Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Bricolage Jardim > Viveiros De Mudas De Plantas

Viveiros De Mudas De Plantas

Categoria: Bricolage Jardim
Visitas: 18
Viveiros De Mudas De Plantas

Escolha do local:
-Deve estar próximo da área de comercialização ou plantio final;

-Deve ter fácil acesso para a chegada de insumos e/ou clientes;

-Deve ter fonte de água abundante, com qualidade, para irrigação;

-Deve possuir boas condições climáticas: não ter ventos fortes, bom arejamento e ser ensolarado;

-Deve possuir boa localização no relevo: estar à meia encosta e não ter mais de 3% de inclinação;

-Deve possuir solo com boas características físicas e boa drenagem;

-Também é importante que, na área, não haja plantas daninhas de difícil controle e que não façam sombra para as mudas.

Tipos de viveiros e mudas:
Viveiros provisórios: São construídos para atender a uma demanda específica. Geralmente se localizam na área do plantio para que as mudas já se adaptem às condições da região. Não há muitos gastos em instalações, já que serão desativados posteriormente.

Viveiros permanentes: São construídos com a finalidade de se produzir mudas por muito tempo. São bem planejados e divididos para comportar as áreas de produção, armazenamento, escritórios e outros.

Geralmente são escolhidas áreas próximas a mercados consumidores. No entanto, há um maior investimento em tecnologia permanente, como estufas, construções em alvenaria, sistemas de irrigação e outros.

Mudas de raízes nuas: São plantadas diretamente no campo e transplantadas com as raízes expostas. O cuidados são maiores no transplante para não danificar o sistema radicular. Na produção em campo, há maiores cuidados com as condições climáticas.

Mudas de raízes protegidas: São plantadas em embalagens ou bandejas e as raízes ficam envoltas por substratos. Existem embalagens biodegradáveis e não biodegradáveis. No primeiro caso, planta-se com a embalagem e no segundo não.

Tamanho da área e distribuição:
O tamanho da área do viveiro depende de vários fatores:

-Tipos de mudas que se pretende produzir: hortaliças, ornamentais, árvores, café e outras;

-Tipo de embalagens, bandejas, tubetes e outros que serão utilizados;

-Características de germinação dos tipos de sementes ou pegamentos de estacas;

-Perdas nas seleções de mudas ou repicagens;

Geralmente, 50% a 60% da área do viveiro destina-se à parte de produção. O restante são para os caminhos e as estradas, construções diversas e áreas de trabalho.

Instalações:
As instalações necessárias para um viveiro dependerão do objetivo do viveirista, mas basicamente são: casas de vegetação ou com sombrites, que oferecem controle de condições climáticas para a produção das mudas, que é o principal.

Galpão semiaberto para trabalhos em dias chuvosos e galpão de armazenamento de insumos.

Reservatório de água para irrigação e abastecimento geral do viveiro. Almoxarifado de ferramentas e local de sementeiras ou embalagens. Escritório e/ou local de recepção de clientes.

Ferramentas, equipamentos e insumos:
A compra destes está relacionada ao tipo de produção e às necessidades do local e dos trabalhadores. Vejamos:

-Ferramentas: enxadas, pás, tesouras de podas, serrotes, baldes, regadores e outros;

-Equipamentos: bombas, equipamentos de irrigação, misturadores de substratos, balança, pulverizadores e outros;

-Insumos: sementes, substratos, agroquímicos, adubos orgânicos e minerais e outros;

-Outros materiais: embalagens, bandejas, plásticos de estufa, sombrites e outros.


Miguel Pereira

Título: Viveiros De Mudas De Plantas

Autor: Miguel Pereira (todos os textos)

Visitas: 18

378 

Comentários - Viveiros De Mudas De Plantas

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Pulp Fiction: 20 anos depois

Ler próximo texto...

Tema: Arte
Pulp Fiction: 20 anos depois\"Rua
Faz hoje 20 anos que estreou um dos mais importantes ícones cinematográficos americanos.

Pulp Fiction é um marco do cinema, que atirou para a ribalta Quentin Tarantino e as suas ideias controversas (ainda poucos tinham visto o brilhante “Cães Danados”).

Repleto de referências ao cinema dos anos 70 e com uma escolha de casting excepcional, Pulp Fiction conquistou o público com um discurso incisivo (os monólogos bíblicos de Samuel L. Jackson são um exemplo disso), uma violência propositadamente mordaz e uma não linearidade na sucessão dos acontecimentos, tudo isto, associado a um ritmo alucinante.

As três narrativas principais entrelaçadas de dois assassinos, um pugilista e um casal, valeram-lhe a nomeação para sete Óscares da Academia, acabando por vencer na categoria de Melhor Argumento Original, ganhando também o Globo de Ouro para Melhor Argumento e a Palma D'Ouro do Festival de Cannes para Melhor Filme.

O elenco era composto por nomes como John Travolta, Samuel L. Jackson, Bruce Willis, Uma Thurman e (porque há um português em cada canto do mundo) Maria de Medeiros.

Para muitos a sua banda sonora continua a constar na lista das melhores de sempre, e na memória cinéfila, ficam eternamente, os passos de dança de Uma Thurman e Travolta.

As personagens pareciam ser feitas à medida de cada actor.
Para John Travolta, até então conhecido pelos musicais “Grease” e “Febre de Sábado à Noite”, dar vida a Vincent Vega foi como um renascer na sua carreira.

Uma Thurman começou por recusar o papel de Mia Wallace, mas Tarantino soube ser persuasivo e leu-lhe o guião ao telefone até ela o aceitar.

Começava ali uma parceria profissional (como é habitual de Tarantino) que voltaria ao topo do sucesso com “Kill Bill”, quase 10 anos depois.

Com um humor negro afiadíssimo, Tarantino provou em 1994 que veio para revolucionar o cinema independente americano e nasceu aí uma inspirada carreira de sucesso, que ainda hoje é politicamente incorrecta, contradizendo-se da restante indústria.

Pulp Fiction é uma obra genial. Uma obra crua e simultaneamente refrescante, que sobreviveu ao tempo e se tornou um clássico.
Pulp Fiction foi uma lição de cinema!

Curiosidade Cinéfila:
pulp fiction ou revista pulp são nomes dados a revistas feitas com papel de baixa qualidade a partir do início de 1900. Essas revistas geralmente eram dedicadas às histórias de fantasia e ficção científica e o termo “pulp fiction” foi usado para descrever histórias de qualidade menor ou absurdas.

Pesquisar mais textos:

Carla Correia

Título:Pulp Fiction: 20 anos depois

Autor:Carla Correia(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios