Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Imóveis Venda > Como comprar um imóvel na planta

Como comprar um imóvel na planta

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Imóveis Venda
Visitas: 8
Comentários: 5
Como comprar um imóvel na planta

Sonhar com a casa própria é um desejo comum em todo o mundo, mas as possibilidades aumentam quando a compra é programada, o que significa sem muita pressa. Desse modo é mais viável, pois a negociação antecipada facilita o fechamento e o valor das prestações durante a construção é menor do que de um imóvel pronto para morar. A questão é que nem todos os compradores ficam satisfeitos. O que acontece nesses casos é que detalhes importantes de medidas que se deve tomar para tudo correr bem, não foram tomadas.
Vamos apresentar cuidados que se deve ter na compra.

Anote o endereço completo de onde está sendo construído o imóvel. Vá a Prefeitura Municipal para se informar se constam dívidas de IPTU e quem são os proprietários do terreno. Pergunte ao corretor responsável pela venda, em qual cartório o imóvel está registrado. Procure o cartório indicado para saber se o imóvel está livre para a venda. Essa ação é muito importante para se certificar se o terreno está livre para venda ou se há dívidas como hipoteca, bloqueio de bens, inventário ou se está sob alienação.




Leia o contrato de compra e venda. É muito importante conhecer todas as cláusulas do contrato, caso não tenha tempo, peça ao corretor uma cópia e leia em casa.
Solicite que todas as informações que foram ditas estejam descritas no contrato antes de assinar. Peça que seja discriminada a data da entrega, o número de parcelas, o valor ou percentual que será pago na entrega das chaves, assim também como o valor ou percentual de entrada (sinal).

Verifique se na rua do imóvel tem iluminação adequada e abastecimento regular de água. Para saber, pergunte aos moradores da rua e no comércio local.
Observe nos muros dos imóveis mais próximos se existem marcas que indiquem possíveis alagamentos. Olhe também se nas casas tem um tipo de mureta na entrada, esse é outro indício de que pode haver alagamento durante as chuvas.

Preste atenção quanto ao resíduo de valor. Exija que seja adicionado ao contrato, um termo que deixe claro que ao terminar de pagar (caso a compra seja por meio de financiamento) que o imóvel não sofrerá nova avaliação de mercado, ou seja; o valor apresentado não sofrerá alteração, a não ser os reajustes estipulados nas mensalidades como o IGP-M, que é a base de caçulo mais utilizada.
Muitas construtoras alegam que o reajuste durante a construção precisa ser diferente, pois a mão de obra pode aumentar. É fato, mas evite fazer esse tipo de contrato, o valor pode ficar acima das suas condições financeiras e prejudicar a continuidade do pagamento.

Ao comprar um imóvel na planta, registre o contrato em cartório.

Bons negócios!


Sílvia Baptista

Título: Como comprar um imóvel na planta

Autor: Sílvia Baptista (todos os textos)

Visitas: 8

605 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 5 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoZuca

    24-05-2014 às 23:40:56

    Mas para comprar na planta não é perigoso?

    ¬ Responder
  • SophiaSophia

    28-05-2014 às 03:53:52

    Olá, é um tanto perigoso, deve-se consultar um bom profissional e conhecer bem, ter referência de quem está na frente da planta(construtora) e ter muito cuidado. Mas, como todo empreendimento há suas vantagens e desvantagens!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãozuca

    04-06-2014 às 21:51:42

    muito obrigado pela ajuda sophia

    ¬ Responder
  • SophiaSophia

    05-05-2014 às 23:31:45

    A compra do imóvel na planta sai bem mais barato. A outra vantagem é que o recebimento do imóvel é mais rápido para quem compra na planta. Adorei o texto!

    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • fabiana

    08-07-2013 às 08:49:30

    bom dia!
    gostaria de obter o email da redação, com o intuito de encaminhar uma matéria feito pelo jornalista sobre imovéis.

    ¬ Responder

Comentários - Como comprar um imóvel na planta

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Superstições Náuticas

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Barcos
Superstições Náuticas\"Rua
Todos temos as nossas manias e superstições. Não que se trate de comportamentos compulsivos, mas a realidade é que mesmo para quem diz que não liga nenhuma a estas coisas, as superstições acompanham-nos.

Passar por baixo de uma escada, deixar a tesoura, uma porta de um armário ou uma gaveta aberta ou até deixar os sapatos em posição oposta ao correcto, são das superstições mais comuns. As Sextas-feiras 13 também criam alguma confusão a muita gente, mas muitos são os que já festejam e brincam com a data.

Somos assim mesmo, supersticiosos, uns mais do que outros, mas é uma essência que carregamos, mesmo que de forma inconsciente.

Existem no entanto profissões que carregam mitos mais assustadores do que outros, e por exemplos muitos actores não entram em palco sem mandar um “miminho” uns aos outros.

Caso de superstição de marinheiro é dos mais sérios e se julga que se trata só de casos vistos em filmes de piratas, desengane-se. Os marinheiros dos dias de hoje carregam superstições tão carregadas de emoção quanto os de outros tempos.

Umas mais caricatas do que outras, as superstições contam histórias e truques. Por exemplo, contra tempestades, muitos marinheiros colam uma moeda no mastro dos navios.

Tal como fazem os actores, desejar boa sorte a um marinheiro antes de embarcar, também não é boa ideia. Os miminhos dados antes de entrar em palco também servem para o efeito.

Dar um novo nome a um barco é uma péssima ideia para um marinheiro. Dizem que muitos há que não navegam em barcos rebaptizados.

Lembra-se que os piratas de outros tempos utilizavam brincos? Pois isto faz parte de uma superstição. Dizem que os brincos evitam que se afoguem.

Entrar com um pé direito na embarcação é sinal de bons ventos. Tal como acontece com muitos de nós, os marinheiros também não gostam de entrar de pé esquerdo.

Já desde remotos tempos se dia que assobiar traz tempestades. Ora aqui está um mote dos marinheiros, pelo que se assobiar numa embarcação, arrisca-se a ter chatices com o marinheiro.

Verdades ou mentiras, as superstições existem e se manter os seus próprios mitos acalma um marinheiro, então que assim seja. Venham as superstições náuticas que cá estamos para as ouvir.

Já agora uma curiosidade ainda maior. Dizem que se tocar a gola de um marinheiro passará a ter sorte. Será verdade ou foi um marinheiro que inventou?

Pesquisar mais textos:

Carla Horta

Título:Superstições Náuticas

Autor:Carla Horta(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    17-06-2014 às 06:39:27

    Não acredito em superstições de forma alguma.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios