Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Jóias Relógios > Relógios de cuco

Relógios de cuco

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Jóias Relógios
Visitas: 28
Comentários: 2
Relógios de cuco

Os relógios de cuco são um tipo de relógio tradicionalmente regulado por um pêndulo que, além de dar horas, como um relógio normal solta um pequeno cuco, tornando-se o seu chamamento audível.

Este relógio é diferente dos outros e funciona graças a uma série de componentes externos que, juntos ejetam o cuco e reproduzem o seu som de forma sincronizada com os ponteiros do mostrador.

O relógio de cuco já está atualmente na sua forma moderna e diversificou-se em três tipos principais.

O primeiro tipo é pois, considerado o mais tradicional, tendo sido criado na zona da floresta Negra e é o mais valioso devido à qualidade do fabrico dos relógios de cuco da região.
Estes são totalmente mecãnicos, e é necessário dar-lhes corda frequentemente, e funciona graças a pesos pendurados sob o relógio.

Consideram-se dois tipos distintos de mecanismos, com efeito, de um dia e de oito dias.
O segundo tipo de relógio é o chamado chalé, inventado no final do século XIX, na Suiça.
estes relógios assemelham-se a chalés de madeira e usam sistemas mecânicos ou de quartzo, consoante a sua qualidade.

Além disso este relógio inclui um mecanismo que consta de um oscilador eletrónico que é regulado por um cristal de quartzo, com o oscilador a criar um sinal com uma frequência muito precisa. Funciona a pilhas e dispensa cordas e pesos.

Os relógios de chalé diferem das variantes Floresta Negra por terem, habitualmente, outras figuras além da tradicional ave, como lenhadores e criadas.

Contudo, a mais recente variante destes relógios de cuco é o de quartzo moderno.

O motivo é que tendem a ser mais contidos em design e têm mecanismos internos não tradicionais, como por exemplo os relógios de quartzo modernos que produzem o seu circular eletrónicamente, através de uma gravação digital, ao invés dos tradicionais sistemas de fole duplo.

O interior do relógio contêm pesos, correntes, um pêndulo, na parte da frente.
Da parte de trás, contêm uma ave, martelo, assobios e um mecanismo que consiste numa série de engrenagens que controlam o martelo, nomeadamente os assobios e ejeção da ave.
Na verdade a atribuição da criação dos tão célebres relógios de cuco foi atribuída ao matemático grego Ctesíbio.

Ainda hoje são um grande sucesso e alvo de coleçções por parte de muita gente.


Teresa Maria Batista Gil

Título: Relógios de cuco

Autor: Teresa Maria Gil (todos os textos)

Visitas: 28

798 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • Luene ZarcoLuene

    20-09-2014 às 13:45:48

    Tão bom ter esse relógio de cuco em casa! Achei muito interessante e genial. Adorei o texto!

    ¬ Responder
  • SophiaSophia

    09-05-2014 às 16:04:18

    Que lindo esse relógio de cuco! Ainda não havia escutado sobre ele, adorei o texto que me fez conhecê-lo.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - Relógios de cuco

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como economizar energia em condomínios, empresas e edificações comerciais

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Energias Renováveis
Como economizar energia em condomínios, empresas e edificações comerciais\"Rua
Economizar energia elétrica é importante para nós e para o planeta, já que esse recurso é produzido, em sua grande maioria, através de processos caros e extremamente prejudiciais ao meio ambiente.

O consumo racional e eficiente de energia elétrica depende de mudanças de hábito por parte dos consumidores (residenciais, comerciais e industriais), principalmente no que diz respeito a ações cotidianas.

Nesse texto selecionamos algumas dicas e informações de grande utilidade pra ajudá-los a programar o uso racional da energia elétrica em condomínios, empresas e em edificações comerciais.

Tome nota:

•Faça manutenção planejada e constante nas instalações elétricas, e não sobrecarregue os circuitos além do que foi especificado em projeto, ou pelo eletricista. A falta de manutenção e a sobrecarga dos circuitos podem causar curtos, aquecer a fiação e permitir que quantidade significativa de energia elétrica se perca pela rede, e ainda danifique a própria fiação.

•Troque todas as lâmpadas incandescentes por fluorescentes (tubulares ou compactas), e, se possível, invista na iluminação de LED. As lâmpadas de LED consomem cerca de 80% menos de energia elétrica, quando comparadas às incandescentes e duram oito vezes mais.

•Se o ambiente é muito grande, muito largo, ou muito extenso, divida a iluminação em vários circuitos. Essa medida permite o desligamento parcial de lâmpadas em desuso ou desnecessárias.

•Em áreas de pouca circulação e de permanência transitória como corredores, sanitários, garagens, áreas de serviço e copas, é recomendável a instalação de sensores de presença, mecanismos que acionam a iluminação somente quando houver circulação de pessoas.

•Em áreas cuja iluminação natural consegue ser aproveitada, podem ser também instalados sensores de fotocélulas, dispositivos que detectam automaticamente a necessidade de acionamento da iluminação artificial quando a iluminação natural é insuficiente (á noite e em dias nublados, por exemplo).

•Mantenha as luminárias sempre limpas para que a potência das lâmpadas seja 100% aproveitada.

•Pinte as paredes internas e os tetos dos ambientes com cores claras, pois essas refletem e espalham a luz para todo o ambiente.

•Troque equipamentos elétricos velhos, motores defasados, aparelhos de ar condicionados antigos, luminárias muito gastas, por modelos mais novos, que já são projetados para consumirem menos energia elétrica, e contam com selos de garantia que os qualificam com relação à eficiência.

•Faça manutenção e limpeza constantes nos aparelhos de ar condicionado. Filtros sujos exigem maior esforço dos aparelhos (maior gasto energético) no processo de refrigeração e ainda causam grande risco à saúde.

•Não deixe caixas condensadoras e resfriadoras do sistema de ar condicionados instaladas em locais onde recebam incidência solar constante. Quando recebem sol durante muito tempo esses equipamentos chegam a consumir o dobro da energia prevista, já que a utilizam primeiramente para promover o seu próprio resfriamento e só depois a refrigeração dos ambientes.

Aproveitem nossas dicas e se precisarem de mais informações, entrem em contato com um profissional capacitado.

Pesquisar mais textos:

Danília Oliveira Gonçalves

Título:Como economizar energia em condomínios, empresas e edificações comerciais

Autor:Danília Oliveira Gonçalves(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios