Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Bricolage Jardim > Cuidar das orquídeas Parte 2

Cuidar das orquídeas Parte 2

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Bricolage Jardim
Visitas: 4
Comentários: 1
Cuidar das orquídeas Parte 2

A maioria das orquídeas toleram a seca muito melhor do que podem tolerar o excesso de humidade. Nada mata uma orquídea mais rápido do que deixá-la num vaso alagado. Sem circulação de ar adequada, a planta vai sufocar e morrer.

Como regra geral, as orquídeas devem ser regadas uma vez por semana. O meio de cultura deve deixar-se secar entre as regas, pois o excesso de água não deve entrar em contato com as raízes ou com o meio de cultura. Depois de ser re-envasada, a maioria das orquídeas não vai retomar o crescimento ativo durante vários meses. Regue muito moderadamente durante este período de reajuste.

Os vasos especialmente concebidos para as orquídeas tornam mais fácil manter as plantas regadas corretamente.

A maioria das orquídeas tropicais preferem os níveis de humidade de 60 a 80 por cento. Com o nível de humidade do inverno, na maioria das casas paira perto de 30 por cento. Então, os cultivadores de orquídeas costumam usar um humidificador. Algumas espécies de orquídeas também beneficiam pelo facto de se adaptarem bem a qualquer condição de humidade.

As orquídeas devem ser fertilizadas para sustentar um crescimento saudável. Use um fertilizante líquido, e dilua-o mais do que faria para outras plantas. O fertilizante deve ser aplicado apenas quando as plantas estão em crescimento ativo. Isto significa que a maioria das orquídeas não deve ser fertilizada no meio do inverno, ou logo depois de terem sido re-envasadas. Muitos produtores usam um fertilizante 30-10-10, embora outros prefiram 10-10-10 ou 10-10-30. Nebulize as suas orquídeas com emulsão de peixe ou de extratos de algas pois isso irá fornecer-lhes micronutrientes.

As orquídeas são geralmente mais felizes num vaso relativamente pequeno. Os vasos de plástico são preferidos porque quando chega a hora de re-envasar, as raízes podem ser mais facilmente retiradas, ou os vasos podem simplesmente ser cortados.
Para garantir uma boa drenagem, pode preencher o fundo ou cerca de 5 cm de altura de casca de amendoim.
Suspenda a orquídea sobre o vaso e gradualmente encha o vaso com pedaços de casca de pinheiro ou qualquer outro meio de cultura que esteja a usar. A coroa da planta deve estar apenas um pouco abaixo do topo do vaso. Às vezes é útil usar um pedaço de arame para proteger a planta até que as suas raízes se fixem.

Algumas orquídeas devem ser re-envasadas a cada ano. Outroas podem ficar bem no mesmo vaso durante sete ou mais anos. As orquídeas ressentem-se se forem perturbadas.

A propagação de orquídeas a partir de sementes é bastante difícil. Ao contrário das sementes de outras plantas, as sementes de orquídea não contêm tecidos de armazenamento nutricional. Para crescer, a semente deve pousar onde irá encontrar um determinado tipo de fungos que podem penetrar o seu sistema radicular e converter nutrientes de uma forma utilizável. Para superar as dificuldades, uma cápsula de sementes de orquídeas normalmente desenvolve milhões de sementes microscópicas.

Para propagar as orquídeas a partir de sementes, deve trabalhar em condições estéreis. As sementes devem ser cultivadas numa substância gelatinosa que contenha nutrientes e hormonas de crescimento. A paciência deverá ser uma virtude sua. Leva meses para as primeiras folhas se desenvolverem, e, mesmo assim, eles só serão visíveis com uma lupa! As raízes aparecem até mais tarde. Vai demorar, no mínimo, três e, possivelmente, até oito anos antes de conseguir ver uma flor.

É muito mais fácil para propagar orquídeas por divisão. Mas lembre-se que a divisão de uma planta significa não ter flores pelo menos num ano. As pequenas divisões levam muitos anos a amadurecer.


Rua Direita

Título: Cuidar das orquídeas Parte 2

Autor: Rua Direita (todos os textos)

Visitas: 4

661 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Luene ZarcoLuene

    13-10-2014 às 13:45:47

    Gosto muito das orquídeas! Um dia, irei conseguir cuidar delas e tê-las no meu futuro jardim.

    ¬ Responder

Comentários - Cuidar das orquídeas Parte 2

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Dicas para decorar salas pequenas.

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Decoração
Dicas para decorar salas pequenas.\"Rua
A realidade das grandes cidades é que a maioria das pessoas mora em espaços pequenos. É fato também que todos desejam ter um ambiente acolhedor e aconchegante para receber amigos. Em contrapartida, na medida em que os espaços encolhem, a quantidade de aparelhos eletrônicos que utilizamos aumenta cada vez mais. Há ainda quem use a sala como home-office.

Nesta busca de inspiração para organizar e incrementar sua sala, encontramos uma série de sites especializados e blogs com muitas, muitas ideias. O conceito de D.I.Y. (do it yourself) que significa "faça você mesmo” nunca esteve tão na moda. É uma alternativa para reduzir gastos com mão de obra e nada melhor do que criar um espaço com um toque todo seu. Inspirações e ideias não faltam. Hoje, de certa forma todos nos sentimos meio decoradores.

Mas planejar a decoração de uma sala pequena exige alguns cuidados para que o ambiente não fique entulhado de móveis, disfuncional ou até mesmo desagradável.

Confira algumas dicas para decorar sua sala com estilo e valorizando seu espaço:
Os espelhos, além da autocontemplação, causam efeitos interessantes. Aplicados, por exemplo, em uma parede inteira pode duplicar a amplitude do ambiente. Pode ser usado também em móveis, tetos, em diversos formatos e valorizar a luminosidade da decoração.

As cores tem poder de causar sensações. Em ambientes com pouco espaço, elas podem colaborar para que a sensação de amplitude possa tanto aumentar quanto diminuir. Para pintar as paredes de sua sala aposte em cores claras. O teto com uma cor mais clara que a das paredes, por exemplo, pode simular uma elevação do teto, já em uma cor mais escura, promoverá uma sensação de rebaixamento do teto.

A escolha e posição dos móveis são um aspecto muito importante. Opte por poucos móveis, nunca de tamanhos exagerados e posicione-os de forma que valorize o espaço. Móveis que misturam poucos materiais, baixos e com linhas retas proporcionam leveza ao ambiente.

Uma solução muito interessante para espaços pequenos é a utilização de prateleiras. Caixas para produtos horto frutícolas reformadas podem se tornar lindas prateleiras. Mas cuidado com a profundidade, para não atrapalhar na disposição de outros móveis e objetos.

Móveis multifuncionais ou móveis inteligentes são excelentes alternativas para uma sala pequena. Um bom exemplo são pufes, que podem ser usados como mesas de centro ou ficarem alojados debaixo de aparadores e quando recebemos visitas podem se transformar em assentos extras. Mesas dobráveis também são uma ótima opção.

Escolher o mesmo piso ou revestimento pode dar a impressão de área maior, de continuidade. Mudanças drásticas de um ambiente para outro pode causar a sensação de divisão e consequentemente fazer parecer menor.

Algumas outras dicas: um sofá retrátil ou reclinável garante muito mais conforto e ocupa o espaço de um sofá simples. Suporte ou painéis móveis para TV possibilitam que ela seja movida na direção desejável. Caso o ambiente tenha escadas, escolher um modelo de escadas vazadas evita divisões e pode se tornar uma peça de destaque na sala. E para as cortinas, escolha tecidos leves, lisas e sem estampas.

De qualquer forma, ouse, não tenha medo de arriscar, crie, não copie, só assim será seu!

Luciana Santos.

Outros textos do autor:
Dicas para decorar salas pequenas.

Pesquisar mais textos:

Luciana Maria dos Santos

Título:Dicas para decorar salas pequenas.

Autor:Luciana Maria Santos(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Carlos Rubens Neto 16-06-2016 às 16:20:24

    Excelente matéria! Parabéns Luciana ;)

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios