Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Cálculo estrutural: Principais Componentes!

Cálculo estrutural: Principais Componentes!

Categoria: Outros
Visitas: 2
Cálculo estrutural: Principais Componentes!

O cálculo estrutural precisa de dois componentes fundamentais para que o projeto seja bem-sucedido: demanda e capacidade. Veja tudo que precisa saber para empreender seu projeto contando com inovação tecnológica cada vez mais avançada!

No âmbito da engenharia, a estruturação de um prédio, edifício ou qualquer projeto complexo requer um estudo sucinto avaliando diversos aspectos.

É preciso considerar, antes de tudo, tanto os fatores internos como externos para que eles possam ser capazes de gerar maior segurança ao local e pessoas que transitarão por ele.

Assim, o cálculo estrutural se utiliza de mecanismos como simulação virtual, softwares de CAE, elementos finitos, design de produto, inovação tecnológica a fim de identificar possíveis acidentes e incidentes, calcular demandas e capacidades de sustentação tornando-se, assim, como um grande instrumento para avaliação e premedição dos riscos.

Então, basicamente, cálculo estrutural tem como fundamento descobrir se o empreendimento que se está pensando em projetar é estruturalmente sólido e economicamente viável. Para isso, ele conta com demanda e capacidade. Vejamos cada um deles!

Componentes fundamentais no cálculo estrutural

Demanda e capacidade são de suma importância para o cálculo estrutural. Sendo assim, em se tratando de forma puramente técnica do projeto de engenharia estrutural, a sua principal função é comparar demanda com capacidade. Vejamos alguns detalhes cruciais abaixo.

Demanda

Compreensão da física mecânica culminando no estudo da estática (forças dinâmicas que afetam as estruturas).
Calcular cargas (pessoas, terremotos, neves, ventos, móveis, peso da própria estrutura) com base em pesquisas anteriores.
Essas cargas precisam ser capazes de manter o prédio, edifício etc.
Capacidade

Verificar a capacidade de transportar cargas já transportadas.
A capacidade de um edifício é calculada utilizando a ciência material e mecânica.

Cargas de estimativa e capacidade estrutural são subestimadas.
Nesse contexto, os profissionais de engenharia e arquitetura (design de produto) estão trabalhando interligados. Da mesma forma que deverá ser previsto riscos à segurança (até que ponto?), do outro, é preciso saber quais materiais utilizar.

E daí, vem à pergunta: Como prever? Como fazer essa estimativa tendo em vista que essa estrutura tão complexa deverá ser sólida, firme e sem abalos, caso exista algum fenômeno natural, por exemplo, tornado? Tudo isso deverá ser analisado tecnicamente e tecnologicamente.

Inovação tecnológica avançada para o cálculo estrutural

Com a inovação tecnológica cada vez mais avançada, é possível que todas essas premissas sejam supridas com sucesso visando também a economia, tanto de tempo como dinheiro.

Assim, para recolher informações e auxiliar nesse processo, o cálculo estrutural conta com sistemas computacionais especializados e ajuda de microcomputadores cada vez mais modernos.

Os softwares de CAE - Computer Aided Engineering são altamente decisivos para essa atividade, tais como:

1 -ANSYS
2 - FEMFAT
3 - Mechanical Simulatons
4 - Virtual.PYXIS

Para que você compreenda melhor toda essa inovação tecnológica, leia o nosso post Use cálculo estrutural para alavancar novos negócios e fique por dentro de como ele pode ser muito útil e o diferencial em sua empresa. Agora, veja um pequeno resumo do que envolve essa modernidade da engenharia estrutural.

O cálculo estrutural envolve:

1) A identificação da utilização prevista e ocupação de uma estrutura

2) Desenvolvimento de planos e layout arquitetônico - pelo arquiteto

3) Identificação do quadro estrutural - pelo engenheiro

4) Estimativa de cargas estruturais dependendo do uso e ocupação

5) Análise da estrutura para determinar forças extremas, membros (quantidades) e conexões

6) Projeto dos elementos estruturais e suas ligações

7) Verificação do design de produto

8) Fabricação e Montagem - pelo fabricante de aço e empreiteiro

9) inspeção e aprovação - pelo oficial de construção do estado

10) Otimização estrutural (melhor custo benefício).

Como visto, o cálculo estrutural é muito complexo e envolve muitos aspectos e também profissionais que se juntam para alinhar o trabalho a fim de que seja bem-sucedido.

Por isso, é preciso contar com todo o suporte da tecnologia para que o empreendimento possa resultar em algo seguro, previsível e com estrutura sólida.

Se você ficou ainda em dúvida, então deixe seu comentário abaixo. Caso queira acrescentar algo que não esteja descrito, fique à vontade.


Adriana Santos

Título: Cálculo estrutural: Principais Componentes!

Autor: Adriana Santos (todos os textos)

Visitas: 2

1 

Comentários - Cálculo estrutural: Principais Componentes!

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Dicas para decorar salas pequenas.

Ler próximo texto...

Tema: Decoração
Dicas para decorar salas pequenas.\"Rua
A realidade das grandes cidades é que a maioria das pessoas mora em espaços pequenos. É fato também que todos desejam ter um ambiente acolhedor e aconchegante para receber amigos. Em contrapartida, na medida em que os espaços encolhem, a quantidade de aparelhos eletrônicos que utilizamos aumenta cada vez mais. Há ainda quem use a sala como home-office.

Nesta busca de inspiração para organizar e incrementar sua sala, encontramos uma série de sites especializados e blogs com muitas, muitas ideias. O conceito de D.I.Y. (do it yourself) que significa "faça você mesmo” nunca esteve tão na moda. É uma alternativa para reduzir gastos com mão de obra e nada melhor do que criar um espaço com um toque todo seu. Inspirações e ideias não faltam. Hoje, de certa forma todos nos sentimos meio decoradores.

Mas planejar a decoração de uma sala pequena exige alguns cuidados para que o ambiente não fique entulhado de móveis, disfuncional ou até mesmo desagradável.

Confira algumas dicas para decorar sua sala com estilo e valorizando seu espaço:
Os espelhos, além da autocontemplação, causam efeitos interessantes. Aplicados, por exemplo, em uma parede inteira pode duplicar a amplitude do ambiente. Pode ser usado também em móveis, tetos, em diversos formatos e valorizar a luminosidade da decoração.

As cores tem poder de causar sensações. Em ambientes com pouco espaço, elas podem colaborar para que a sensação de amplitude possa tanto aumentar quanto diminuir. Para pintar as paredes de sua sala aposte em cores claras. O teto com uma cor mais clara que a das paredes, por exemplo, pode simular uma elevação do teto, já em uma cor mais escura, promoverá uma sensação de rebaixamento do teto.

A escolha e posição dos móveis são um aspecto muito importante. Opte por poucos móveis, nunca de tamanhos exagerados e posicione-os de forma que valorize o espaço. Móveis que misturam poucos materiais, baixos e com linhas retas proporcionam leveza ao ambiente.

Uma solução muito interessante para espaços pequenos é a utilização de prateleiras. Caixas para produtos horto frutícolas reformadas podem se tornar lindas prateleiras. Mas cuidado com a profundidade, para não atrapalhar na disposição de outros móveis e objetos.

Móveis multifuncionais ou móveis inteligentes são excelentes alternativas para uma sala pequena. Um bom exemplo são pufes, que podem ser usados como mesas de centro ou ficarem alojados debaixo de aparadores e quando recebemos visitas podem se transformar em assentos extras. Mesas dobráveis também são uma ótima opção.

Escolher o mesmo piso ou revestimento pode dar a impressão de área maior, de continuidade. Mudanças drásticas de um ambiente para outro pode causar a sensação de divisão e consequentemente fazer parecer menor.

Algumas outras dicas: um sofá retrátil ou reclinável garante muito mais conforto e ocupa o espaço de um sofá simples. Suporte ou painéis móveis para TV possibilitam que ela seja movida na direção desejável. Caso o ambiente tenha escadas, escolher um modelo de escadas vazadas evita divisões e pode se tornar uma peça de destaque na sala. E para as cortinas, escolha tecidos leves, lisas e sem estampas.

De qualquer forma, ouse, não tenha medo de arriscar, crie, não copie, só assim será seu!

Luciana Santos.

Outros textos do autor:
Dicas para decorar salas pequenas.

Pesquisar mais textos:

Luciana Maria dos Santos

Título:Dicas para decorar salas pequenas.

Autor:Luciana Maria Santos(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Carlos Rubens Neto 16-06-2016 às 16:20:24

    Excelente matéria! Parabéns Luciana ;)

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios