Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Bricolage Jardim > Fitoterapia – o uso medicinal de plantas

Fitoterapia – o uso medicinal de plantas

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Bricolage Jardim
Visitas: 6
Comentários: 1
Fitoterapia – o uso medicinal de plantas

A Fitoterapia vai buscar às plantas os seus benefícios, para serem aplicados em infusões, chás, extratos nas doenças internas e, como sabão e água na dermatologia.

As infusões são muito usadas em perturbações nervosas e funcionais. Normalmente devem ser tomadas três vezes ao dia.

As plantas podem ainda ser utilizadas em banhos calmantes ou em tratamentos de beleza.

De entre as plantas medicinais, com propriedades terapêuticas mais usadas e benéficas, salientam-se a erva- cidreira que é usada para perturbações gástricas; a hortelã- pimenta estimula os sucos digestivos e tem um efeito antisséptico, a hepática é uma planta diurético e è usada contra cólicas biliares e a mangerona atua como sedativo do sistema nervoso.

Por outro lado, o serpão, è um poderoso antisséptico , contra o catarro das vias respiratórias.

Os seus banhos são fortificantes para os nervos e servem ainda para tratar feridas. o extrato entra na composição de gotas contra a tosse convulsa, brônquios, gripe e tosse.

O hipericão utiliza-se muito e fitoterapia e é um excelente remédio para contusões , usado sob a forma de creme. Faz bem ao sistema digestivo e fígado. O toxiendro serve de primeiros socorros; trata articulações, entorses e outras lesões.

A calêndula e verbasco são normalmente utilizados na forma de óleo. O verbasco é ainda aconselhável para diminuir dores de ouvidos, em crianças e adultos. A calêndula, è universal no tratamento de feridas e, acelera a sua cicatrização.

Para o estômago devemos utilizar a melissa que é sedativa e indicada para flatulências, o funcho e cominhos .

A urtiga estimula as funções do fígado e da vesícula biliar. O chá de camomila é um dos vários chás que podem aliviar as náuseas. O gengibre pode ajudar a acalmar o estômago perturbado e, uma infusão de funcho, camomila e sementes de endro diminui as cólicas.

Estas são algumas das plantas mais usuais, benéficas e muito fáceis de encontrar ara usufruir dos seus inúmeros benefícios.

Não desperdice o seu precioso contributo. Aumente a sua ingestão.


Teresa Maria Batista Gil

Título: Fitoterapia – o uso medicinal de plantas

Autor: Teresa Maria Gil (todos os textos)

Visitas: 6

777 

Imagem por: James Bowe

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Briana AlvesBriana

    15-10-2014 às 14:07:56

    As plantas possuem um poder alto sobre as várias doenças, dores que sentimos. Um excelente remédio natural que permite dar ao ser humano bem estar melhor que qualquer química. A fitoterapia é fantástica!

    ¬ Responder

Comentários - Fitoterapia – o uso medicinal de plantas

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Imagem por: James Bowe

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios