Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Ioga - uma introdução

Ioga - uma introdução

Categoria: Outros
Ioga - uma introdução

Um misto de filosofia e técnica de bem-estar psicofísico. Suas origens remontam há uns seis mil anos, particularmente na Índia. Entretanto, há indícios de práticas de controle de mente e corpo em outras regiões, como Peru e Hawai. Na Índia inúmeros escritos milenares descrevem diversas ramificações da Ioga. Em suas definições incluem-se magia, arte, ciência, religião e filosofia. O termo deriva do sânscrito Yuj, significando união de dois objetos, mistura, transformação, consciência de que se é partícula unida a um todo.

A ioga é treinamento físico, mental e espiritual, não é religião. É filosofia especulativa, aparentemente mística. Sua prática nos faz atingir planos elevados, após a conquista de nós mesmos. Ioga é desprendimento, em antagonismo a inveja e o revanchismo. Seus exercícios geram efeitos contra o medo e descompassos nervosos, reordenando a vida psicofísica.

A ioga identifica-se melhor com a cultura e religiões orientais, mas não interfere nas ideias básicas do Cristianismo. Há especulações de que alguns dos milagres realizados por Jesus Cristo podem ser explicados pela ioga, na qual ele teria alcançado plenitude. Para atingir a plenitude é necessário passar por oito fases:

Yama - abstenções (roubo, violência, falsidade);
Niyama - ação (pureza mental e física, contentamento, austeridade, conhecimento);
Asana - posturas físicas;
Pranayama - controle da respiração;
Pratyahara - abstração dos sentidos;
Dharana - concentração profunda;
Dhyana - meditação;
Samadhi - integração total, plenitude.

Os três momentos finais são menos acessíveis à maioria dos praticantes. Na meditação são pronunciados os mantras, palavras sagradas de poder místico. O mantra OM, quando cantado em baixa frequencia, causa um desligamento dos sentidos, aumentando nossas forças hipno-magnéticas, imunizando-nos contra vibrações negativas.

A ioga nasceu um tanto mística, talvez por sua origem védica. As traduções dos textos sânscritos podem gerar interpretações confusas e curiosas. Na própria Índia existem correntes modernas dessa filosofia focadas na prática e nos resultados mais imediatos, coexistindo com a ioga tradicional, na qual os adeptos se refugiam da sociedade e das interferências. Alguns gurus indianos alegam que deve ser possível transformar energia em matéria, já que é possível tornar matéria em energia.

Do ponto de vista médico e fisiológico, a ioga é importante na educação do organismo, é útil para o ajustamento psíquico. Portanto é conveniente que essa prática milenar seja interpretada à luz da ciência, livre de seu teor místico. Não devemos tomar fantasia por conhecimento, ilusão por realidade.


Marcos Portela

Título: Ioga - uma introdução

Autor: Marcos Portela (todos os textos)

Visitas: 0

228 

Comentários - Ioga - uma introdução

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O meu instrumento musical avariou!

Ler próximo texto...

Tema: Instrumentos Musicais
O meu instrumento musical avariou!\"Rua
É inevitável que, mais cedo ou mais tarde, um instrumento musical precise de reparação.

Mesmo que conheçamos bem o nosso instrumento e o consigamos arranjar, na maioria das vezes é necessário um técnico para o fazer com a melhor das qualidades.

Eventualmente, nem será necessário existir um problema com o instrumento, poderá ser apenas uma questão de manutenção. 

No caso de uma guitarra, por exemplo, qualquer instrumentista é perfeitamente capaz de substituir uma corda partida e tirar da guitarra o mesmo som que ela tinha.

No entanto, existem reparações, seja uma amolgadela no tampo ou uma tarraxa arrancada, que convêm ser feitas por técnicos especializados.

Por norma, as próprias casas que vendem instrumentos musicais efectuam essas reparações ou são capazes de aconselhar técnicos para as fazer.

Mediante o instrumento musical em questão, a reparação ou manutenção poderá ser mais cara. É sempre mais fácil arranjar um técnico que repare um piano do que um que arranje oboés.

Apesar de ser normal cuidar do nosso instrumento musical regularmente, os percalços acontecem todos os dias. Para os contornar, há sempre alguém que nos poderá aconselhar melhor do que nós próprios.

Apesar de poder sair mais caro, temos também a certeza de que o nosso instrumento foi arranjado por especialistas no assunto.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:O meu instrumento musical avariou!

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • luiz fabiano 18-02-2012 às 15:48:28

    boa tarde amigos preciso de um cabo flex da lcd da camera g70 se aulguem tiver mande um email obrigado

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios