Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > A importância da água no combate à obesidade

A importância da água no combate à obesidade

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Saúde
Visitas: 6
Comentários: 1
A importância da água no combate à obesidade

A obesidade é um dos grandes flagelos do nosso tempo. Morre-se muito mais por comer em demasia do que pela privação de certos nutrientes. Estudos levados a cabo demonstraram que em escolas onde se tinham fornecido gratuitamente garrafinhas de água às crianças, a propensão para a obesidade no seio dos alunos era 33 por cento inferior às restantes. Não se sabe exatamente porquê, mas supõe-se que, por um lado, aumentando o consumo de água diminui a ingestão de bebidas açucaradas, e, por outro, favorecer a hidratação é sinónimo de auxiliar o metabolismo e queimar mais calorias. Numa terceira perspetiva, a água contribui para reduzir a retenção de líquidos, o que tem influência direta no abatimento do peso.

Existe a crença generalizada de que a água faz emagrecer, mas não há provas científicas de que bebê-la tenha, só por si, um papel ativo nesse processo. A própria definição de emagrecimento é, muitas vezes, confundida com perda de peso, o que equivaleria a uma diminuição da massa corporal total (atestada pela balança), e isto nem sempre corresponde à realidade. O que acontece, amiudadamente, é a redução de centímetros à volta da cintura (tão perigosos para o aumento do risco de desenvolver doenças cardiovasculares), sem que se diminua de peso, mas isso designa, similarmente, uma forma de emagrecimento.

Certo é que preferir a água a outras bebidas limita o consumo de calorias, o que, a par do incremento do gasto energético (mediante a prática de atividade física), coadjuva a perda de peso. Ao contrário do que também se pensa, ingerir água antes das refeições não interfere com o apetite, mas alimentos com elevado teor hídrico e fibroso (por exemplo, os hortofrutícolas), à semelhança das iguarias preparadas com grandes porções de água (sopas, caldeiradas, guisados, ensopados, …), favorecem a saciedade.

Dado que não contém calorias, a água possui densidade energética zero, e, portanto, não provoca picos de glicemia, como acontece com bebidas ricas em hidratos de carbono. Do mesmo modo, também não possui gorduras nem proteínas. Consoante a sua atividade biológica, algumas águas, cuja distinção se faz através, principalmente, pela respetiva composição físico-química, podem ser consideradas diuréticas. Sendo assim, estas águas ajudam a excretar os líquidos do organismo, fazendo desaparecer inchaços, volume em excesso e quilos a mais. Esta perda não diz respeito a gorduras, mas sim a água em demasia.

Resumindo, a água não engorda às refeições nem fora delas, tal como não emagrece. Todavia, o hábito de beber água é suscetível de combater a obesidade e uma ferramenta preciosa num plano de emagrecimento.


Maria Bijóias

Título: A importância da água no combate à obesidade

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 6

775 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • regivaniaregivania

    15-06-2012 às 15:01:51

    Acho Que A Agua Mesmo Emagresse ...

    ¬ Responder

Comentários - A importância da água no combate à obesidade

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O meu instrumento musical avariou!

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Instrumentos Musicais
O meu instrumento musical avariou!\"Rua
É inevitável que, mais cedo ou mais tarde, um instrumento musical precise de reparação.

Mesmo que conheçamos bem o nosso instrumento e o consigamos arranjar, na maioria das vezes é necessário um técnico para o fazer com a melhor das qualidades.

Eventualmente, nem será necessário existir um problema com o instrumento, poderá ser apenas uma questão de manutenção. 

No caso de uma guitarra, por exemplo, qualquer instrumentista é perfeitamente capaz de substituir uma corda partida e tirar da guitarra o mesmo som que ela tinha.

No entanto, existem reparações, seja uma amolgadela no tampo ou uma tarraxa arrancada, que convêm ser feitas por técnicos especializados.

Por norma, as próprias casas que vendem instrumentos musicais efectuam essas reparações ou são capazes de aconselhar técnicos para as fazer.

Mediante o instrumento musical em questão, a reparação ou manutenção poderá ser mais cara. É sempre mais fácil arranjar um técnico que repare um piano do que um que arranje oboés.

Apesar de ser normal cuidar do nosso instrumento musical regularmente, os percalços acontecem todos os dias. Para os contornar, há sempre alguém que nos poderá aconselhar melhor do que nós próprios.

Apesar de poder sair mais caro, temos também a certeza de que o nosso instrumento foi arranjado por especialistas no assunto.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:O meu instrumento musical avariou!

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • luiz fabiano 18-02-2012 às 15:48:28

    boa tarde amigos preciso de um cabo flex da lcd da camera g70 se aulguem tiver mande um email obrigado

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios