Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Ensaios Clínicos?

Ensaios Clínicos?

Categoria: Saúde
Ensaios Clínicos?

A medicina sempre foi um campo em contínua evolução, ainda mais nos dias de hoje. Esta evolução é contínua e não pode parar, não só devido a todas as doenças que existem para as quais (ainda) não existe cura, mas também para combater novas doenças que vão aparecendo, principalmente devido às condições ambientais que nos rodeiam.

Os ensaios clínicos podem ser definidos como investigações sobre um determinado medicamento experimental conduzidas no ser humano, com o objectivo de descobrir ou verificar os efeitos clínicos e farmacológicos e os possíveis efeitos indesejados desse mesmo medicamento.

Os ensaios clínicos dividem-se em quatro fases. A Fase I é a da investigação em animais, a Fase II num grupo restrito de seres humanos, a Fase III num grupo alargado de seres humanos e a Fase IV é a fase de acompanhamento após o medicamento ser introduzido no mercado. Esta sempre foi uma área bastante controversa, não só porque envolve a experimentação de substâncias em seres humanos, mas também em animais, na Fase I.

É através deste processamento por fases que se fazem os testes aos medicamentos até eles serem introduzidos no mercado. As leis europeias obrigam que qualquer substância medicamentosa seja submetida a todas estas fases.

A medicina está de tal forma avançada que, hoje em dia, já é possível não morrer de doenças que há poucas décadas matariam milhares, como é o caso dos cancros, ou ainda de melhorar a nossa qualidade de vida útil e de prolongar a sobrevivência.

A polémica surge com o uso de animais e com a legitimidade do ser humano em usá-los para seu próprio benefício. Até que ponto devemos usar outros animais com uma fisiologia parecida com a do ser humano para testar produtos que são essenciais para a nossa sobrevivência é a dúvida que se impõe. A ciência defende que estes animais são criados especificamente para este fim e que os testes a novas substâncias não são feitos de modo indiscriminado. Usa-se o menor número possível de cobaias para este fim e evitam-se sofrimentos que se sabe não trazerem quaisquer resultados válidos.

Os ensaios clínicos são feitos em ambientes controlados e podem ir de poucas dezenas de pessoas até aos milhares e podem ser específicos de uma região ou serem feitos a nível mundial. A legislação neste campo é extremamente apertada, o que ajuda ao controlo das experiências e ao domínio das actividades para que o seu uso não seja indiscriminado.



Luís Seco Passadouro

Título: Ensaios Clínicos?

Autor: Luís Seco Passadouro (todos os textos)

Visitas: 0

700 

Comentários - Ensaios Clínicos?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios