Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > O que não devemos fazer: Esperar!

O que não devemos fazer: Esperar!

Categoria: Outros
O que não devemos fazer: Esperar!

Esperamos sempre esperar esconder litigiosamente o que nos enfraquece, o que nos pesa ou simplesmente o que não gostaríamos de ver revelado. Se tímidos convém-nos passar despercebidos, esperando que o mundo se alheie á nossa existência, ora, se extrovertidos pesa-nos a monotonia e esperamos ver o mundo olhando os nossos olhos curiosos.

Esperamos que o Amor de agora seja o de amanha e depois e depois… ou não, podemos até esperar um encontro relâmpago, um romance fugaz! O certo a que na nossa vida esperamos e continuamos a esperar, na esperança que o esperado finalmente justifique a espera e passamos assim uma vida, á espera.

Espera-se porque se acha que não é a altura indicada para o que se espera, ficamos esperando porque até se quer o que se sonha ter mas dá trabalho lá chegar, e continuamos, acordando á espera, comendo á espera, bebendo até á espera, e, por fim adormecendo á espera. Enfim uma vida de esperas sem que uma única espera justifique a injuriada espera.

De tanto esperar, esperamos, e sem nos apercebermos na realidade nada fazemos. Depois, ironicamente surgem-nos aquelas perguntas cujas respostas são sempre nada, interrogações acerca do que se quer, se perspectiva ou mesmo do que se faz são sempre as principais candidatas ao nada. Mas miraculosamente o nada dá sempre um bom tema de conversa, seja ao telefone, na cama, no sofá ou mesmo na esplanada de um café. O certo a que quando damos por nós esperamos o nada, servimo-nos dele, confiamos-lhe os nossos desejos, dormimos junto a ele, partilhamos até com o nada a nossa alegria de nada fazer. E quando estamos á espera de algo que lá no fundo sabemos não ser rigorosamente nada eis que nos surge algo que pode ser qualquer coisa.

E o qualquer coisa pode ser o chilrear de uma pássaro a voar dando sinal de vida, o reflexo de uma teia de aranha pendurada em casca de carvalho decomposto, pode ser até o germinar de erva daninha debaixo de camadas de sedimentos.

Esperamos á sombra de pedregulhos petrificados nas encostas dos montões, esperamos nos vales desidratados pelo calor, e no entanto não encontramos qualquer razão para o fazer, fazemo-lo porque o vimos ser feito e pronto. Somos bichos-do-mato, assustadiços, somos tojos que não ousam ser tocados e gestas que não dão flor, somos tanto e tão pouco, somos tanta outra coisa que nem sonhamos poder ser.

Identificamo-nos pela solidão, por aquilo que fazemos, que é nada, somos gente esperando algo que tarda em acontecer, somos o ouro que não reluz, a prata que não oxida, somos o “sal da terra” que perdeu o gosto e o rumo e que se limita a esta espera infernal por algo, que sabemos não ser nada mas que tarda em advir.

Somos os habitantes do Monte de Lá e do Monte de Cá, os peregrinos encalhados durante gerações, os habitantes da terra isolada. Somos a lembrança que ainda resta de um mundo em conformidade com o transcendente, somos o povo reduzido que suportou o tempo, somos o diminuto contacto com a sociedade corrompida, somos a vida que teima em não dissipar.
Somos a casa no fundo da serrania suportada pelas lajes anosas de granito e o isolamento arrabalde, somos nós, os miseráveis e o envolvente...



Joel Lourenço

Título: O que não devemos fazer: Esperar!

Autor: Joel Lourenço (todos os textos)

Visitas: 0

621 

Comentários - O que não devemos fazer: Esperar!

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Dicas para decorar salas pequenas.

Ler próximo texto...

Tema: Decoração
Dicas para decorar salas pequenas.\"Rua
A realidade das grandes cidades é que a maioria das pessoas mora em espaços pequenos. É fato também que todos desejam ter um ambiente acolhedor e aconchegante para receber amigos. Em contrapartida, na medida em que os espaços encolhem, a quantidade de aparelhos eletrônicos que utilizamos aumenta cada vez mais. Há ainda quem use a sala como home-office.

Nesta busca de inspiração para organizar e incrementar sua sala, encontramos uma série de sites especializados e blogs com muitas, muitas ideias. O conceito de D.I.Y. (do it yourself) que significa "faça você mesmo” nunca esteve tão na moda. É uma alternativa para reduzir gastos com mão de obra e nada melhor do que criar um espaço com um toque todo seu. Inspirações e ideias não faltam. Hoje, de certa forma todos nos sentimos meio decoradores.

Mas planejar a decoração de uma sala pequena exige alguns cuidados para que o ambiente não fique entulhado de móveis, disfuncional ou até mesmo desagradável.

Confira algumas dicas para decorar sua sala com estilo e valorizando seu espaço:
Os espelhos, além da autocontemplação, causam efeitos interessantes. Aplicados, por exemplo, em uma parede inteira pode duplicar a amplitude do ambiente. Pode ser usado também em móveis, tetos, em diversos formatos e valorizar a luminosidade da decoração.

As cores tem poder de causar sensações. Em ambientes com pouco espaço, elas podem colaborar para que a sensação de amplitude possa tanto aumentar quanto diminuir. Para pintar as paredes de sua sala aposte em cores claras. O teto com uma cor mais clara que a das paredes, por exemplo, pode simular uma elevação do teto, já em uma cor mais escura, promoverá uma sensação de rebaixamento do teto.

A escolha e posição dos móveis são um aspecto muito importante. Opte por poucos móveis, nunca de tamanhos exagerados e posicione-os de forma que valorize o espaço. Móveis que misturam poucos materiais, baixos e com linhas retas proporcionam leveza ao ambiente.

Uma solução muito interessante para espaços pequenos é a utilização de prateleiras. Caixas para produtos horto frutícolas reformadas podem se tornar lindas prateleiras. Mas cuidado com a profundidade, para não atrapalhar na disposição de outros móveis e objetos.

Móveis multifuncionais ou móveis inteligentes são excelentes alternativas para uma sala pequena. Um bom exemplo são pufes, que podem ser usados como mesas de centro ou ficarem alojados debaixo de aparadores e quando recebemos visitas podem se transformar em assentos extras. Mesas dobráveis também são uma ótima opção.

Escolher o mesmo piso ou revestimento pode dar a impressão de área maior, de continuidade. Mudanças drásticas de um ambiente para outro pode causar a sensação de divisão e consequentemente fazer parecer menor.

Algumas outras dicas: um sofá retrátil ou reclinável garante muito mais conforto e ocupa o espaço de um sofá simples. Suporte ou painéis móveis para TV possibilitam que ela seja movida na direção desejável. Caso o ambiente tenha escadas, escolher um modelo de escadas vazadas evita divisões e pode se tornar uma peça de destaque na sala. E para as cortinas, escolha tecidos leves, lisas e sem estampas.

De qualquer forma, ouse, não tenha medo de arriscar, crie, não copie, só assim será seu!

Luciana Santos.

Outros textos do autor:
Dicas para decorar salas pequenas.

Pesquisar mais textos:

Luciana Maria dos Santos

Título:Dicas para decorar salas pequenas.

Autor:Luciana Maria Santos(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Carlos Rubens Neto 16-06-2016 às 16:20:24

    Excelente matéria! Parabéns Luciana ;)

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios