Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Barcos > Truques e dicas para não enjoar no barco

Truques e dicas para não enjoar no barco

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Barcos
Visitas: 74
Comentários: 6
Truques e dicas para não enjoar no barco

Quem nunca se apaixonou pela cena de um filme, em que o casal apaixonado parte num barco em direção ao horizonte e são felizes para sempre? Pois bem, não se iluda! Nem sempre existem finais felizes e os enjoos aparecem quando menos se espera.

Mas afinal porque enjoamos quando andamos de barco?

A resposta é bastante lógica depois de explicada! O nosso ouvido interno orienta-nos para o ambiente e espaço onde estamos inseridos através do equilíbrio. Em suma, se nos encontramos sobre um piso onde as oscilações são constantes, muito dificilmente consegue manter equilibrio fisiológico.

Esta sensação de vertigem traduz-se em palidez, salivação, nauseas, tonturas, dores de cabeça, fadiga ou vómitos. Enfim, o tão conhecido enjoo que aparece exatamente no momento em que decidimos descontrair.

Claro que a componente psicológica é considerada fundamental, pois se um individuo consegue manter um grande à vontade no mar, os enjoos são mais controláveis. No entanto, desengane-se aquele que pensar que existem pessoas imunes, pois todos nós, até os mais resistentes, estão sujeitos a tal maleita.

Existem alguns truques para atenuar os enjoos maritimos. Se tem tendência a enjoos, aqui vão algumas dicas:

1- Tente dormir bem e confortavelmente na noite anterior;

2-Evite ingerir bebidas alcoólicas desde a vespera;

3- Evite cafeína, gorduras e as chamadas comidas pesadas e nunca embarque numa viagem com a barriguita vazia. Prefira comer umas pequenas bolachinhas simples e água.

4- Sente-se cá fora e evite o interior do barco. Afinal, a vista também é mais bonita cá de fora;

5- Respire fundo e de forma ritmada. A maresia faz milagres.

6- Instale-se confortavelmente e disfrute da paisagem. Não ande a saltitar pelo barco.

Existe porém quem mesmo seguindo este truques, não consiga olhar uma viagem de barco com bons olhos. Os chamados sofredores de enjoos por natureza, vêm numa viagem de barco, o pesadelo e tormento da má disposição.

Se é um destes casos e para estas situações, existem no mercado alguns medicamentos químicos que o poderão ajudar!

Ao diminuirem a atividade nervosa, os sedativos são muitas vezes utilizados como armas contra o enjoo, mas a maior parte deles, por razões obvias, só podem ser vendidos com receita médica. Existem no entanto medicamentos próprios para o enjoo, e neste caso, a prescrição médica é dispensada. Apesar de serem de marcas diferentes, por norma são tomados da mesma forma. Meia hora antes do embarque e uma hora após o inicio da viagem.

Uma viagem de barco é para recordar pelos melhores motivos. Não se deixe enjoar e parta em direção ao horizonte!


Carla Horta

Título: Truques e dicas para não enjoar no barco

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 74

767 

Imagem por: eyesplash Mikul

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 6 )    recentes

  • Marco Aurelio Faria

    21-01-2017 às 22:54:20

    Outra solução é quando estiver enjoado, "deitar-se" dentro da embarcação. já aconteceu com uns amigos e funcionou. bastou deitar por alguns minutos e o enjoo passou.

    ¬ Responder
  • SophiaSophia

    23-04-2014 às 16:11:59

    Os truques e as dicas são bem válidas. Já fiz uma viagem de barco em 3 dias, mas procurei sempre fazer essas dicas que você citou no texto. É maravilhosa a viagem, realmente, a gente descansa bastante.

    ¬ Responder
  • Sofia NunesSofia Nunes

    17-09-2012 às 15:45:09

    O seu texto trouxe-me algumas novidades interessantes: em primeiro lugar, não sabia de modo exato o porquê de enjoarmos em viagens ou pequenas travessias de barco; para além disso não conhecia soluções para o enjoo que fossem além da prescrição dos tradicionais comprimidos sedativos. Isto porque na realidade não tenho tendência para enjoar em viagens de barco. No entanto, uma vez que conheço quem enjoe com um simples passeio de gaivota, as dicas ser-me-ão úteis.

    ¬ Responder
  • Sofia Duartecarlos martins

    29-06-2011 às 19:25:14

    Bom sou mergulhador de final de semana e todas as vezes que tenho que mergulhar é um parto sempre estou enjoado e fico puto pois sou apaixonado pelo esporte.

    ¬ Responder
  • eberton

    20-05-2013 às 21:01:20

    cara tambem passo mal mas como trabalho embarcado tive que me adapta como comidas leve e frutas evito cafá com leite bolacha de água e sal é otimo dramin ajuda mas as vezes não da conta dai o jeito é meclim 25mg ou 50mg é otimo eu recomendo não precisa de receita

    ¬ Responder
  • António RosaAntónio Rosa

    28-03-2011 às 19:09:15

    Gostei do texto - parabéns. :)

    ¬ Responder

Comentários - Truques e dicas para não enjoar no barco

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Habitação – Evolução qualidade/Preço

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Alojamento
Habitação – Evolução qualidade/Preço\"Rua
Hoje vivemos dias muito complicados do ponto de vista económico, uma vez que a nossa sociedade moderna consumista tem acarretado para as famílias a triste ideia de que temos que possuir tudo o que existe para ser possuído.

Relativamente ao assunto especifico da habitação, com o passar dos tempos, as pessoas têm adquirido as suas casas em função do que há no mercado, e este mercado tem evoluído de uma forma perigosa em termos de custos; o que quero dizer com isto, é que há vinte anos atrás, encontrávamos apartamentos no mercado, e tenho por base um apartamento T3 que tinha 3 quartos conforme a tipologia descrita, naquele tempo uma cada de banho, uma sala de estar/jantar conjunta e talvez uma varanda, hoje o mesmo apartamento terá os três quartos, a sala, duas casas de banho das quais uma poderá estar num dos quartos a que passou a chamar-se suite, este apartamento hoje, tem forçosamente que ter pré instalação para aquecimento central, lareira com recuperador de calor, e muito provavelmente aspiração central, ou pelo menos a pré instalação… Assim, quem compra um apartamento hoje, apesar das dimensões de cada divisão estarem diminuídas, o preço foi muito incrementado pelos extras, e depois há ainda que adquirir uma caldeira para fazer funcionar a tal pré-instalação de aquecimento central, os radiadores porque sem eles o dito não funciona, naturalmente o trabalho do técnico… há ainda que adquirir em muitos casos o aspirador propriamente dito para fazer funcionar a aspiração central, e algumas coisas mais, acessórios dos quais, antes não tínhamos necessidade.

Não quero dizer com isto, que estes equipamentos não são úteis, são, mas e aquelas pessoas que compraram os seus apartamentos há uns tempos, cujos espaços não dispunham destas “modernices” como viveram? Como vivem hoje? Provavelmente aqueles que tiveram disponibilidade económica para isso, colocaram nas suas habitações, aquilo que julgaram necessário, não colocaram aquilo que não lhes é útil de todo, por outro lado aqueles que não tiveram disponibilidade económica vivem sem os equipamentos em questão, ou colocam um equipamento à dimensão das suas possibilidades. O real problema é que os referidos equipamentos valorizaram muito mais as habitações em termos de preço de compra do que o valor real dos mesmos, e as pessoas, estão apagar vinte ou trinta anos, para não dizer mais, um bom valor acima do que pagariam sem estas coisas, além disso comprariam aquilo que quisessem e pudessem.

Para além do exposto, a qualidade de construção e acabamentos não melhorou, antes pelo contrário. Hoje o valor das casas está a decair rapidamente, e as pessoas em geral vivem em casas cujos valores atuais de mercado são muito inferiores ao que estarão a pagar durante muito tempo…

Naturalmente o mercado poderá mudar, mas não é esse o caminho que parece seguir.

Pesquisar mais textos:

Ana Sebastião

Título:Habitação – Evolução qualidade/Preço

Autor:Ana Sebastião(todos os textos)

Imagem por: eyesplash Mikul

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    21-04-2014 às 17:09:01

    A compra seja de apartamento ou casa estão mais caras e nem sempre oferecem serviços como mostram na divulgação. Não é bom financiar, pois custará o dobro. Realmente, o melhor a fazer é buscar preços que têm condições de pagar ou aderir a um consórcio.

    ¬ Responder
  • Sofia Nunes 13-09-2012 às 17:07:44

    Na minha opinião e de acordo com o que tenho observado, a relação qualidade/preço das habitações está a melhorar. E isso não é necessariamente bom, uma vez que é resultado da crise económica. Como refere, o valor das casas está a descer, pelo que se pode comprar uma vivenda pelo preço que há uns anos era de um apartamento. O problema é que, apesar de as casas estarem mais baratas, os compradores não têm dinheiro.

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios