Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Ferramentas > Pilhas e baterias

Pilhas e baterias

Categoria: Ferramentas
Visitas: 7
Comentários: 17
Pilhas e baterias

As pilhas e as baterias representam como que mini-armazéns de energia. São dispositivos que transformam energia química em eléctrica.

Embora detentoras de utilidade indiscutível e até de indispensabilidade, as pilhas e as baterias contêm elementos tóxicos na sua composição, perigosos para a saúde e para o meio ambiente, acabando por integrar os resíduos sólidos do lixo urbano.

Para além do cuidado de as reciclar, se não forem recarregáveis e estiverem gastas, há que ter precauções no caso de se verificarem derramamentos, tais como lavar as mãos com água corrente e abundante e procurar o médico se ocorrer irritação.

Para além disto, é importante seguir as instruções dos fabricantes dos aparelhos, não remover, sob nenhum pretexto, o invólucro das pilhas e jamais misturar pilhas velhas com novas, ou pilhas de sistemas electroquímicos diferentes. Não se trata de “pilhofobia”, mas de mera prudência básica.

Irritação é o que acontece a algumas pessoas durante certas conversas de telemóvel, pelo que decidem descarregar na bateria (até parece irónico) as culpas da interrupção de tão amena cavaqueira. «Está-se a ir abaixo», dizem.

E está, mas não é a bateria, é a paciência. Se houvesse carregadores de paciência como há de baterias talvez se resolvesse o problema. Mesmo assim, era capaz de ser um sector em permanente ruptura de stocks.

 O universo infantil é aquele em que melhor se consegue compreender o funcionamento das pilhas e baterias recarregáveis (que por sinal são preferíveis no sentido da redução do impacto ambiental). É uma energia que cansa só de olhar e cuja fonte não se esgota. Seria caso para perguntar: «Onde é que se tira a pilha?» …


Rua Direita

Título: Pilhas e baterias

Autor: Rua Direita (todos os textos)

Visitas: 7

801 

Imagem por: Anton Fomkin

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 17 )    recentes

  • Maria GabrielaMaria Gabriela

    06-10-2012 às 22:20:13

    As pilhas e baterias, sem dúvida, foram mais uma grande invenção para a nossa sociedade. São práticas e bastante úteis. Evitam os fios e permitem utilizar os aparelhos fora de casa. Achei importante o alerta que foi feito para os cuidados que temos de ter com as pilhas porque as mesmas podem ser tóxicas. Efetivamente nunca é demais relembrar este cuidados e saber o que fazer em caso de contacto com liquido e respectiva irritação.

    ¬ Responder
  • Wallace RandalWallace Randal

    06-10-2012 às 17:52:38

    Olá Rua Direita, tudo bem? Muito informativo e bem escrito seu texto! Ultimamente as pilhas estão sendo vistas como agentes agressivos ao meio ambiente, e não sem motivo. As baterias representam um gasto de material muito menor em relação às pilhas, e armazenam também mais energia. O rua direita faz muito bem em fazer estes tipos de textos, oferecendo conhecimento de forma acessível e fácil, para todas os tipos de pessoas. Muito obrigado!

    ¬ Responder
  • Wallace RandalWallace Randal

    06-10-2012 às 17:52:25

    Olá Rua Direita, tudo bem? Muito informativo e bem escrito seu texto! Ultimamente as pilhas estão sendo vistas como agentes agressivos ao meio ambiente, e não sem motivo. As baterias representam um gasto de material muito menor em relação às pilhas, e armazenam também mais energia. O rua direita faz muito bem em fazer estes tipos de textos, oferecendo conhecimento de forma acessível e fácil, para todas os tipos de pessoas. Muito obrigado!

    ¬ Responder
  • Anne TeixeiraAnne Teixeira

    05-10-2012 às 16:43:12

    Estou tendo aula de eletricidade aplicada na graduação. Apesar de já ter feito pilhas em laboratório acho complexo o entendimento teórico do funcionamento dessas belezinhas que nos proporcionam tanto conforto. Afinal, o que seria do meu mouse ou do meu pc sem pilhas e baterias.Mas poucas pessoas se interessam por entender como funcionam as coisas que usam. Na realidade o sistema é simples, mas pode geram complicações no descarte, por exemplo.

    ¬ Responder
  • Pedro gil FerreiraPedro gil Ferreira

    04-10-2012 às 17:47:06

    Eu pessoalmente tenho sempre pilhas no meu quarto para uma emergência.Tanto as pilhas como as baterias estão sempre a falhar devido ao uso indiscriminado que lhe damos.Usamos pilhas no relógio, no despertadr, no comando da televisão e no rádio.Quanto ás baterias elas alimentam os portáteis que nós não dispensamos, assim como os telemóveis.

    ¬ Responder
  • Teresa Maria Batista GilTeresa Maria Batista Gil

    03-10-2012 às 14:14:31

    As pillhas são solução para muita coisa de grande necessidade como por exemplo, para fazer despertar o despertador, fazer trabalhar a televisão, candeeiros ou baterias.Hoje em dia não se passa sem pilhas e baterias, por causa do grande uso de computadores, portáteis, relógios, televisores ou telemóveis.

    ¬ Responder
  • Ruben GonçalvesRuben Gonçalves

    02-10-2012 às 22:02:05

    Francamente não é muito fácil encontrar um pilhão em qualquer esquina, mas se tivermos em conta o mal que estes objetos fazem ao ambiente quando não tratados convenientemente, percebemos que devemos acumula-los, até porque não ocupam muito espeço para mais tarde os colocar num local adequado. Se procurar bem certamente vai encontrar um perto de si.

    ¬ Responder
  • Ruben GonçalvesRuben Gonçalves

    02-10-2012 às 22:01:38

    Também no mundo automóvel se está a começar a usar baterias para mover veículos elétricos. Tendo esta industria uma presença tão significativa no mercado mundial, é de esperar que as baterias sofram uma grande evolução no sentido de permitir uma maior autonomia e menor tempo de carga. Sendo estes os principais pontos fracos em veículos elétricos.

    ¬ Responder
  • Ruben GonçalvesRuben Gonçalves

    02-10-2012 às 22:01:25

    As pilhas e as baterias são de facto elementos muito importantes nos tempos de hoje e que usamos constantemente no nosso dia a dia.Com o evoluir da tecnologia, principalmente as baterias sofreram uma grande evolução, permitindo uma maior autonomia, menos tempo de carga, mais tempo de vida, mais compactas e mais amigas do ambiente.

    ¬ Responder
  • Adriana SantosAdriana dos Santos da Silva

    02-10-2012 às 07:12:18

    Utilizo mais as pilhas recarregáveis, elas são bem melhores. Você pode sempre que acabar, colocar para carregar e depois está novíssima. Faz parte de nossa vida, adoramos quando elas estão novinhas e cheias de vigor. Baterias também tem seu papel fundamental, elas contribuem para uma melhor performance e são mais duráveis, sem precisar ficar recarreando de vez em quando. Gostei da maneira que colocaste tanto a pilha como a bateria. Muito bom seu texto, parabéns!

    ¬ Responder
  • Adriana SantosAdriana dos Santos da Silva

    02-10-2012 às 07:10:21

    Como é bom ter pilhas emn casa quando mais precisamos dela. Não sei se prefiro as pilhas ou baterias, ainda estou na dúvida. Mas tanto uma quanto outra possui diferentes vantagens e benefícios que ajudam em nossas vidas. Espero que a duração seja bem melhor que outros utensílios que logo se acabam. As baterias são mais econômicas na minha opinião, visto que demoram a acabar suas energias, e pilha você precisa recarregar e até comprar.

    ¬ Responder
  • Lucas SouzaLucas Souza

    01-10-2012 às 19:29:43

    Umas das melhores descobertas da ciência foram às pilhas e baterias. Sem elas, diversos aparelhos tecnológicos que conhecemos hoje em dia não existiriam como os celulares e smartphones, computadores portáteis (notebooks, netbooks, tablets, etc.), e muitos outros dispositivos. Já estudei o funcionamento delas na faculdade e acho incrível o que a natureza é capaz de fazer. Uma descoberta sem igual, graças a estudiosos existentes no mundo. Belo texto, muito interessante mesmo. Obrigado pela bela contribuição!

    ¬ Responder
  • Nilson EmpreendedorNilson Uemoto

    01-10-2012 às 01:27:52

    Uso sempre pilhas alcalinas pela durabilidade, utilizo somente no controle remoto da tv, na minha lanterna e MP3.No meu notebook uso constantemente a bateria ,procuro sempre descarregar até o fim, pra depois recarregá-la,apesar que a bateria já está ficando viciada e durando menos. Uma coisa que sempre faço quando noto que uma pilha já está velha é joga-la no lixo, pois como dito no texto ela contém produtos quimicos que são prejudiciais a saude

    ¬ Responder
  • Teresa Maria Batista GilTeresa Maria Batista Gil

    27-09-2012 às 10:45:38

    As pilhas e baterias fazem devem fazer parte do stock de uma casa, pois têm muita utilidade.Sem elas não é possível manter a energia de muitos e variados objetos de extrema necessidade.Servem para alimentar relógios, candeeiros, computadores, o comando da televisão, rádios, despertadores etc.

    ¬ Responder
  • André BelacorçaAndré Belacorça

    25-09-2012 às 14:28:37

    Tudo é à base de pilhas e bateria, tudo o que seja tecnologias avançadas e actuais. Muitas dependem já de bateria principalmente, o que à anos atrás era a pilhas, hoje me dia á a bateria, mais fácil e cómodo.

    ¬ Responder
  • Sofia NunesSofia Nunes

    23-09-2012 às 22:23:05

    Aquilo que me deixa apreensiva nas pilhas é o facto de a grande maioria das pessoas, tal como não recicla o vidro, o cartão e plástico, também não coloca as pilhas no pilhómetro. É sintomático disso o facto de muitos espaços de ecopontos já não conterem o pequeno ecoponto vermelho. Assim, é imprescindível que exista uma maior consciencialização da sociedade em geral para o problema, promovendo-se a utilização de pilhas recarregáveis, ainda que mais dispendiosas.

    ¬ Responder
  • Daniela VicenteDaniela Vicente

    21-09-2012 às 22:28:58

    deve-se ter a noção que pilhas e baterias não são a mesma coisa. pilhas não permitem recarga, enquanto que as baterias permitem. existem vários tamanhos e tensões. as baterias envolvem questões como se são de níquel e lítio. consoante o seu material de construção também varia a sua tensão. as de chumbo são utilizadas em veículos automóveis, as de níquel são conhecidos no aeromodelismo. lítio nos telemóveis.

    ¬ Responder

Comentários - Pilhas e baterias

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os descendentes de Eça

Ler próximo texto...

Tema: Literatura
Os descendentes de Eça\"Rua
Recentemente, por via da comunicação social, soubemos da entrega do prémio Leya, a um trineto de Eça de Queirós. Julgo que bastou essa noticia, para que todos ficássemos curiosos sobre os seus descendentes…esse mistério, como o Mistério da Estrada de Sintra, começou a adensar-se entre quem se interessa por estas coisas da literatura e da genealogia…então aqui deixo algumas notas que poderão ser importantes para quiçá, um dia, um qualquer jornalista, ou editor, se lembre, de conseguir reunir todos os seus descendentes vivos e se tire uma fotografia de família.

José Maria Eça de Queirós, escritor pródigo da nossa nação, contraiu matrimónio em 1886, com Emília de Castro Pamplona Resende, condessa de Resende, deixando à data de sua morte, em Paris, quatro filhos como seus descendentes e herdeiros diretos; foram eles António Eça de Queirós, Maria Eça de Queirós, Alberto Eça de Queirós e José Maria Eça de Queirós; portanto três meninos e uma menina.
Através do site Geneall.net, foi possível perceber as linhas genealógicas que se seguiram aos seus filhos. No entanto, nem todos os nomes dos seus bisnetos e trinetos estão aí presentes, com certeza por motivos de ordem pessoal, de resguardo da privacidade, motivos que não podemos questionar. Porém, é possível, pelo menos determinar a existência desses membros da família queirosiana.

De antemão sabemos que não houve descendência por parte de dois dos seus filhos, António Eça de Queirós e de Alberto Eça de Queirós.
Maria Eça de Queirós teve dois filhos, uma menina e um menino, porém a menina morreu muito nova, ficando apenas o menino, de seu nome Manuel Pedro Benedito de Castro, que mais tarde casou com Maria da Graça Salema de Castro, a mulher que se tornou a primeira diretora da Fundação Eça de Queirós, na casa de Tormes, pertença da família da esposa de Eça de Queirós. Como Manuel Pedro Benedito de Castro não teve filhos, sabemos que por este ramo, terminou a descendência do escritor.

Convém, entretanto, acrescentar aqui uma curiosidade. Depois do regresso a Portugal da viúva de Eça, ela e os filhos, foram residir para a casa da Granja, pertencente à família de Sophia de Mello Breyner. Inicialmente como esta casa costumava ser arrendada pela família de Sophia, Emília de Castro, arrendou-a, vindo a compra-la uns anos depois. Portanto, é aqui nesta casa que ela cria os seus filhos, e é onde, José Maria Eça de Queirós, um dos seus filhos, permanece após a sua morte, tendo criado aqui os seus filhos e netos, e tendo aqui também falecido.

Podemos então seguramente afirmar que a sua grande linha de descendência parte do seu filho, com o mesmo nome, José Maria Eça de Queirós, que teve também ele, atente-se à curiosidade, quatro filhos, neste caso, ao inverso, um menino, e três meninas, respetivamente de seus nomes, Manuel Eça de Queirós, Maria das Dores Eça de Queirós, Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós e Emília Maria de Castro Eça de Queirós. Esta ultima, Emília, teve ao que consta nove filhos, sendo que um deles, Afonso Maria Eça de Queirós Cabral, é quem atualmente preside à Fundação acima citada, depois da morte da primeira presidente, referida atrás, Maria da Graça Salema de Castro.

Manuel Eça de Queirós por sua vez teve seis filhos, Maria das Dores Eça de Queirós teve três filhos, e Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós, dois filhos. Somados, contabilizamos vinte, os bisnetos do famoso escritor. Seria interessante avançar um pouco mais nos ramos genealógicos e aflorar quem são ou pelo menos, quantos são os trinetos e tetranetos de Eça, por conseguinte fica aqui o desafio, pois é certo que porventura alguns destes descendentes não se conhecem, e nunca terão trocado qualquer impressão sobre o seu ascendente, para uns, bisavô, para outros trisavô, e ainda para outros, tetravô.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Os descendentes de Eça

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Imagem por: Anton Fomkin

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios