Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Viagens > Ponha-se a caminho!

Ponha-se a caminho!

Categoria: Viagens
Comentários: 1
Ponha-se a caminho!

Há uma perspectiva filosófica que diz que só há três lugares no mundo: onde estamos, aquele em que já estivemos, e aqueloutro que ainda não possui as marcas da nossa presença. Este último constitui, precisamente, o destino perfeito para uma viagem inesquecível.
Geralmente, viaja-se para conhecer novas paragens, para alargar conhecimentos e vivências, para enriquecer o nosso espólio cultural e “laurear a pevide” em sítios que nos digam algo de diferente, que nos surpreendam e “fintem” as malhas dos problemas e dificuldades que nos aprisionam.

Se no dia-a-dia se for uma pessoa extremamente organizada, metódica, limpa, arrumada e tão direita que mais parece que se engoliu o pau da vassoura, porque não agarrar um bilhete para a discrepância e tornar-se, por uns dias, num turista de calças de ganga, sapatilhas e máquina fotográfica em punho, esboçando uma expressão de espanto e êxtase com tudo o que se nos depara, num ser desgrenhado e cheio de lama, a escalar montanhas ou a fazer circuitos de bicicleta entrando em todas as poças que se forem encontrando, num atleta de ocasião que corre à procura de sossego, enfim, em alguém tão distinto que nem os mais próximos pudessem reconhecer? Isto sim, seria transportar-se verdadeiramente para outra realidade, o que, no fundo, constitui o objectivo principal de qualquer viagem. Além do mais, há que manter a competência no que toca ao merecido repouso! É um acto de pura sensatez, que se pode traduzir num investimento de grande valia, presente e futura.

Há quem goste de viajar para perto, talvez pela segurança que a semelhança e a cercania aportam, enquanto que as preferências de outros apontam para locais distantes, com costumes opostos, fusos horários inversos e comidas esquisitíssimas. Mesmo dentro do próprio país é possível encontrar ritmos e tradições bastante díspares. Contudo, é certamente no estrangeiro que as divergências mais se fazem notar. E é esta diversidade que atrai tanto os espíritos mais abertos e ávidos de novidades.
Paralelamente, o “currículo” pessoal sai imensamente favorecido. Não é a mesma coisa dizer-se que se esteve na praia vizinha a tomar banhos de sol, que muitas vezes não passam de meros escaldões, e deixar que os recuerdos façam notar uma passagem por Madrid, Paris, Veneza, Nova Iorque, e outros locais de excelência, ou que o tom da pele denuncie uma temporada na República Dominicana ou algo que o valha…

Seja pelos ares, gastronomia, belezas naturais, aventura, clima, arte e história das localidades, ou simplesmente por si mesmo, o importante é pôr os pés (ou as rodas, ou as asas, dependendo de para onde se for) ao caminho!

Maria Bijóias

Título: Ponha-se a caminho!

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

608 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    15-06-2014 às 01:31:16

    É realmente existem momentos que devemos nos deixar levar pelo caminho. Muito bom!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - Ponha-se a caminho!

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Fine and Mellow

Ler próximo texto...

Tema: Música
Fine and Mellow\"Rua
"O amor é como uma torneira
Que você abre e fecha
Às vezes quando você pensa que ela está aberta, querido
Ela se fechou e se foi"
(Fine and Melow by Billie Holiday)

Ao assistir a Bio de Billie Holiday, ocorreu-me a questão Bluesingers x feminismo, pois quem ouve Blues, especialmente as mais antigas, as damas dos anos 10, 20, 30, 40, 50, há de pensar que eram mulheres submissas ao machismo e maldade de seus homens. Mas, as cantoras de Blues, eram mulheres extremamente independentes; embora cantassem seus problemas, elas não eram submissas a ponto de serem ultrajadas, espancadas... Eram submissas, sim, ao amor, ao bom trato... Essas mulheres, durante muito tempo, tiveram de se virar sozinhas e sempre que era necessário, ficavam sós ou mudavam de parceiros ou assumiam sua bissexualidade ou homossexualidade efetiva. Estas senhoras, muitas trabalharam como prostitutas, eram viciadas em drogas ou viviam boa parte entregues ao álcool, merecem todo nosso respeito. Além de serem precursoras do feminismo, pois romperam barreiras em tempos bem difíceis, amargavam sua solidão motivadas pelo preconceito em relação a cor de sua pele, como aconteceu a Lady Day quê, quando tocava com Artie Shaw, teve que esperar muitas vezes dentro do ônibus, enquanto uma cantora branca cantava os arranjos que haviam sido feitos especialmente para ela, Bilie Holiday. Foram humilhadas, mas, nunca servis; lutaram com garra e competência, eram mulheres de fibra e cheias de muito amor. Ouvir Billie cantar Strange Fruit, uma das primeiras canções de protestos, sem medo, apenas com dor na alma, é demais para quem tem sentimentos. O brilho nos olhos de Billie, fosse quando cantava sobre dor de amor ou sobre dor da dor, é insubstituível. Viva elas, nossas Divas do Blues, viva Billie Holiday, aquela que quando canta parte o coração da gente; linda, magnifica, incomparável, Lady Day.

O amor vai fazer você beber e cair
Vai fazer você ficar a noite toda se repetindo

O amor vai fazer você fazer coisas
Que você sabe que são erradas

Mas, se você me tratar bem, querido
Eu estarei em casa todos os dias

Mas, se você continuar a ser tão mau pra mim, querido
Eu sei que você vai acabar comigo

Pesquisar mais textos:

Sayonara Melo

Título:Fine and Mellow

Autor:Sayonara Melo(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios