Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Bricolage Jardim > No jardim..

No jardim..

Categoria: Bricolage Jardim
Visitas: 14
Comentários: 1
No jardim..

Para se fazer uma omeleta tem de se ter ovos. Da mesma maneira, quem quiser exercitar os seus dotes “jardinísticos” e pretender obter bons resultados precisará de se munir de utensílios adequados. Para começar, é fundamental adquirir uma mangueira, fertilizante, sementes e luvas de jardinagem. Depois de algum tempo, porém, a lista tende a aumentar…

Quando a única coisa que se tem é o gosto pela jardinagem, sem muita certeza do tempo que se lhe pode despender ou do talento inato (ou falta dele), é melhor que o estreante opte por fazer plantações em vasos ou em pequenas filas no jardim, atentando à incidência e rotação do sol. Experimentar a arte de jardinar em coisas simples, para além de evitar desperdícios e a morte em série de plantas e flores, permitirá detectar mais facilmente os erros cometidos e aprender os truques e os segredos, até porque a atenção se encontra mais focalizada, por ter menos por onde se dispersar. Digamos que é um “auto-estágio”… Nesta empreitada, uma ideia que pode ser útil é a de escrever um memorando das actividades, anotando as que resultam e aquelas que, pelo contrário, devem ser melhoradas para a próxima plantação.

Normalmente, na manutenção dos jardins incorre-se em excessos como a rega em demasia (Com medo que as sementes passem sede, acaba-se por afogá-las. É caso para dizer que «não morrem do mal, morrem da cura» …), a fertilização excessiva (Há pais que fazem o mesmo com os filhos – “adubam-nos” tanto que, além de crescerem para cima, desenvolvem-se muito também para os lados…) e cortes demasiado frequentes (Porque quererão jardineiros de ocasião converter-se em cabeleireiros desastrados que deixam “carecas” as pobres plantinhas?...).

Quando se faz a selecção das espécies a dispor, há que prestar atenção para saber se e quais delas necessitam de cuidados e/ou condições climatéricas especiais. É ainda conveniente medir periodicamente o PH do solo. O controlo deste valor pode ser efectuado com o auxílio de um kit apropriado, à venda nos centros de jardinagem, a fim de evitar despesas na contratação de um especialista. De acordo com o resultado captado pelo aparelho, saber-se-a se o terreno precisa de fertilizante ou de uma nova camada de terra. Os níveis de nutrientes e minerais devem, igualmente, ser verificados com relativa frequência. É fundamental criar as condições mais favoráveis para que as plantas germinem e atinjam o seu potencial máximo de desenvolvimento. Já agora, uma dica importante: falar com elas torna-as mais viçosas. E, pelo menos, não consta que mandem calar ninguém…

Maria Bijóias

Título: No jardim..

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 14

624 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Rafaela CoronelRafaela

    17-10-2014 às 14:12:42

    O jardim é um lugar lindo em que nos sentimos bem e com um ar bem agradável. É preciso deixá-lo sempre limpo, organizado e bonito.

    ¬ Responder

Comentários - No jardim..

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Penumonia, as suas causas, sintomas e tratamento

Ler próximo texto...

Tema: Saúde
Penumonia, as suas causas, sintomas e tratamento\"Rua
A pneumonia é uma infecção bacteriana ou viral dos pulmões. Os sintomas podem incluir febre, calafrios, falta de ar, tosse que produz fleuma e dor no peito. Geralmente, a pneumonia pode ser tratada com sucesso em casa com antibióticos, mas alguns casos podem exigir hospitalização e podem resultar em morte. Vacinas estão disponíveis contra alguns dos agentes infecciosos mais comuns que causam pneumonia.

Causas de pneumonia
A pneumonia é uma infecção das bolsas de ar nos pulmões, sendo causada por bactérias, vírus ou, raramente, fungos. A maioria dos casos de pneumonia são causados por bactérias, mais comumente Streptococcus (doença pneumocócica), mas a pneumonia viral é mais comum em crianças.
 
Qualquer pessoa pode desenvolver pneumonia, mas alguns grupos estão em maior risco. Estes incluem:
- Bebês e crianças pequenas, particularmente aqueles nascidos prematuramente
- Pessoas que tiveram uma infecção viral recente, como um resfriado ou gripe
- Fumantes
- Pessoas com condições pulmonares crônicas, como asma, bronquite ou bronquiectasias
- Pessoas com sistema imunológico enfraquecido
- Pessoas que bebem álcool em excesso
- Pacientes hospitalizados
- Pessoas que tiveram problemas de deglutição ou tosse após um acidente vascular cerebral ou outra lesão cerebral
- Pessoas com 65 anos ou mais.
A pneumonia pode desenvolver-se quando uma pessoa respira as pequenas gotículas que contêm pneumonia, mas também pode ocorrer quando bactérias ou vírus que estão normalmente presentes na boca, nariz e garganta, entram nos pulmões.

sinais e sintomas de pneumonia
A pneumonia viral tende a desenvolver-se lentamente ao longo de vários dias, enquanto que, geralmente, a pneumonia bacteriana desenvolve-se rapidamente, muitas vezes ao longo de um dia.
A maioria das pessoas que desenvolvem pneumonia, inicialmente, têm uma infecção viral, como um resfriado ou gripe, que produz sintomas como dor de cabeça, dores musculares e febre. Se uma pneumonia se desenvolver, geralmente, os sintomas incluem:
- Febre alta
- Calafrios
- Falta de ar
Aumento da frequência respiratória
- Uma tosse que piora e que pode produzir escarro descolorido ou sangrento (fleuma)
- Dores no peito causadas pela inflamação da membrana que reveste os pulmões.

Em bebês e crianças, os sintomas podem ser menos específicos e podem não mostrar sinais claros de uma infecção no peito. Comumente eles terão uma febre alta, podendo parecer muito indispostos e tornarem-se letárgicos, mas eles também podem produzir uma respiração barulhenta e apresentar dificuldade para se alimentarem.
 
Também é possível que a pele, lábios e unhas se possam tornar-se azulados. Este é um sinal de que os pulmões são incapazes de fornecer oxigênio suficiente para o corpo. Se isso ocorrer, é vital procurar assistência médica imediatamente.

Diagnóstico para pneumonia
Se houver suspeita de pneumonia, é importante procurar atendimento médico com prontidão para que um diagnóstico preciso e um tratamento adequado possam ser implementados.

O médico poderá obter um histórico médico e realizar um exame físico. Durante o exame, o médico ouvirá o tórax com um estetoscópio. Respiração grosseira, sons crepitantes, sibilos e sons respiratórios reduzidos numa determinada parte dos pulmões podem indicar pneumonia.
Geralmente, para confirmar o diagnóstico, realiza-se uma radiografia de tórax. O raio-X mostrará a área do pulmão afetada pela pneumonia. Também podem ser efectuadas análises ao sangue e uma amostra do escarro pode ser enviada para um laboratório para realização de testes.

Tratamento de pneumonia
A maioria dos casos de pneumonia podem ser tratados em casa. Entretanto, bebês, crianças e pessoas com pneumonia grave podem precisar de ser internados num hospital para tratamento.
Geralmente, a pneumonia é tratada com antibióticos, mesmo que exista suspeita de pneumonia viral, já que também pode haver um grau de infecção bacteriana. O tipo de antibiótico utilizado e a forma como será administrado serão determinados pela gravidade e causa da pneumonia.
Se a pneumonia puder ser tratada em casa, geralmente, o tratamento inclui:
- Antibióticos, administrados por via oral sob a forma de comprimidos ou líquidos
- Medicamentos para alívio da dor
- Paracetamol para reduzir a febre
- Descansar

Se for necessário tratamento hospitalar, gerlamente, o tratamento inclui:
- Antibióticos administrados por via intravenosa
- Terapia de oxigênio, para garantir que o corpo receba o oxigênio de que precisa
- Fluidos intravenosos, para corrigir a desidratação ou se a pessoa estiver muito indisposta para comer ou beber
- Fisioterapia, para ajudar a limpar o escarro dos pulmões.

Pesquisar mais textos:

José Antunes

Título:Penumonia, as suas causas, sintomas e tratamento

Autor:José Antunes(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios