Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Criogenia- Ciência da congelação

Criogenia- Ciência da congelação

Categoria: Outros
Visitas: 18
Criogenia- Ciência da congelação

A ciência está sempre em constante evolução e transformação, trazendo á luz novas descobertas e conhecimentos.

Antigamente era impensável saber que era pssível preservar a vida sob as mais variadas formas à custa do complexo processo de congelamento a um nível atómico.

Nos dias de hoje descobriu-se o fabuloso e desafiante mundo do ultrafrio, graças á nova ciência chamada criogenia ou ciência da congelação.

Em termos mais simples, a criogenia é a ciência do extremamente frio, em que é opossível congelar pessoas ou animais mortos, na esperança de uma reanimação futura, a chamada criogenização.

Na verdade ela é uma alternativa ao enterro, e estuda as propriedades e aplicações de líquidos, materiais e ambientes extremamente frios.

Quando se fala em ambientes frios, refere-se a temperaturas abaixo de 150 graus Celsius, que constitui o estado mais frio da matéria. Mas, os investigadores, para obterem temperaturas mais baixas, têm de alterar os estados naturais dos gases, como o hélio e o azoto, dois dos elementos mais abundantes no universo.

O azoto é um gás à temperatura ambiente, mas graças À criogenia, é possível baixar a sua temperatura, tornando-o um líquido superfrio, fácil de armazenar e transpoertar em tanques vácuos.

È evidente que tudo isto só é possível, graças à Física, que é capaz de arrefecer os gases, usando permutadores de calor. Depois de arrefecido e comprimido, o ar é pulverizado para um grande tanque de armazenamento, baixando drásticamente a temperatura até ficar liquefeito. Em seguida o ar é destilado e separado dos elementos que o compõem, como o azoto, xigénio, hidrogénio e hélios líquidos.

Estes líquidos arrefecidos são os conhecidos refrigerantes, de temperaturas artificialmente baixíssimas.

Estes resultados foram de tal modo revolucionários, que foi possível, graças aos motores de combústivel líquidos, fazer um voo espacial. Estes combustíveis líquidos podem inclusivamente arrefecer foguetes sobreaquecidos.

Além disso é possível, através desta ciência, arrefecer certos metais e compostos quimicos que conduzem a eletricidade sem perca de energia.
A crigenia é uma ciência fantástica, em virtude de oferecer uma forma eficaz e segura de preservar amostras de tecido vivo, em laboratórios, bancos de sangue, hospitais e clínicas, que congelam óvulos, embrióes, bactérias, vírus e tecidos vegetais.

Estas células vivas armazenadas a temperaturas criogénicas, ficam animadase a salvo da morte ou deterioração das células.

Deste modo, é possível após vinte anos, serem descongeladas e usadas com sucesso na fertilização in vitro. È o caso do esperma e embriões de milhares de espécies animais e vegetais que são congeladas durante muito tempo.

Em todo o mundo, biólogos e cientistas, estão a preservar amostras, para criar uma espécie de "Arca de Noé", de espécies ameaçadas de extinção, a fim de as preservar no futuro.

Esta é sem dúvida a mais espetacular transformação que é possível fazer através da ciência da congelação ou ultrafrio.


Pedro gil Ferreira

Título: Criogenia- Ciência da congelação

Autor: Pedro gil Ferreira (todos os textos)

Visitas: 18

698 

Comentários - Criogenia- Ciência da congelação

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Boyhood um filme que você não espera muito, mas encontra bastante.

Ler próximo texto...

Tema: DVD Filmes
Boyhood um filme que você não espera muito, mas encontra bastante.\"Rua
Finalmente assisti Boyhood. O filme sugerido por um amigo há alguns dias atrás que, tirando o fato de ser sido feito em 12 anos, nunca tinha me chamado a atenção. Lembro de visto os comentários na época do Oscar, mas mesmo assim não estava empenhado em vê-lo.

Quando me falaram que era estilo real life, torci mais ainda o nariz, achando que veria algo no esquema, “Atividade Paranormal”, que para mim usa a desculpa de “semidocumental” para justificar péssimas atuações.
No entanto, mesmo com a expectativa baixa, nas primeiras cenas do filme já comecei a mudar de ideia e conforme o mesmo avançava iam surgindo frases do tipo: “Opa, talvez só pela trilha sonora já valha a pena! ”, ou “Caraca, essas crianças estão ótimas nesses papéis! ”, ou ainda “Até o Ethan Hawke, está legal nesse filme! ”. Até passar da metade e começarem os comentários tipo: “Ah meu Deus, não quero plot twist, quero que tudo acabe bem com o Mason e sua família”, ou “Por favor sem surpresas no final, eu quero apenas um final feliz! ”.

Eu realmente fiquei muito surpreso com o filme. (SPOILLERS daqui pra frente). Não com o roteiro e como eu disse acima: ainda bem. A história e super comum. O final é comum como o esperado, com exceção da Mãe de Mason, Olivia Ewans. Esta só teve o seu digno final na cerimônia do Oscar quando a atriz Patrícia Arquete, que interpretou a mãe, venceu como atriz coadjuvante, e fez um discurso muito bom sobre a igualdade de direitos entre homens e mulheres.

No filme as situações lembram bastante a realidade, destaco uma cena em que o Ethan Hawke, está conversando com sua nova esposa em uma festa para comemorar a formatura de Mason no colegial e sua ex-sogra, fica interrogando-os com algum assunto qualquer, depois que ela saiu de perto deles eles ficam rindo e fazendo umas caretas comentando tipo: “que conversa estranha! ”, ou algo assim, coisas que todos fazemos, mas muitas vezes nem reparamos. Esses tipos de detalhes do cotidiano foram muito bem captados, pelo diretor e exposto de forma muito natural.

Fica essa dica de um filme muito interessante, que vale a pena ser visto por toda a família, inclusive para quem tem olhos mais clínicos, pois poderá perceber sutilezas nos cenários e nos diálogos que foram muito bem construídos.

Pesquisar mais textos:

Jhon Erik Voese

Título:Boyhood um filme que você não espera muito, mas encontra bastante.

Autor:Jhon Erik Voese(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Leputs 20-08-2015 às 22:32:59

    Boa critica, vim por recomendação de um user de um fórum e acabei lendo suas outras resenhas, na minha opinião as primeiras resenhas que você fez eram mais profissionais, agora elas estão pendendo mais para um lado "não crítico". Recomendo você dar uma relida nas antigas que da para aproveitar muita coisa.
    No mais curti muito sua forma de interpretação e relato. Parabéns.

    ¬ Responder
  • Jhon Erik VoeseJhon Erik Voese

    21-08-2015 às 23:42:37

    Opa obrigado pelo seu tempo e pelo conselho.
    Sem querer me justificar, mas já o fazendo ainda estou trabalhando nesse meu estilo de escrita e por isso tenho experimentado um pouco. Meu intuito na verdade era buscar um diferencial nas críticas e resenhas sem ficar muito preso a somente descrição da obra, mas realmente ser parcial, ou até passional, como você pode ler nessa última, até pra gerar debates e expor um pouco do que eu "senti" logo que terminei de ver os filme, ou de ler os livros. Mas seu conselho está anotado, pois entendo que tenho que encontrar um equilíbrio entre a paixão e o profissional, para que não vire um relato de diário. Mais uma vez agradeço pelo feedback e espero que continue acompanhando, pois muito virá depois destes!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios