Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Lembras-te?

Lembras-te?

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Lembras-te?

Lembras-te do alarido dos pássaros esvoaçando por sobre as árvores naquelas manhãs ensolaradas de há tantos anos atrás?
Lembras-te de quando corríamos todos juntos, descalços pela calçada?
Lembras-te das brincadeiras despreocupadas que fazíamos por todo o lugar?
Lembras-te de como éramos felizes nesse tempo? Como os dias eram compridos e dava tempo para fazer tudo o que queríamos fazer?
Lembras-te como podíamos deitar tarde e acordar ainda mais tarde sem que ninguém nos criticasse por isso? Foi há tanto tempo…

Hoje não se pode ser miúdo como há trinta anos atrás, hoje as crianças não podem correr livremente pelas ruas sem guarda ou proteção. Hoje podem ser apanhadas por vírus e bactérias que são inventados todos os dias… Hoje estes meninos que andam por aí podem ser encontrados por bandidos pedófilos, ser raptados, exportados, maltratados e mortos… Hoje o tempo passou e o evoluir da tecnologia, da ciência, da pedagogia, e de tantas outras “ias” não consegue defender as crianças indefesas de tanta loucura que anda por aí.

À medida que o tempo passa, à medida que a ciência avança, à medida que determinados vírus vão sendo banidos, vão surgindo outros de muito maiores proporções que não são mais do que as próprias pessoas, más, com intenções devoradoras, capazes de menosprezar tudo o que é bom, tudo o que é puro, tudo o que é digno e capaz, se isso favorecer o seu próprio interesse…

Hoje temos o mundo que nós próprios criámos. Nós, uma geração que brincava tranquilamente na rua, criámos um mundo que rouba essa possibilidade à geração vindoura.

Que fazer para mudar este estado de coisas? Nada a fazer pela humanidade… precisamos mudar nós próprios, fazer por nós próprios, um homem só não pode mudar o muno inteiro, ainda que muitos o têm influenciado com as suas atitudes e crenças particulares, mas cada ser humano pode mudar-se a si mesmo, policiar-se a si mesmo, e contribuir assim, para que à sua volta haja menos ódio, menos egoísmo, menos arrogância, menos maldade.

Se todos individualmente fizermos alguma coisa, todos juntos faremos muita coisa, e ainda que muitos não façam nada, isto não é desculpa para fazermos coisa nenhuma. O esforço individual é o que alimenta o conjunto. Sejamos indivíduos sem nunca esquecer que somos sociais, produto de uma sociedade que exige algo de nós. Os nossos antepassados deixaram-nos um legado que não temos sabido levar adiante, mas nunca é tarde para tentar. Nunca é tarde para começar. Nunca é tarde para fazer.


Ana Sebastião

Título: Lembras-te?

Autor: Ana Sebastião (todos os textos)

Visitas: 0

602 

Comentários - Lembras-te?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Contador de moedas

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Material Escritório
Contador de moedas\"Rua
O mundo dos negócios exige um grande dispêndio de energia e muitas horas de trabalho. No entanto hoje já é possível fazer recurso da alta tecnologia para poupar tempo e dinheiro. O recurso às funções do computador para o comércio facilita e atrai muitos clientes para empresas e comerciantes. No que diz respeito a contas é possível fazer uma contagem rápida e eficaz do dinheiro, sem passar horas a contar e com o risco de engano. É por isso que cada vez mais pessoas ligadas a negócios e serviços optam por adquirir um contador de moedas. Deste modo sabem que poupam tempo e não falham na sua contagem.

Dos inúmeros equipamentos que a alta tecnologia põe ao dispor, este é sem dúvida um equipamento que beneficia em muito o trabalho de muita gente. Por ser pequeno é muito cómodo e exige pouco espaço, ou melhor pode ser colocado em qualquer lugar.

Torna-se evidente que as novas tecnologias vieram para simplificar a vida e trazem muitas vantagens, rentabilizam e poupam tempo. No caso do contador de moedas, sem enganos, falhas e complicações. É o ideal para ter num escritório de uma empresa, em escolas, cafés, pastelarias, salões de jogos, bancos, cinema, serviços financeiros e de tesouraria e outros ligados a serviços públicos e privados.

Em resumo, se está ligado a qualquer trabalho de comércio ou serviços pode poupar muto tempo e problemas apenas colocando um equipamento destes no seu espaço de trabalho. As suas vantagens são inúmeras, em especial: permite realizar uma contagem rápida das moedas dividindo-as e fazendo a sua soma, conta o total das moedas, o valor total em cada tipo de moedas e a quantidade de todas as moedas.

Contem e separa no mínimo duzentas e vinte moedas por minuto, sem erro, conta e separa tudo no mesmo equipamento, permite alimentar o aparelho com quantidades entre as trezentas e quinhentas moedas de cada vez e continuar a adicionar mais moedas enquanto está a contar. Além disso o aparelho pode ser programado para separar um número de moedas predeterminado.

O seu design é bastante inovador e resistente. Os materiais de elevada qualidade, de fácil ligação e paragem automática.

Possui uma elevada funcionalidade, baixo consumo (70W), pouco peso, aproximadamente quatro kg, velocidade ultra rápida, pequena dimensão e estão todos certificados pela EU. Deste modo também possuem garantia, são fáceis de usar e de arrumar.

As suas funções práticas permitem que o contador de moedas possa estar em qualquer lugar.

Pesquisar mais textos:

Teresa Maria Batista Gil

Título:Contador de moedas

Autor:Teresa Maria Gil(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios