Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Telemóveis > Testamos Os Métodos Para Burlar As Notificações De Mensagens Lidas (Whatsapp)

Testamos Os Métodos Para Burlar As Notificações De Mensagens Lidas (Whatsapp)

Categoria: Telemóveis
Visitas: 6
Testamos Os Métodos Para Burlar As Notificações De Mensagens Lidas (Whatsapp)

Na última quarta-feira, o WhatsApp adicionou o serviço que avisa ao usuário quando seu contato visualizou a mensagem enviada. A novidade - há muito aguardada - causou polêmica e, logo, internautas recorreram às redes sociais para reclamar e também sugerir mecanismos de burlá-la.

A equipe do EXTRA testou os diversos truques sugeridos e (infelizmente) até o momento não há uma forma de “enganar” o aplicativo.

Quando um usuário tiver visto a mensagem enviada a ele, o destinatário será notificado disso através de um duplo “tique” azul. Assim, um “tique” verde significa que a mensagem foi enviada. O duplo “tique” verde significa que a mensagem foi entregue ao usuário.

E, finalmente, o duplo “tique” azul significa que a mensagem enviada foi lida. Atenção! Em conversas em grupo, o duplo “tique” só ficará azul depois que todos os participantes tiverem lido a mensagem.

Usuários sugeriram três meios de burlar o temido duplo “tique” azul. Confira:
1. Ao receber a notificação de mensagem no WhatsApp, ative o modo avião. Desta forma, o aparelho ficará sem sinal de internet. Em seguida, abra a página do chat para ler a mensagem. Depois, saia do aplicativo e encerre-o - para que ele não rode em segundo plano. Por fim, saia do modo avião e volte a se conectar na internet. O duplo “tique” azul só vai aparecer quando o seu contato abrir a tela do chat novamente.

Testamos essa dica e não funciona. Embora seu destinatário não seja avisado imediatamente quando a mensagem for lida, cedo ou tarde, isso acontecerá.

2. Outro método alternativo é ler as mensagens através das notificações do smartphone. Tanto no sistama iOS quando no Android, as notificações do WhastApp podem aparecer em pop-up no alto da tela. Lendo-as (pelo menos em parte) por ali não vai criar o duplo “tique” azul.

Não funciona! O problema desse truque é que se a mensagem for muito longa, você só poderá ler o início dela.

3. Uma terceira opção é o usuário ir nas configurações do aplicativo e escolher para as mensagens aparecerem sempre em pop-up na tela. Se você lê-las pela janelinha e não direto na tela de chat, o serviço não avisará que a mensagem foi lida.

Essa sugestão não funciona! Mesmo lendo a mensagem pelo pop-up, o WhatsApp notifica o usuários que sua mensagem enviada foi lida.

Não tem jeito! Por enquanto, não descobrimos mecanismos para driblar o aplicativo e enganá-lo sobre a leitura das mensagens. Se você descobrir algum truque, avise-nos.


Celso Junior Juniorcis

Título: Testamos Os Métodos Para Burlar As Notificações De Mensagens Lidas (Whatsapp)

Autor: Celso Junior Juniorcis (todos os textos)

Visitas: 6

367 

Comentários - Testamos Os Métodos Para Burlar As Notificações De Mensagens Lidas (Whatsapp)

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Um caminho para curar o transtorno alimentar

Ler próximo texto...

Tema: Saúde
Um caminho para curar o transtorno alimentar\"Rua
De acordo com um relatório divulgado em novembro de 2014 pelo Comitê Permanente sobre o Status da Mulher, entre 600 mil a um milhão de canadenses cumprem os critérios diagnósticos para um transtorno alimentar em um dado momento. Problemas de saúde mental com ramificações físicas graves, anorexia e bulimia são difíceis de tratar.

Os programas públicos de internação frequentemente não admitem pacientes até que estejam em condição de risco de vida, e muitos respondem mal à abordagem em grupo. As clínicas privadas costumam ter listas de espera épicas e custos altos: um quarto custa de US$ 305 a US$ 360 por dia.


Corinne lutou juntamente com seus pais contra a bulimia e anorexia por mais de cinco anos. Duffy e Terry, pais de Corinne, encontraram uma clínica na Virgínia. Hoje, aos 24 anos, ela é saudável e está cursando mestrado em Colorado. Ela e seus pais acreditam que a abordagem holística, o foco individualizado e a estrutura imersiva de seu tratamento foram fundamentais para sua recuperação.

Eles sabem que tinham acesso a recursos exclusivos. "Tivemos sorte", diz Duffy. "Podíamos pagar por tudo." Mas muitos não podem.
A luta desta família levou-os a refletir sobre o problema nos Estados Unidos. Em 2013, eles fundaram a Water Stone Clinic, um centro privado de transtornos alimentares em Toronto. Eles fazem yoga, terapia de arte e participam na preparação de refeições, construindo habilidades na vida real com uma equipe de apoio empática. Os programas funcionam nos dias da semana das 8h às 14h, e até agora, não tem lista de espera. Porém essa abordagem é onerosa: aproximadamente US$ 650 por dia.

A família criou a Fundação Water Stone - uma instituição de caridade que fornece ajuda a pacientes que não podem pagar o tratamento. Os candidatos são avaliados por dois comitês que tomam uma decisão baseada na necessidade clínica e financeira. David Choo Chong foi o primeiro a se beneficiar da fundação. Ele havia tentado muitos programas, mas nenhum foi bem sucedido. A fundação pagou metade do tratamento. Dois anos depois, Choo Chong, feliz e estável diz "Water Stone me ajudou a encontrar quem eu sou".

Pesquisar mais textos:

Roberta Darc

Título:Um caminho para curar o transtorno alimentar

Autor:Roberta Darc(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios