enquanto que os mais novos podem fazer anotações não só sobre os sinais e sons perceptíveis ao longo da viagem, como também sobre os peixes que pescaram e as refeições que tomaram. Além de manter...
    ler mais...
  18. Escrito por: Rua Direita
    Categoria: Barcos

    A pesca é uma actividade recreativa bastante popular e os barcos de pesca são um instrumento vital para facilmente atingir o local de pesca que se procura, permitindo-lhe mais opções na hora de escolher o local. Existe grande variedade no mercado de barcos de pesca, desde canoas a poderosas embarcações com cabine ou iates; claro que dependendo do tipo de pesca que pratica, os preços variam – barcos para todo o tipo de pesca, canoas, lanchas, de alumínio, fibra ou madeira, com ou sem deck, com ou sem cabine, enfim, só para enunciar alguns tipos entre o vasto leque de escolha. Cada barco tem características próprias indicadas...
    ler mais...
  19. Escrito por: Rua Direita
    Categoria: Barcos

    Com que então anda à procura de um barco que se ajuste ao seu orçamento? Ora bem, é ir para a bicha, porque independentemente do estado actual de economia, há uma enorme procura de para barcos neste momento. Não vai há muito tempo que um proprietário de um barco estava associado a uma imagem de riqueza que muitos de nós, infelizmente, nunca alcançariam. Enfim para mim, o barco estava imediatamente a seguir à minha casa e ao meu carro como o meu bem mais valioso e como muitos de nós, era simplesmente um bem à qual não me poderia dar ao luxo, pois sabe se lá bem como se consegue manter a casa e o carro neste cenário...
    ler mais...
  20. Escrito por: André Belacorça
    Categoria: Barcos

    Falemos de um barco muito conhecido, muito histórico e que tende a evoluir com o passar das décadas, o barco à vela. Ele “diz a história” apareceu no Mar Mediterrâneo, usado pelos gregos e depois pelos romanos, com velas ainda nada desenvolvidas, aproveitavam os ventos com esta nova forma de barco para poderem aproveitar a sua deixa para talvez seus afazeres. A vela conhecida como latina, e muito popular pela sua forma triangular, muito manobrável, foi assim utilizada como fins pesqueiros na idade média pelos genoveses em comércio com Bizâncio, passando depois pelos Vikings, estes aperfeiçoaram o sistema da vela e da quilha,...
    ler mais...
  21. Escrito por: Bruno Jorge
    Categoria: Barcos

    Atravessar um grande e largo rio, atravessar grandes superfícies de água, descobrir terras desconhecidas e mapear o mundo, nunca teria sido possível sem as embarcações náuticas (barcos). Desde os primórdios que o ser humano sempre teve a necessidade ou o impulso para descobrir novos locais e para expandir territórios. Provavelmente os primeiros humanos, quando se depararam com os primeiros rios a vencer, construíram pontes, quando se depararam com rios mais largos, construíram jangadas, as jangadas deram lugar a pequenos barcos, e com o evoluir das mentes sociais, surgiu a necessidade de construir melhores e maiores...
    ler mais...
  22. Escrito por: Daniela Vicente
    Categoria: Barcos

    O pintor impressionista Oscar Claude Monet nasceu na Rue Laffitte 45, na cidade das luzes, a 14 de novembro de 1840. Era filho de Claude Adolphe Monet, um comerciante, e de Louise Justine Aubrée. Com apenas cinco anos de idade mudou-se para Havre, onde iniciou, em 1855, o desenho de caricaturas. Estas permitiram-lhe ganhar algum dinheiro. Dois anos depois, a sua mãe faleceu, ganhando a partir daí o apoio da tia Marie-Jeanne Lecadre. Em 1858, Monet conheceu Eugène Boudin , um pintor paisagista, que influenciou o pintor francês a pintar ao ar livre. Este novo método só era possível pela invenção das tintas portáveis em bisnagas....
    ler mais...
  23. Escrito por: Carla Horta
    Categoria: Barcos

    Quando se falam em canoas, vêm-nos à memória tantas coisas. As canoas usadas pelos Índios, as canoas que serviam de passeio nos tempos medievais, e os desportos dos nossos dias. São tantas as hipóteses, que quando usamos a palavras caiaque ou canoa, nos atabalhoamos em imagens na nossa cabeça. Mas se as canoas têm uma história milenar, como podemos pensar bem nos caiaques dos nossos dias? Bem, também aqui há muito por explorar. Antes de mais as características dos caiaques são todas iguais, independentemente do uso que lhe queiramos dar (se para passeio, se para desporto). Todos os caiaques são portadores de...
    ler mais...
  24. Escrito por: Sílvia Baptista
    Categoria: Barcos

    Ter um barco é um prazer e às vezes um priviléigio para aqueles que gostam e aprecião o mar, muitos utilizam seus barcos como ferrementa de trabalho, como no caso dos pescadores que necessitam ter um barco em boas condições para que possam fazer a pesca. A profissão de pescador, não se limita só a tratar das redes e todos os outros instrumentos necessários para a realização da pesca, o barco como meio de transporte e ferramneta insdispensável para efetivar a pesca, precisa oferecer segurança e requer cuidados. Os pescadores facultativos, aqueles que não são profissionais da pesca mas que o fazem por hobby, também...
    ler mais...
  25. Escrito por: Hediene
    Categoria: Barcos

    A vertente náutica de recreação iniciou com embarcações de madeira e desenvolveram-se para cascos de resina ou de fibra de vidro, com dimensões variadas, mas sempre direcionadas à prática de regatas ou de cruzeiros. Os barcos de recreio só podem ser conduzidos por profissionais que disponham de carta de navegação na categoria adequada, emitidas por Institutos Portuários. A exigência da carta visa à segurança do transcurso de navegação e da vida dos viajantes sobre águas. Os caiaques são as embarcações especializadas para o lazer e são disponibilizados em diversos modelos com finalidades específicas. Os...
    ler mais...
  26. Escrito por: Carla Horta
    Categoria: Barcos

    Todos temos as nossas manias e superstições. Não que se trate de comportamentos compulsivos, mas a realidade é que mesmo para quem diz que não liga nenhuma a estas coisas, as superstições acompanham-nos. Passar por baixo de uma escada, deixar a tesoura, uma porta de um armário ou uma gaveta aberta ou até deixar os sapatos em posição oposta ao correcto, são das superstições mais comuns. As Sextas-feiras 13 também criam alguma confusão a muita gente, mas muitos são os que já festejam e brincam com a data. Somos assim mesmo, supersticiosos, uns mais do que outros, mas é uma essência que carregamos, mesmo que de forma...
    ler mais...
  27. Escrito por: Sílvia Baptista
    Categoria: Barcos

    As categorias da carta de navegador de recreio são as seguintes: Carta de navegador Patrão de Alto mar, Carta de navegação Patrão de Costa, Carta de navegador Patrão local, Carta de Marinheiro, que tem algumas restrições a serem respeitadas como as seguintes: Titulares de 14 aos 16 anos, Titulares de 16 anos e Carta de Principiante. Esses diplomas devem ser requeridos junto ao orgão competente para que se possa navegar atendendo devidamente a regulamentação e tornando assim, a navegação cada vez mais segura, já que para a obtenção da carta é necessário fazer um curso que qualifica o requerido a tornar-se um navegador...
    ler mais...
  28. Escrito por: Maria Bijóias
    Categoria: Barcos

    Para manter a “saúde” de um barco, e a consequente segurança do(s) marinheiro(s) e tripulantes, há que observar determinados procedimentos, simples, mas que se revelam essenciais. Assim, e ainda que o barco já esteja molhado ou tenha passado o dia a navegar no mais limpo dos rios, é fundamental aplicar jatos de água na casco, a fim de remover impurezas e/ou sal, suscetíveis de comprometer a sua durabilidade. Depois, é aconselhável aplicar um produto específico para o casco e dar nova mangueirada de água limpa, fazendo com que o jorro chegue também à parte interna. Com efeito, ao regressar de cada viagem, deve ter-se o...
    ler mais...
  29. Escrito por: Waldiney Melo
    Categoria: Barcos

    A embarcação desde sempre fascinava as pessoas, e é uma parte fundamental de nossa história. Pois foi a trás de uma embarcação que em 22 de Abril de 1500 chegava ao Brasil 13 caravelas portuguesas lideradas por Pedro Alves Cabral. Há primeira vista, Cabral pensara ter descoberto um monte, os quais deram o nome de monte Pascoal, no dia 26 de abril foi celebrada a 1º missa. Após terem deixado o local rumo à Índia Cabral na incerteza se a terra descoberta era uma continente ou uma grande ilha, alterou o seu nome pra ilha de Vera Cruz. Depois de realizar outras expedições portuguesas, foi realmente descoberto tratar de um...
    ler mais...
  30. Escrito por: Rua Direita
    Categoria: Barcos

    O veleiro é, por assim dizer, um barco com a Matemática “à flor da pele”, ou melhor, “à flor da vela”. Efectivamente, os triângulos e quadrados que compõem o velame são meticulosamente calculados e cortados. De outro modo, a deriva seria o destino mais clarividente e, como diz o ditado: «Barco sem rota certa não tem vento de feição». Diz-se que as primeiras embarcações à vela surgiram nas proximidades do Mar Mediterrâneo, uma actividade exigente, mas com os gregos, e posteriormente os romanos, a fazerem uso de velas ainda toscas, que aproveitavam mais o vento a favor. Tendo sido superado como meio de...
    ler mais...