Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Viagens > Vai de viagem

Vai de viagem

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Viagens
Comentários: 1
Vai de viagem

Viajar faz o encanto de muita gente. Para longe ou para perto, com mais ou menos dinheiro, o que importa é sair, passear, conhecer, ver mundo, experimentar coisas novas. Há quem passe o ano inteiro a economizar para se proporcionar umas férias longe dos ritmos habituais, distante dos problemas do dia a dia, apartado de uma rotina que, tantas vezes, segrega e sufoca.

Quando se pergunta às pessoas quais os seus principais sonhos, fazer uma viagem encontra-se, normalmente, nos lugares cimeiros do pódio, e tal desejo costuma ser verbalizado com um suspiro profundo, vindo das entranhas. De facto, viajar constitui um excelente meio de descontração, de angariação de cultura, de mudança de ambiente e de relegação dos problemas para um plano secundário e posterior.

Não é preciso ir, como o Willy Fogg, dar a volta à Terra em 80 dias (até porque nenhuma entidade patronal permite pausas superiores àquelas a que a Lei obriga!), nem ceder à tentação de arrendar alguns hectares na Lua para uma estadia tranquila. Se é certo que ver a Terra, em vez de no horizonte se vislumbrar a Lua e contar as estrelas, integra uma mudança radical de perspetiva, destinos para espairecer cá em baixo é o que não falta, dentro e fora do próprio país. As agências de viagens possuem habitualmente sugestões de itinerários bastante atrativas, que, regra geral, vêm acompanhadas de propostas de alojamento em regime variável. Além disso, há alturas do ano em que o valor das ofertas desce e os pacotes promocionais, geralmente anunciados na Internet, na Comunicação Social, em revistas e afins, tornam-se mais convidativos e viáveis para bolsas mais “magras”.

Existem locais de eleição para repousar e desfrutar, mas esses enchem-se, naturalmente, de indivíduos com os mesmos gostos e anseios. Os mais discretos, por seu turno, propiciam maior calma e paz de espírito, embora possam não ser tão badalados ou afamados. Pode optar-se por uma permanência de luxo, em hotéis de grande categoria, com um serviço e uma atenção irrepreensíveis, um cruzeiro que preencha a fantasia de há longo tempo, um safari em África que apele a um espírito aventureiro e destemido, uma investida solitária ou em grupo de bicicleta e mochila às costas, ou inventar, adaptar ou recriar qualquer outra modalidade para viajar e desanuviar.

Independentemente do modo escolhido ou possível para realizar uma viagem, o que realmente interessa é não se ficar imóvel, confinado a um espaço restrito, onde a visão do que nos rodeia é limitada porque, como diz o ditado, «parar é morrer»!


Maria Bijóias

Título: Vai de viagem

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

665 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    15-06-2014 às 01:37:47

    Viajar nos dar uma renovação nas energias! É maravilhoso desfrutar dessa sensação, depois de um ano de trabalho. Vale muito a pena!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - Vai de viagem

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os primeiros brinquedos

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Brinquedos
Os primeiros brinquedos\"Rua
O brinquedo é mais do que um objecto para a criança se divertir e distrair, é também uma forma de conhecer o mundo que tem ao seu redor e para dar asas à sua imaginação. Desta forma, os brinquedos sempre estiveram presentes na sociedade.

Os primeiros brinquedos datam de 6500 anos atrás, no Japão, em que as crianças brincavam com bolas de fibra de bambu. Entretanto há 3000 anos surgiram os piões feitos de argila e decorados, na Babilónia.

No século XIII apareceram os soldadinhos de chumbo, porém só eram acessíveis às famílias nobres. Cinco séculos mais tarde, apareceram as caixas de música, criadas por relojoeiros suíços.

As bonecas são muito antigas, surgiram enquanto figuras adoradas como deusas, há 40 mil anos, mas a primeira fábrica abriu apenas em 1413 na Alemanha. Barbie, a boneca mais famosa do mundo, foi criada em 1959, mas ainda hoje é das mais apetecíveis pelas crianças.

O grande boom dos brinquedos aconteceu quando se descobriu o plástico para o fabrico. Mesmo assim, muitas famílias não podiam comprar brinquedos aos filhos, como tal, estes utilizavam diversos tipos de materiais e construíam os seus próprios brinquedos.

Actualmente, as crianças têm acesso a uma enorme variedade de brinquedos, desde bonecas, a carros telecomandados, a videojogos… Educativos ou apenas lúdicos, há de tudo e para todos os gostos e preços.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Os primeiros brinquedos

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • umdolitoys 23-01-2013 às 05:46:38

    Adorei a reportagem! e tenho algo para vocês verem!!

    Espero que gostem!!!

    ¬ Responder
  • sofia 22-07-2012 às 21:56:29

    Achei muito interecante e muito legal saber que ano foi fabricadoas bonecas

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios