Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Como Fazer Um Bom Currículo

Como Fazer Um Bom Currículo

Categoria: Outros
Visitas: 8
Comentários: 2
Como Fazer Um Bom Currículo

Percebemos que a dúvida de como estruturar um currículo é bem frequente aos futuros profissionais do mercado de trabalho, sendo assim, resolvemos trabalhar novamente a melhor forma de se estruturar um currículo, valorizando as informações. Para isso, contamos com a ajuda da profissional de Recursos Humanos da SYDLE, Alessandra Ravaiani.

Abaixo, você terá acesso a um passo-a-passo de como elaborar um currículo, basta seguir as orientações.

Clique no currículo para visualizar.
O currículo é a porta de entrada para qualquer processo seletivo. Veja como reunir as informações de forma mais assertiva possível:

1° passo: Dados pessoais


Comece seu currículo com seus dados pessoais, coloque seu nome, telefone (com DDD),e-mail e endereço, no mínimo. Não é obrigatório, a não ser que a empresa solicite colocar CPF, RG, data de nascimento e estado civil.

2° passo: Perfil Profissional


Esta é a mais importante etapa do currículo. É o momento de escrever, em torno de 5 linhas, um resumo de suas experiências, formação, objetivo profissional e possíveis incoerências. Se o currículo tiver essa etapa, será o primeiro local que o recrutador irá ler. Por exemplo, se você for de uma cidade e estiver concorrendo a uma vaga em outro local, ou se tiver experiências somente em uma área específica e tiver concorrendo a outra área, explique isso neste espaço. Por exemplo: Estudante de Psicologia, atualmente reside em SP e possui experiência de um ano na área clínica. Hoje procura oportunidade na área de Recursos Humanos em Belo Horizonte. Observem que o “Perfil profissional” foi escrito em terceira pessoa.

3° Passo: Escolaridade


Se for um candidato de 2° grau, coloque a escola e o ano em que estiver cursando. Se for um candidato do ensino superior, torna-se desnecessário escrever sobre o 1° ou 2° graus. Foque na graduação, dizendo o nome da Instituição, nome do curso, data de início e fim ou previsão de conclusão se ainda estiver cursando. Utilize as mesmas dicas para Pós-graduação, Mestrado ou até outras graduações e não deixe de especificar se o curso está concluído ou em andamento.

4° passo: Experiência Profissional


Momento de descrever suas experiências, diga a Empresa, Cargo, Período (data de início e fim) e Atividade. Dizer o cargo é muito importante, porém não deve se limitar a ele. Nomenclaturas para as funções podem variar muito de empresa para empresa, por isso a importância do campo Atividade, será o momento de descrever o que fazia em cada experiência, dizendo suas responsabilidades e rotina de trabalho. Também é preciso colocar data de início e fim, e não coloque apenas o ano, os meses são fundamentais. Um candidato que coloca: de 2009 a 2010, pode se referir de um mês a dois anos de experiência e isso fará muita diferença. Experiências curriculares e estágios também devem ser colocados, principalmente se não houver experiências profissionais para descrever ou citar. Porém experiências antigas e que não possuem relação com a vaga pretendida, não precisam ser descritas.

5° passo: Formação Complementar


Momento de falar sobre cursos menores, de curta duração. Escreva a instituição, carga horária e ano de realização. Línguas também podem ser descritas neste espaço ou podem criar um tópico a parte para Idiomas. Diga o nível, por exemplo, Básico, Intermediário ou Avançado. Coloque em qual instituição fez seu curso de idioma e há quanto tempo estuda aquela língua.

6° e último passo: Conhecimentos

complementares. Descreva seus conhecimentos em informática e o nível de seu conhecimento, além de outros que julgar relevantes.

Por fim, vamos a algumas dicas gerais:



• Tente não ultrapassar 2 páginas de currículo. É garantido que o recrutador não irá ler o currículo inteiro se este for muito longo;

• Erros de português são inaceitáveis. Cuidado com a escrita;

• Não diga características pessoais como: Sou dinâmico, aprendo rápido, bom relacionamento interpessoal. Qualquer candidato pode dizer isso, o momento da entrevista ou de uma possível dinâmica, será o momento de demonstrar suas habilidades comportamentais e pessoais e não no currículo;

• Cuidado com a organização. Deixe as informações fáceis de serem encontradas. Separe os títulos com Negrito ou Caixa alta;

• Escreva o suficiente, sem enrolar. Foque naquilo que deve ser dito;

• Ao enviar o currículo, diga no assunto do e-mail o nome da vaga para qual deseja se candidatar, isso ajudará o trabalho do recrutador;

• E a mais importante de todas as dicas: Não minta, seja sincero e coerente em seu currículo!

E se você for convidado para continuar no processo seletivo após o envio de seu currículo, você já está na frente de muitos candidatos! Aí é só caprichar na entrevista! Boa sorte!


Miguel Pereira

Título: Como Fazer Um Bom Currículo

Autor: Miguel Pereira (todos os textos)

Visitas: 8

568 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • Rafaela CoronelRafaela

    18-08-2014 às 00:11:37

    Super 10 esse texto! Realmente, quanto menos informação desnecessária, melhor. Então, o melhor é fazer um bom currículo sucinto.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãoduarte

    22-06-2014 às 00:59:46

    estou desempregado faz 6 meses, deu me uma visão diferente, gostei.

    ¬ Responder

Comentários - Como Fazer Um Bom Currículo

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Receptores digitais

Ler próximo texto...

Tema: TV HIFI
Receptores digitais\"Rua
Os receptores digitais são instrumentos que têm a função de receber sinal por via de canais digitais.

De acordo com a sua função, estes canais poderão ser satélite ou por cabo. Actualmente, já existem bastantes serviços de televisão por cabo que funcionam apenas com estes receptores, uma vez que é através deles que se consegue ter acesso não só aos canais de serviço, mas também a pacotes codificados.

O serviço de recepção de canais por satélite é um sistema independente para o qual é necessário ter um disco receptor satélite de modo a poder ter canais digitais fora dos serviços prestados pelos operadores de televisão digital.

Este instrumento permite que os próprios ecrãs sem tecnologia digital passem a usufruir desta através destes receptores. No entanto, a melhor qualidade só é garantida com um ecrã já com esta tecnologia.

Os receptores digitais permitem também aceder a uma multiplicidade de serviços, desde que devidamente configurados. Por exemplo, com estes receptores, é possível aceder a menus específicos de pausa de emissão para depois ser continuada, de serviços on-demand ou acesso a portais específicos, entre outros.

Esta pequena caixinha permite ao seu utilizador usufruir da televisão a um novo nível, de modo a que possa ter todas as comodidades no conforto do lar. 

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Receptores digitais

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    04-06-2014 às 06:53:28

    Gostei dos receptores digitais. Bom texto abordando isso.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios