Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Instrumentos Musicais > A música é de todos

A música é de todos

Visitas: 12
Comentários: 2
A música é de todos

Há pessoas que são peritas em música. Possuem um dom natural, têm “queda” para a música, como se costuma dizer. Umas cantam maravilhosamente, para outras são os instrumentos musicais o grande fascínio. Depois há também as que desaproveitam um talento inato e aquelas que insistem em recusar que não são de todo dotadas para tal temática, “espalhando-se ao comprido”. Estas, poderia declarar-se, “tropeçam” na música, para não dizer mesmo que a assassinam! É um verdadeiro crime desvirtuar de forma tão dantesca a harmoniosa composição das notas…

Neste contexto, os instrumentos musicais podem ajudar ou complicar. Quando devidamente tocados, disfarçam; se literalmente arranhados, pioram tudo muito bem.
Há casos em que o que ressai é uma autêntica “sinfonia da asneira”, isto em linguagem benigna, pois a irritabilidade originada pelo ferir do ouvido sugeriria algo mais contundente.

À semelhança dos órgãos do corpo, todos os instrumentos musicais têm a sua importância numa orquestra.
Haverá os mais utilizados e sobressalientes, e os que, não obstante a sua discrição e subtileza, se revelam, contudo, essenciais. Até os aparentemente mais simples possuem uma ciência e uma cadência próprias a serem captadas e exploradas, a fim de darem o seu máximo contributo para o conjunto.
Orquestrar ou instrumentar constitui a especialidade de muita gente, não tanto no domínio musical, mas no seguimento de pautas de vida bastante discutíveis e, regra geral, nada lícitas, em que se usam outros géneros de instrumentos, mais virados para a mentira, a fraude, a extorsão, o engano, a traição e demais “familiares” directos. Alguns destes protagonistas, de tanto e tão alto que falam, mais parecem declarar concorrência ao trombone…

Melodias perversas à parte, não há dúvida que a música, ainda que apenas instrumental, favorece a criação de ambientes bastante agradáveis e únicos. Tanto em casa, como num restaurante e mesmo na rua (por exemplo na altura do Natal), é possível relaxar, retemperar forças ou, simplesmente, apreciar. Nalguns casos, como o do filme «Música no coração», esta arte milenar pode inclusive modificar corações (quando se tem um, obviamente!), tornando-os mais flexíveis, dóceis e vulneráveis. Efectivamente, a música não apresenta um carácter meramente auditivo; os sentimentos encontram-se intimamente associados aos ritmos dos diferentes instrumentos.

Quantas histórias de amor não têm como pano de fundo uma canção específica, escutada numa conjuntura favorável à actuação do Cupido… Quantos instrumentos musicais não tocam quase autonomamente em honra de alguém, como que perscrutando realidades íntimas e profundas… De facto, tocar sentidamente um instrumento corresponde, amiúde, a tocar o coração de quem tem sensibilidade para captar a mensagem.



Maria Bijóias

Título: A música é de todos

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 12

615 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • SophiaSophia

    07-05-2014 às 23:33:00

    A música inspira a alma, nos faz receber uma linda mensagem seja de amor, amizade, despedida ou saudade. Realmente, um mundo sem música seria tão chato! Viva a boa música e sua diversidade de ritmos!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • André BelacorçaAndré Belacorça

    17-09-2012 às 15:50:32

    A música entra nas nossas vidas como se já fizesse parte delas, por vezes torna-se uma companhia indispensável, ouvir música é ultrapassar além-barreiras, é como levantar o espírito das tristezas.

    ¬ Responder

Comentários - A música é de todos

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os primeiros brinquedos

Ler próximo texto...

Tema: Brinquedos
Os primeiros brinquedos\"Rua
O brinquedo é mais do que um objecto para a criança se divertir e distrair, é também uma forma de conhecer o mundo que tem ao seu redor e para dar asas à sua imaginação. Desta forma, os brinquedos sempre estiveram presentes na sociedade.

Os primeiros brinquedos datam de 6500 anos atrás, no Japão, em que as crianças brincavam com bolas de fibra de bambu. Entretanto há 3000 anos surgiram os piões feitos de argila e decorados, na Babilónia.

No século XIII apareceram os soldadinhos de chumbo, porém só eram acessíveis às famílias nobres. Cinco séculos mais tarde, apareceram as caixas de música, criadas por relojoeiros suíços.

As bonecas são muito antigas, surgiram enquanto figuras adoradas como deusas, há 40 mil anos, mas a primeira fábrica abriu apenas em 1413 na Alemanha. Barbie, a boneca mais famosa do mundo, foi criada em 1959, mas ainda hoje é das mais apetecíveis pelas crianças.

O grande boom dos brinquedos aconteceu quando se descobriu o plástico para o fabrico. Mesmo assim, muitas famílias não podiam comprar brinquedos aos filhos, como tal, estes utilizavam diversos tipos de materiais e construíam os seus próprios brinquedos.

Actualmente, as crianças têm acesso a uma enorme variedade de brinquedos, desde bonecas, a carros telecomandados, a videojogos… Educativos ou apenas lúdicos, há de tudo e para todos os gostos e preços.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Os primeiros brinquedos

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • umdolitoys 23-01-2013 às 05:46:38

    Adorei a reportagem! e tenho algo para vocês verem!!

    Espero que gostem!!!

    ¬ Responder
  • sofia 22-07-2012 às 21:56:29

    Achei muito interecante e muito legal saber que ano foi fabricadoas bonecas

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios