Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > O porquê das inundações

O porquê das inundações

Categoria: Outros
Comentários: 1
O porquê das inundações

O melhor exemplo de enchente sazonal seja a da expansão anual do rio Nilo sobre o Egito. No Egito antigo, as chuvas de monções no nascente do rio levavam o curso da água a se estender por uma boa distancia durante o verão. Neste caso a inundação não é um desastre, mas sim um ato divino. As águas que se expandirão deixaram sedimentos férteis ao longo das margens, tornando a área ideal para o cultivo, uma vez que o rio voltou ao seu curso normal. Este é um dos principais fatores que permitirão que a civilização prosperar-se no deserto egípcio. Naqueles tempos o rio foi bloqueado por uma barragem feita contra a corrente. Este barragem absorve as águas pluviais e distribui-as durante o ano todo. Isso prolongou a estação de plantio assim, as fazendas egípcias poderão fazer com que a colheita seja feitas por todo o ano. Outra fonte comum de inundação é a atividade rara das marés, que aumenta o alcance dos oceanos, mas do que o normal. Isso pode ser causado devido os padrões de correntes aéreas que pressionam as águas dos oceanos para uma direção usual ela pode ser causada por um tsunami, onde ondas imensas em um oceano oriundo de uma mudança de eixo na crosta terrestre.

As enchentes também ocorrem quando uma barragem construída pelo homem é rompida. Muitas vezes, as barragens são construídas para modificar o curso dos rios para se adequar a um propósito. Basicamente as barragens abrigam as águas dos rios em um grande reservatório de água, para que desta forma, pode decidir quando aumenta ou diminui o fluxo do rio, ao invés de deixar a natureza decidir. Os engenheiros constroem barragens capazes de se adequar a qualquer volume acumulado de água e isso pode acontecer de acumular mais água do que os engenheiros inicialmente previam isso pode ocasionar que a barragem possa romper devido à pressão. Isso acontece em um volume massivo de água é liberado de uma única vez e causa uma torrente violenta. Uma enchente estava por vir mas muitos dispensaram o aviso acreditando ser um pânico infundado. Quando a torrente pegou a cidade mais de 2 mil pessoas foram atingidas em apenas alguns minutos. Saiba que a gravidade de uma enchente não depende somente do volume de água acumulado em um dado período de tempo, mas também da capacidade da terra de absorve este volume.

Como foi visto um desses elementos e o tamanho dos rios e das correntes em determinadas áreas. Um fator de grande importância é a capacidade de absolvição da terra. Quando chove, o solo age como uma esponja. Quando a terra esta saturada, ou seja, a brigou toda a água que podia qualquer outro volume de água acumulado deverá ser escoados.

Waldiney Melo

Título: O porquê das inundações

Autor: Waldiney (todos os textos)

Visitas: 0

761 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

Comentários - O porquê das inundações

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Pulp Fiction: 20 anos depois

Ler próximo texto...

Tema: Arte
Pulp Fiction: 20 anos depois\"Rua
Faz hoje 20 anos que estreou um dos mais importantes ícones cinematográficos americanos.

Pulp Fiction é um marco do cinema, que atirou para a ribalta Quentin Tarantino e as suas ideias controversas (ainda poucos tinham visto o brilhante “Cães Danados”).

Repleto de referências ao cinema dos anos 70 e com uma escolha de casting excepcional, Pulp Fiction conquistou o público com um discurso incisivo (os monólogos bíblicos de Samuel L. Jackson são um exemplo disso), uma violência propositadamente mordaz e uma não linearidade na sucessão dos acontecimentos, tudo isto, associado a um ritmo alucinante.

As três narrativas principais entrelaçadas de dois assassinos, um pugilista e um casal, valeram-lhe a nomeação para sete Óscares da Academia, acabando por vencer na categoria de Melhor Argumento Original, ganhando também o Globo de Ouro para Melhor Argumento e a Palma D'Ouro do Festival de Cannes para Melhor Filme.

O elenco era composto por nomes como John Travolta, Samuel L. Jackson, Bruce Willis, Uma Thurman e (porque há um português em cada canto do mundo) Maria de Medeiros.

Para muitos a sua banda sonora continua a constar na lista das melhores de sempre, e na memória cinéfila, ficam eternamente, os passos de dança de Uma Thurman e Travolta.

As personagens pareciam ser feitas à medida de cada actor.
Para John Travolta, até então conhecido pelos musicais “Grease” e “Febre de Sábado à Noite”, dar vida a Vincent Vega foi como um renascer na sua carreira.

Uma Thurman começou por recusar o papel de Mia Wallace, mas Tarantino soube ser persuasivo e leu-lhe o guião ao telefone até ela o aceitar.

Começava ali uma parceria profissional (como é habitual de Tarantino) que voltaria ao topo do sucesso com “Kill Bill”, quase 10 anos depois.

Com um humor negro afiadíssimo, Tarantino provou em 1994 que veio para revolucionar o cinema independente americano e nasceu aí uma inspirada carreira de sucesso, que ainda hoje é politicamente incorrecta, contradizendo-se da restante indústria.

Pulp Fiction é uma obra genial. Uma obra crua e simultaneamente refrescante, que sobreviveu ao tempo e se tornou um clássico.
Pulp Fiction foi uma lição de cinema!

Curiosidade Cinéfila:
pulp fiction ou revista pulp são nomes dados a revistas feitas com papel de baixa qualidade a partir do início de 1900. Essas revistas geralmente eram dedicadas às histórias de fantasia e ficção científica e o termo “pulp fiction” foi usado para descrever histórias de qualidade menor ou absurdas.

Pesquisar mais textos:

Carla Correia

Título:Pulp Fiction: 20 anos depois

Autor:Carla Correia(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios