Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Viagens > Uma viagem à Jamaica

Uma viagem à Jamaica

Categoria: Viagens
Comentários: 2
Uma viagem à Jamaica

«Out of many, one people» («A partir de muitos, um só povo»), é este o lema da nação jamaicana, que reflecte bem a simultânea heterogeneidade e união de um povo e de um país singularmente exóticos.

Esta ilha caribenha, situada a cerca de 145 quilómetros a sul de Cuba e a 190 quilómetros a oeste do Haiti e República Dominicana, prima pela originalidade a vários níveis, como o histórico, cultural, desportivo ou religioso.

Assim, saiba que esta ilha de florestação densa, ornada de imensos planaltos, montanhas baixas, praias tipicamente tropicais (com um areal fino e limpíssimo e uma água assombrosamente azul) e temperaturas que oscilam entre os 25º e os 38º graus, tivera o nome original (atribuído pelos índios aruaques) de Xamayca, que significa «manancial». Este nome justifica-se através da presença de imensos cursos de água, cascatas e fontes que povoam a ilha. Historicamente, os índios aruaques (agricultores, pescadores e recolectores e extremamente pacíficos) foram os primeiros habitantes da ilha. Em 1494, Cristóvão Colombo chega à mesma e Espanha reclama-a para si. Em 1670, os britânicos conseguem conquistá-la e, durante os duzentos anos seguintes, a produção e exportação de cana-de-açúcar atinge os níveis mais elevados do mundo, graças à exploração impiedosa dos escravos africanos, que acabaram por se revoltar, conduzindo à abolição da escravatura em 1838. A Jamaica alcançou a independência de Inglaterra em 1962.

Em termos culturais e religiosos, a ilha prima pela miscigenação de ideias e credos. A mistura de populações aruaques, africanas, latinas e inglesas, bem como outros povos imigrantes (hindus, por exemplo) conduziu, por um lado, à presença de várias religiões reconhecidas na ilha, como o cristianismo, o anglicanismo e, mesmo o judaísmo. É, aliás, influência judaica a proibição de cortar os dreadlocks (tranças). O voodoo é também presença assente na ilha, que viu nascer uma religião com uma expressão inteiramente nova, o Rastafari, a que se associa o Reggae-music. Esta religião combina elementos oriundos do cristianismo ortodoxo, do islamismo e do judaísmo e representa uma revolta contra a dominação inglesa sobre os escravos africanos. O Reggae é a expressão musical desta religião e caracteriza-se por um ritmo hipnótico de tambores, a que se aliam os doces sons de guitarras e dos blues norte-americanos. Bob Marley, para sempre um ícone da Jamaica, foi o principal precursor deste estilo de música (e de vida).

Finalmente, em termos desportivos, fique a saber que os atletas velocistas jamaicanos estão entre os maiores vencedores de títulos mundiais e olímpicos (o que é explicado através do facto de os escravos africanos que conseguiam chegar à ilha serem os mais resistentes, pois a Jamaica era o último destino, nas Américas, de uma viagem duríssima). Merlene Ottey e Usain Bolt (herdeiros dos genes de elevada resistência dos seus antepassados) estão entre os nomes mais conhecidos.

E quando viajar até este maravilhoso país, não se esqueça de se entregar por completo – nem que seja só por sete dias – à cultura e à música que vibram no ar.


Isabel Rodrigues

Título: Uma viagem à Jamaica

Autor: Isabel Rodrigues (todos os textos)

Visitas: 0

626 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • SophiaSophia

    20-04-2014 às 17:49:24

    A Rua Direita agradece pelo texto!

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoGui

    25-08-2009 às 11:08:21

    Já estive na Jamaica, este país é sem duvida bastante interessante, a cultura é magifica e o seu clima tropical é o sonho de qualquer um. Um bom local para viajar!

    ¬ Responder

Comentários - Uma viagem à Jamaica

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios