Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Pressão Alta: Conheça Os Riscos E O Que Se Pode Fazer Para Fugir Dos Índices Negativos Relacionados À Esta Doença

Pressão Alta: Conheça Os Riscos E O Que Se Pode Fazer Para Fugir Dos Índices Negativos Relacionados À Esta Doença

Categoria: Saúde
Pressão Alta: Conheça Os Riscos E O Que Se Pode Fazer Para Fugir Dos Índices Negativos Relacionados À Esta Doença

A hipertensão, ou pressão alta, é uma enfermidade que mais atualmente vem acometendo um número alarmante de pessoas. Mais recentemente foram contabilizadas aproximadamente 1 bilhão de pessoas hipertensivas no mundo.

Categorizada entre as principais causas de óbito no plano mundial, por ser um fator extremamente nocivo para doenças cardiovasculares e cardíacas, a hipertensão encontra-se ligada a mais de 9 milhões de mortes todos os anos (dados da Organização Mundial de Saúde).

A doença se caracteriza pelo aumento da pressão dentro dos vasos sanguíneos. Esta pressão está relacionada com a força utilizada pelo coração para bombear o sangue para todo o corpo. O seu valor é determinado pela quantidade de sangue corrente dentro dos vasos e pela força com que o coração utiliza para bombeá-lo.

Quando não tratada, a pressão alta pode causar acidentes vasculares cerebrais (AVC), anginas (dores fortes no peito), infartos, arritmias cardíacas e doenças renais. A intensidade com a qual estes males se manifestam e outras condições particulares de cada indivíduo podem ser fatais.

Alguns fatores podem determinar o seu aumento, diminuição e controle. O maior perigo é não tratar de providenciar atitudes que tenham por objetivo a sua estabilidade em um nível saudável.

Para a manutenção de uma pressão arterial saudável, recomenda-se a adoção de uma dieta mais balanceada, na qual o sal não ultrapasse os 5 gramas de sal diário (A OMS recomenda um consumo menor que 5 gramas de sal ou menos de 2 gramas de sódio por dia).

Deve-se também reduzir o consumo exagerado de álcool e adotar uma rotina menos sedentária.

Por ser uma doença ao início silenciosa, deve-se sempre estar atento a alguns sintomas que indicam a sua presença, tais como: dores de cabeça, sensação de fraqueza, dores na região do peito, sangramentos no nariz, tonturas, visão turva entre outros.

Atenção! Estes sintomas costumam se manifestar quando a pressão se encontra em um nível muito alto, por isso, faça uma acompanhamento médico periódico com vistas a prevenir futuras complicações.

A adoção de hábitos mais saudáveis pode ser decisiva diante dos altos índices de mortalidade. Não custa muito realizar pequenas mudanças no dia a dia, tendo em vista que o valor a ser cobrado pela displicência com a saúde pode ser o de fazer parte das estatísticas negativas.

http://www.saredrogarias.com.br/


Rua Direita

Título: Pressão Alta: Conheça Os Riscos E O Que Se Pode Fazer Para Fugir Dos Índices Negativos Relacionados À Esta Doença

Autor: Rua Direita (todos os textos)

Visitas: 0

527 

Comentários - Pressão Alta: Conheça Os Riscos E O Que Se Pode Fazer Para Fugir Dos Índices Negativos Relacionados À Esta Doença

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como economizar energia em condomínios, empresas e edificações comerciais

Ler próximo texto...

Tema: Energias Renováveis
Como economizar energia em condomínios, empresas e edificações comerciais\"Rua
Economizar energia elétrica é importante para nós e para o planeta, já que esse recurso é produzido, em sua grande maioria, através de processos caros e extremamente prejudiciais ao meio ambiente.

O consumo racional e eficiente de energia elétrica depende de mudanças de hábito por parte dos consumidores (residenciais, comerciais e industriais), principalmente no que diz respeito a ações cotidianas.

Nesse texto selecionamos algumas dicas e informações de grande utilidade pra ajudá-los a programar o uso racional da energia elétrica em condomínios, empresas e em edificações comerciais.

Tome nota:

•Faça manutenção planejada e constante nas instalações elétricas, e não sobrecarregue os circuitos além do que foi especificado em projeto, ou pelo eletricista. A falta de manutenção e a sobrecarga dos circuitos podem causar curtos, aquecer a fiação e permitir que quantidade significativa de energia elétrica se perca pela rede, e ainda danifique a própria fiação.

•Troque todas as lâmpadas incandescentes por fluorescentes (tubulares ou compactas), e, se possível, invista na iluminação de LED. As lâmpadas de LED consomem cerca de 80% menos de energia elétrica, quando comparadas às incandescentes e duram oito vezes mais.

•Se o ambiente é muito grande, muito largo, ou muito extenso, divida a iluminação em vários circuitos. Essa medida permite o desligamento parcial de lâmpadas em desuso ou desnecessárias.

•Em áreas de pouca circulação e de permanência transitória como corredores, sanitários, garagens, áreas de serviço e copas, é recomendável a instalação de sensores de presença, mecanismos que acionam a iluminação somente quando houver circulação de pessoas.

•Em áreas cuja iluminação natural consegue ser aproveitada, podem ser também instalados sensores de fotocélulas, dispositivos que detectam automaticamente a necessidade de acionamento da iluminação artificial quando a iluminação natural é insuficiente (á noite e em dias nublados, por exemplo).

•Mantenha as luminárias sempre limpas para que a potência das lâmpadas seja 100% aproveitada.

•Pinte as paredes internas e os tetos dos ambientes com cores claras, pois essas refletem e espalham a luz para todo o ambiente.

•Troque equipamentos elétricos velhos, motores defasados, aparelhos de ar condicionados antigos, luminárias muito gastas, por modelos mais novos, que já são projetados para consumirem menos energia elétrica, e contam com selos de garantia que os qualificam com relação à eficiência.

•Faça manutenção e limpeza constantes nos aparelhos de ar condicionado. Filtros sujos exigem maior esforço dos aparelhos (maior gasto energético) no processo de refrigeração e ainda causam grande risco à saúde.

•Não deixe caixas condensadoras e resfriadoras do sistema de ar condicionados instaladas em locais onde recebam incidência solar constante. Quando recebem sol durante muito tempo esses equipamentos chegam a consumir o dobro da energia prevista, já que a utilizam primeiramente para promover o seu próprio resfriamento e só depois a refrigeração dos ambientes.

Aproveitem nossas dicas e se precisarem de mais informações, entrem em contato com um profissional capacitado.

Pesquisar mais textos:

Danília Oliveira Gonçalves

Título:Como economizar energia em condomínios, empresas e edificações comerciais

Autor:Danília Oliveira Gonçalves(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios