Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Viagens > Uma viagem à Jamaica

Uma viagem à Jamaica

Categoria: Viagens
Comentários: 2
Uma viagem à Jamaica

«Out of many, one people» («A partir de muitos, um só povo»), é este o lema da nação jamaicana, que reflecte bem a simultânea heterogeneidade e união de um povo e de um país singularmente exóticos.

Esta ilha caribenha, situada a cerca de 145 quilómetros a sul de Cuba e a 190 quilómetros a oeste do Haiti e República Dominicana, prima pela originalidade a vários níveis, como o histórico, cultural, desportivo ou religioso.

Assim, saiba que esta ilha de florestação densa, ornada de imensos planaltos, montanhas baixas, praias tipicamente tropicais (com um areal fino e limpíssimo e uma água assombrosamente azul) e temperaturas que oscilam entre os 25º e os 38º graus, tivera o nome original (atribuído pelos índios aruaques) de Xamayca, que significa «manancial». Este nome justifica-se através da presença de imensos cursos de água, cascatas e fontes que povoam a ilha. Historicamente, os índios aruaques (agricultores, pescadores e recolectores e extremamente pacíficos) foram os primeiros habitantes da ilha. Em 1494, Cristóvão Colombo chega à mesma e Espanha reclama-a para si. Em 1670, os britânicos conseguem conquistá-la e, durante os duzentos anos seguintes, a produção e exportação de cana-de-açúcar atinge os níveis mais elevados do mundo, graças à exploração impiedosa dos escravos africanos, que acabaram por se revoltar, conduzindo à abolição da escravatura em 1838. A Jamaica alcançou a independência de Inglaterra em 1962.

Em termos culturais e religiosos, a ilha prima pela miscigenação de ideias e credos. A mistura de populações aruaques, africanas, latinas e inglesas, bem como outros povos imigrantes (hindus, por exemplo) conduziu, por um lado, à presença de várias religiões reconhecidas na ilha, como o cristianismo, o anglicanismo e, mesmo o judaísmo. É, aliás, influência judaica a proibição de cortar os dreadlocks (tranças). O voodoo é também presença assente na ilha, que viu nascer uma religião com uma expressão inteiramente nova, o Rastafari, a que se associa o Reggae-music. Esta religião combina elementos oriundos do cristianismo ortodoxo, do islamismo e do judaísmo e representa uma revolta contra a dominação inglesa sobre os escravos africanos. O Reggae é a expressão musical desta religião e caracteriza-se por um ritmo hipnótico de tambores, a que se aliam os doces sons de guitarras e dos blues norte-americanos. Bob Marley, para sempre um ícone da Jamaica, foi o principal precursor deste estilo de música (e de vida).

Finalmente, em termos desportivos, fique a saber que os atletas velocistas jamaicanos estão entre os maiores vencedores de títulos mundiais e olímpicos (o que é explicado através do facto de os escravos africanos que conseguiam chegar à ilha serem os mais resistentes, pois a Jamaica era o último destino, nas Américas, de uma viagem duríssima). Merlene Ottey e Usain Bolt (herdeiros dos genes de elevada resistência dos seus antepassados) estão entre os nomes mais conhecidos.

E quando viajar até este maravilhoso país, não se esqueça de se entregar por completo – nem que seja só por sete dias – à cultura e à música que vibram no ar.


Isabel Rodrigues

Título: Uma viagem à Jamaica

Autor: Isabel Rodrigues (todos os textos)

Visitas: 0

626 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • SophiaSophia

    20-04-2014 às 17:49:24

    A Rua Direita agradece pelo texto!

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoGui

    25-08-2009 às 11:08:21

    Já estive na Jamaica, este país é sem duvida bastante interessante, a cultura é magifica e o seu clima tropical é o sonho de qualquer um. Um bom local para viajar!

    ¬ Responder

Comentários - Uma viagem à Jamaica

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Um sinal de compromisso

Ler próximo texto...

Tema: Jóias Relógios
Um sinal de compromisso\"Rua
Exibir uma aliança de compromisso é, frequentemente, motivo de orgulho e, quando se olha para ela, vai-se rodando-a no dedo e fica-se com aquela expressão ridícula na cara.

Uma questão se coloca: qual a razão de estas alianças de compromisso serem tão fininhas: será porque os seus principais clientes, os jovens, são sujeitos de poucas posses (tendendo as mesadas a emagrecer ainda mais com a crise generalizada) ou porque esse compromisso, não obstante a paixão arrebatadora, é frágil e inseguro?

Sim, porque aqui há que fazer cálculos matemáticos: x compromissos vezes y alianças…com um orçamento limitado sobre um fundo sentimental infinito…

Depois, importa perpassar os tipos destas alianças. Há as provisórias, que duram em média quinze dias; há as voadoras, que atravessam os ares à velocidade da luz quando a coisa dá para o torto; há as que insistem em cair do dedo, sobretudo em momentos em que ter um compromisso se revela extremamente inoportuno; e depois há as residentes, que uma vez entradas não tornam a sair.

Os pombos-correios usam anilhas onde figuram códigos que os identificam. Talvez não fosse completamente descabido fazer umas inscrições deste género em algumas alianças de compromisso por aí…

Só para ajudar os mais esquecidos a recordarem a que “pombal” pertencem.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Um sinal de compromisso

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Luene ZarcoLuene

    22-09-2014 às 05:46:10

    Um sinal de amor e lealdade perpétua! Adoro ver os vários modelos de aliança! Vale a pena escolher uma bem bonita!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios