Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Beleza > Será que sabe tudo sobre plásticas?

Será que sabe tudo sobre plásticas?

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Beleza
Visitas: 2
Comentários: 3
Será que sabe tudo sobre plásticas?

Sempre que pensa em enfrentar um bisturi, certamente que pensa em formas perfeitas e um visual de arrasar. Mas convém lembrar-se que para tal, vai ter que passar por alguns obstáculos, alguns dele nada agradáveis.

Assim, aqui vamos revelar-lhe algumas coisas que nunca lhe disseram e que deve saber.

- Depois de colocar silicone no peito, é natural que fique com o peito muito inchado após a cirurgia, por isso não se assuste com o novo tamanho das suas mamas. Em duas semanas, já devem notar uma regressão de 70% dos edemas. Para ajudar na recuperação, massaje o peito durante o banho.

- Não existem resultados imediatos, por isso se pensa que vai sair de clínica linda de arrasar, desengane-se. Os edemas e equimoses levam cerca de um mês a acalmar, no entanto, o resultado final só se tem passado seis meses.

- Após qualquer cirurgia plástica é normal que lhe apareçam as famosas nódoas negras. Estas tendem a desaparecer após 15 dias, mas para isso aplique pomada de arnica e faça compressas geladas.

- Quando coloca próteses de silicone para ficar com o glúteos arrebitados, o implante é colocado dentro do músculo, o que provoca uma distensão e deixa a área mais sensível à compressão e ao movimento, como tal, minimize o incómodo, sentando-se de lado, nos 15 primeiros dias.

- Após uma blefaroplastia (eliminação da flacidez e excesso de gordura nas pálpebras) os olhos ficam muito inchados. Para aliviar, deve colocar compressas frias nos dois primeiros dias e compressas mornas a partir do terceiro dia.

- Quando se submete a uma cirurgia ao nariz, deve evitar dormir de bruços nos primeiros tempos. Entretanto vá dormindo com a cabeça elevada ou aposte em almofadas anatómicas, que se encaixam no pescoço e evitam que a cabeça vire durante o sono.

- Ao submeter-se a uma abdominoplastia, para que o resultado fique bom, deve andar com a coluna ligeiramente fletida por sete dias, de forma a evitar tensões sobre a cicatriz e a diminuir as hipóteses de que a mesma se alongue. Além disso, deve dormir com as pernas dobradas.

- Usar uma cinta cirúrgica aperta, mas é fundamental para conter edemas após alguns procedimentos. Além disso, também ajuda a pele a aderir mais facilmente após a cirurgia. Ela é indispensável e quanto maior o tempo de utilização, mais depressa desaparece o inchaço.

- É mais do que normal sentir o corpo dorido, após uma lipoaspiração. Para amenizar a dor, que dura entre 3 a 8 dias, deve aplicar pomadas anti-inflamatórias durante as sessões de drenagem linfática.

Feitas as contas, se fez uma cirurgia plástica para melhorar a sua autoestima e porque quer ficar de bem com o espelho e não porque é moda ou porque alguém lhe pediu, acredite que todo o esforço valeu a pena. Afinal, não há nada melhor do que cuidar de si…


Catarina Guedes Duarte

Título: Será que sabe tudo sobre plásticas?

Autor: Catarina Guedes Duarte (todos os textos)

Visitas: 2

792 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 3 )    recentes

  • Luene ZarcoLuene

    24-06-2014 às 16:35:56

    Não sabia nem da metade sobre cirurgia plástica. Adorei seu texto, muito enriquecedor. Não tenho coragem de fazê-la, nem mesmo se tivesse ótimas condições financeiras, acho uma coisa muito vaidosa. Faria apenas se prejudicasse algo em meu corpo.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoDaniela Vicente

    11-09-2012 às 20:45:13

    acho que ninguém sabe tudo sobre sobre plásticas. é um assunto que está a abrir-se ao mundo, mas ainda não chegou a todos. eu, ao contrário do que diz a escritora, quando penso em bisturi penso em dor, sofrimento, lágrimas, doenças, entre outras coisas. a beleza, com toda a certeza, ainda não se encontra no meu horizonte. acho que é uma questão de mentalidades, embora isso tenha tendência a mudar. cada vez mais.

    ¬ Responder
  • vanessavanessa

    16-03-2009 às 16:48:12

    ola coloquei cilicone a 1 mes e 10 dias o bico do meu seios doem demais mas ontem quando fui toca los persebi que o bico esquerdo nao to sentindo esta totalmente durmente pode ate cortalo fora que nao vou sentir o que pode ser isso e normal estou super preoculpada ja ouvi caso assim agurdo resposta

    ¬ Responder

Comentários - Será que sabe tudo sobre plásticas?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os descendentes de Eça

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Literatura
Os descendentes de Eça\"Rua
Recentemente, por via da comunicação social, soubemos da entrega do prémio Leya, a um trineto de Eça de Queirós. Julgo que bastou essa noticia, para que todos ficássemos curiosos sobre os seus descendentes…esse mistério, como o Mistério da Estrada de Sintra, começou a adensar-se entre quem se interessa por estas coisas da literatura e da genealogia…então aqui deixo algumas notas que poderão ser importantes para quiçá, um dia, um qualquer jornalista, ou editor, se lembre, de conseguir reunir todos os seus descendentes vivos e se tire uma fotografia de família.

José Maria Eça de Queirós, escritor pródigo da nossa nação, contraiu matrimónio em 1886, com Emília de Castro Pamplona Resende, condessa de Resende, deixando à data de sua morte, em Paris, quatro filhos como seus descendentes e herdeiros diretos; foram eles António Eça de Queirós, Maria Eça de Queirós, Alberto Eça de Queirós e José Maria Eça de Queirós; portanto três meninos e uma menina.
Através do site Geneall.net, foi possível perceber as linhas genealógicas que se seguiram aos seus filhos. No entanto, nem todos os nomes dos seus bisnetos e trinetos estão aí presentes, com certeza por motivos de ordem pessoal, de resguardo da privacidade, motivos que não podemos questionar. Porém, é possível, pelo menos determinar a existência desses membros da família queirosiana.

De antemão sabemos que não houve descendência por parte de dois dos seus filhos, António Eça de Queirós e de Alberto Eça de Queirós.
Maria Eça de Queirós teve dois filhos, uma menina e um menino, porém a menina morreu muito nova, ficando apenas o menino, de seu nome Manuel Pedro Benedito de Castro, que mais tarde casou com Maria da Graça Salema de Castro, a mulher que se tornou a primeira diretora da Fundação Eça de Queirós, na casa de Tormes, pertença da família da esposa de Eça de Queirós. Como Manuel Pedro Benedito de Castro não teve filhos, sabemos que por este ramo, terminou a descendência do escritor.

Convém, entretanto, acrescentar aqui uma curiosidade. Depois do regresso a Portugal da viúva de Eça, ela e os filhos, foram residir para a casa da Granja, pertencente à família de Sophia de Mello Breyner. Inicialmente como esta casa costumava ser arrendada pela família de Sophia, Emília de Castro, arrendou-a, vindo a compra-la uns anos depois. Portanto, é aqui nesta casa que ela cria os seus filhos, e é onde, José Maria Eça de Queirós, um dos seus filhos, permanece após a sua morte, tendo criado aqui os seus filhos e netos, e tendo aqui também falecido.

Podemos então seguramente afirmar que a sua grande linha de descendência parte do seu filho, com o mesmo nome, José Maria Eça de Queirós, que teve também ele, atente-se à curiosidade, quatro filhos, neste caso, ao inverso, um menino, e três meninas, respetivamente de seus nomes, Manuel Eça de Queirós, Maria das Dores Eça de Queirós, Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós e Emília Maria de Castro Eça de Queirós. Esta ultima, Emília, teve ao que consta nove filhos, sendo que um deles, Afonso Maria Eça de Queirós Cabral, é quem atualmente preside à Fundação acima citada, depois da morte da primeira presidente, referida atrás, Maria da Graça Salema de Castro.

Manuel Eça de Queirós por sua vez teve seis filhos, Maria das Dores Eça de Queirós teve três filhos, e Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós, dois filhos. Somados, contabilizamos vinte, os bisnetos do famoso escritor. Seria interessante avançar um pouco mais nos ramos genealógicos e aflorar quem são ou pelo menos, quantos são os trinetos e tetranetos de Eça, por conseguinte fica aqui o desafio, pois é certo que porventura alguns destes descendentes não se conhecem, e nunca terão trocado qualquer impressão sobre o seu ascendente, para uns, bisavô, para outros trisavô, e ainda para outros, tetravô.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Os descendentes de Eça

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios