Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Divórcio - Sim ou Não?

Divórcio - Sim ou Não?

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Visitas: 20
Divórcio - Sim ou Não?

Existem casos de mulheres e homens que são infelizes no casamento por vários anos. Estes homens ou mulheres são, por vezes, pais de filhos estudantes, licenciados ou trabalhadores. Os filhos de casais insatisfeitos na maioria dos casos reprovam o divórcio dos pais. Porque não se imaginam filhos de pais divorciados ou porque não seriam capazes de admitir este facto. Os familiares costumam incentivar à união do casal mesmo perante alguns sinais de violência ligeira ou infidelidade, mesmo assim a família às vezes ainda defende o casamento.

O divórcio é um processo muito complicado pelo qual qualquer casal deve evitar passar. Após o divórcio, ambas as partes sentem as relações e a própria vida de maneira diferente. A relação deve ser poupada e defendida o mais possível através do diálogo sincero e transparente entre os envolvidos.

Para quem apenas assiste é fácil aconselhar alguém a permanecer num relacionamento infeliz! O ideal é que os casais tenham diversas conversas e invistam na sua intimidade mas, se não der certo, não deve esquecer-se da sua felicidade. As pessoas devem ficar juntas, infelizmente existem casos em que a separação é a melhor solução.

Só os principais envolvidos na relação é sabem o que é melhor. Nos casos em que existem filhos em comum o processo é mais simples. De qualquer forma, deve preparar primeiro os seus filhos para este acontecimento mesmo antes dele acontecer. É importante que os filhos tenham uma ideia do que se trata, principalmente em casos em que o divórcio já é previsível.

Os filhos costumam reagir mal a este tipo de noticia, o que é perfeitamente compreensível. Deve dar tempo ao seu filho para entender todos os acontecimentos e para que ele próprio faça um juízo de valor. Tente explicar tão bem quanto possível os motivos e as razões que levaram a essa decisão. Mais tarde ou mais cedo os seus filhos acabarão aceitando a sua decisão, seja ela qual for, desde que a situação lhes seja sempre explicada da melhor forma. Nunca lhes minta e nunca lhes diga nada para além da realidade e nunca culpabilize o seu companheiro na frente dos seus filhos.

Leve a sua relação até onde ela pode ir, isto é, não ameace o divórcio sem ter a certeza. Quando as coisas estão mal devemos unir-nos ao nosso par e não o contrário. O divórcio não é decidido perante uma situação má, mas sim perante uma situação que não melhorará. Pense bem antes de tomar uma decisão definitiva e quando a tomar pense na sua felicidade.


Rua Direita

Título: Divórcio - Sim ou Não?

Autor: Rua Direita (todos os textos)

Visitas: 20

657 

Comentários - Divórcio - Sim ou Não?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os primeiros brinquedos

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Brinquedos
Os primeiros brinquedos\"Rua
O brinquedo é mais do que um objecto para a criança se divertir e distrair, é também uma forma de conhecer o mundo que tem ao seu redor e para dar asas à sua imaginação. Desta forma, os brinquedos sempre estiveram presentes na sociedade.

Os primeiros brinquedos datam de 6500 anos atrás, no Japão, em que as crianças brincavam com bolas de fibra de bambu. Entretanto há 3000 anos surgiram os piões feitos de argila e decorados, na Babilónia.

No século XIII apareceram os soldadinhos de chumbo, porém só eram acessíveis às famílias nobres. Cinco séculos mais tarde, apareceram as caixas de música, criadas por relojoeiros suíços.

As bonecas são muito antigas, surgiram enquanto figuras adoradas como deusas, há 40 mil anos, mas a primeira fábrica abriu apenas em 1413 na Alemanha. Barbie, a boneca mais famosa do mundo, foi criada em 1959, mas ainda hoje é das mais apetecíveis pelas crianças.

O grande boom dos brinquedos aconteceu quando se descobriu o plástico para o fabrico. Mesmo assim, muitas famílias não podiam comprar brinquedos aos filhos, como tal, estes utilizavam diversos tipos de materiais e construíam os seus próprios brinquedos.

Actualmente, as crianças têm acesso a uma enorme variedade de brinquedos, desde bonecas, a carros telecomandados, a videojogos… Educativos ou apenas lúdicos, há de tudo e para todos os gostos e preços.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Os primeiros brinquedos

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • umdolitoys 23-01-2013 às 05:46:38

    Adorei a reportagem! e tenho algo para vocês verem!!

    Espero que gostem!!!

    ¬ Responder
  • sofia 22-07-2012 às 21:56:29

    Achei muito interecante e muito legal saber que ano foi fabricadoas bonecas

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios