Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > O (imprescindível) papel da mulher na Igreja Católica

O (imprescindível) papel da mulher na Igreja Católica

Categoria: Outros
Visitas: 77
O (imprescindível) papel da mulher na Igreja Católica

A figura de Jesus apaixona muita gente, entre católicos e não católicos. De facto, a Sua irreverência, criatividade, simplicidade desconcertante, coragem, docilidade e capacidade de desafiar (movido pela justiça e não por rebeldia) o poder instituído suscitam admiração e convidam à reflexão.

A questão do papel da mulher na Igreja pode ser lida à luz da actuação do fundador do Cristianismo: o próprio Cristo. Numa sociedade em que as estruturas patriarcais relegavam a mulher para segundo plano (ou terceiro, ou quarto…), tal-qualmente os marginalizados, Jesus Cristo teve a audácia de Se aproximar delas, de lhes delegar tarefas e de as tratar com igualdade. São Paulo dá-nos a conhecer mulheres concretas e as funções que elas desempenhavam nas comunidades a que pertenciam, havendo marcas dessa presença.

Não obstante, é sabido que à mulher não são permitidos determinados tipos de participação eclesiástica, à semelhança do que acontece noutros âmbitos, desde a política, à cultura e à ciência, tal como sucedia na Idade Média, onde não se previa um lugar para as mulheres na vida pública. Ainda assim, há teólogos que defendem que no Cristianismo a mística das mulheres, o seu encontro com Deus, é substancialmente mais forte do que em qualquer outra religião. Por outro lado, as correntes marianas dentro da Igreja Católica vieram melhorar a condição da mulher, salvando-a, inclusive, de circunstâncias que ditavam aos maridos uma pretensa legitimidade de as considerar como “propriedade” sua.

No século xix ocorreu a explosão das congregações femininas, que mais do que à oração, se dedicavam à prestação de cuidados de saúde, à educação e à caridade. As abadessas dos conventos, sobretudo nos países germânicos, funcionavam como conselheiras dos bispos, exercendo um poder e uma influência não raras vezes bastante superior aos do clero em geral. Houve mulheres, como Brígida da Suécia ou Catarina de Sena, que tiveram a ousadia de interpelar os homens do seu tempo e pôr em causa o rumo que eles levavam e a direcção da própria Igreja, o que para a época era um inqualificável atrevimento.

Actualmente, e dado que as nações passaram a assumir a responsabilidade de apoio à pobreza, a acção das religiosas dirige-se mais para franjas da sociedade e problemáticas emergentes ainda sem resposta civil. É o caso do auxílio às prostitutas oferecido pelas Irmãs Oblatas e da ajuda a mulheres vítimas de tráfico sexual, dispensada pelas Irmãs Adoradoras. Trata-se de um empenho na linha da frente da promoção humana em Portugal, cujo lema poderia ser: «De mulher para mulher.»

Certo é que a Igreja não seria o que é se não se constatasse a presença de inúmeras mulheres em áreas como a maternidade, a assistência e a transmissão da fé. Mas há quem reclame para a mulher mais, que é como quem diz um aproveitamento adequado dos valiosos talentos femininos, reclamando o direito de acesso aos ministérios consagrados, mormente numa altura de crise de vocações. Por enquanto, contudo, mantém-se a exclusividade no que respeita à ordenação sacerdotal de homens, embora as responsabilidades da mulher estejam nitidamente a crescer. Afinal, complexos de inferioridade e superioridade à parte, não existem papéis maiores ou menores no cenário da missão evangelizadora; o que há é protagonismos diferentes com a mesma dignidade.


Maria Bijóias

Título: O (imprescindível) papel da mulher na Igreja Católica

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 77

808 

Imagem por: Dan44

Comentários - O (imprescindível) papel da mulher na Igreja Católica

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O Mito da Entrevista de Emprego

Ler próximo texto...

Tema: Empresariais
O Mito da Entrevista de Emprego\"Rua
Aguardando há meses pela oportunidade de um novo emprego e após ser aprovado em várias etapas do processo de seleção eis que surge um empecilho: a entrevista de emprego.

Diversas dúvidas passam pela cabeça do candidato como o que vestir, como sentar-se, qual o tom de voz adequado, o que o entrevistador espera como resposta e como impressioná-lo provando ser a pessoa certa para a vaga a ser ocupada.

A verdade é que não há regra que garanta o sucesso em uma entrevista, porém, algumas atitudes e cuidados precisam ser tomados. Abaixo seguem 10 dicas que auxiliarão o candidato enfrentar essa fase do processo de seletivo de forma mais segura, não importando a área ou cargo pretendido.

1. Seja pontual. A pontualidade é uma forma de demonstrar respeito, consideração e compromisso com a empresa, porém, ser pontual não significa ser precipitado, chegando com muito tempo de antecedência. Para isso programe-se: quanto tempo você levará para chegar até o local combinado para a entrevista? E se houver algum tipo de atraso? Programe-se para que os prazos possam ser cumpridos. Se o atraso for inevitável entre em contato com a empresa e explique o motivo para o mesmo solicitando a possibilidade de remarcar o compromisso.

2. Vista-se de maneira condizente ao cargo que irá ocupar. Mesmo parecendo ser uma superficialidade, a forma como o candidato se veste pode influenciar a decisão do entrevistador, portanto, causar uma boa impressão é essencial. Para isso pesquise o perfil da empresa, se possível observe a forma como os funcionários se vestem e use na entrevista algo um pouco mais formal do que usaria todos os dias para ir ao trabalho.

3. Zele por uma boa aparência. Como descrito acima causar uma boa impressão é essencial, dessa forma, a higiene pessoal é indispensável. Vale ressaltar que perfumes e maquiagem exagerados são pontos negativos em uma entrevista.

4. Tenha em mente suas principais realizações profissionais e as evidencie. Quais os principais desafios que essas lhe trouxeram e o que aprendeu em cada uma delas. Se é seu primeiro emprego vale ressaltar suas experiências escolares e acadêmicas como trabalhos em grupos, projetos realizados, programas de estágio e trainee.

5. Tenha atitudes positivas. Um método de entrevista consiste em perguntas aparentemente absurdas que não possuem, necessariamente, respostas prontas. O que ele deseja na verdade é avaliar seu raciocínio lógico, portanto, seja criativo, argumente e crie estratégias para sair dessa saia justa.

6. Seja genuíno e autentico. Mesmo estando sob pressão seja você na entrevista. Não minta nem use máscaras. O recrutador provavelmente perceberá que você não está sendo sincero.

7. Tenha argumentos. “Por que você quer trabalhar aqui?” ou “Quais serão suas contribuições para essa empresa?” são perguntas básicas em uma entrevista de empregos. Portanto, tenha bons argumentos para esses questionamentos.

8. Mostre-se interessado. Faça perguntas plausíveis ao entrevistador.

9. Seja gentil e educado a todo o momento. Muitas empresas costumam analisar o candidato no momento em que esse inicia o processo seletivo.

10. Mostre-se confiante. Se você fará a entrevista de emprego é porque já passou por outras fases do processo seletivo, ou seja, tem muitos pontos a seu favor. Acredite no seu potencial .

Outros textos do autor:
O Mito da Entrevista de Emprego

Pesquisar mais textos:

Mabelly Venson

Título:O Mito da Entrevista de Emprego

Autor:Mabelly Venson(todos os textos)

Imagem por: Dan44

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios