Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Instrumentos Musicais > Os Segredos de um Acordeão

Os Segredos de um Acordeão

Visitas: 22
Comentários: 2
Os Segredos de um Acordeão

Quando vemos um acordeão, imaginamos logo um grupo musical tipicamente Português. Aquele típico grupo musical que alegra as festas lá da terra, e põe toda a gente a dançar.

Um acordeão é à primeira vista um instrumento difícil de tocar, e quem diz á primeira, diz à segunda ou à terceira. O acordeão é de facto um instrumento complicado de tocar devido não só ao dedilhar necessário, mas também pela sua forma e peso.

O acordeão é um instrumento aerófono (produzido pela vibração do ar), composto por um fole (a característica que mais o identifica), um diapasão (parte metálica em forma de forquilha) e duas caixas harmónicas de madeira.

Se acha que esta é uma forma de descrever o acordeão, saiba que há muito mais para contar.

Também conhecido por concertina (a diferença está no número de baixos que são 120), julga-se que o acordeão tenha sido inventado na China em 2700 anos Antes de Cristo e sofreu os mais variados desenvolvimentos com o passar dos anos de forma a que muitos pensam que tenha sido inventado na Alemanha de 1700 por Christien Friederich Ludwig Buschmann.

O inconfundível som do acordeão é emitido através do aperto do ar entre duas palhetas (ficam localizadas dentro do fole – Castelo). É a vibração das palhetes que emite um som mais grave ou mais agudo (quanto mais distantes, mais grave se torna o som). Naturalmente que quanto mais o ar for forçado, mais alto é o som. Se já reparou que um acordeonista está permanentemente a fazer abrir e fechar o fole, saiba que este gesto é o que faz circular o ar dentro do fole.

Por norma um acordeão tem quatro registos, sendo composta por diferentes oitavas para uma só tecla (parte lateral do acordeão) São estas teclas, as responsáveis pelo som inconfundível do acordeão. O teclado é tocado com a mão direita e tem o mesmíssimo aspecto de um teclado de um piano.

Ora se com a mão direita se toca no teclado, com a mão esquerda temos uma imensidão de botõezinhos em fila indiana. Os botões têm a função de produzir a sonoridade e intensidade do som emitido pelo acordeão.

Se acha que o acordeão ou a concertina são instrumentos tipicamente Portugueses e tocados nas chamadas Santas Terrinhas, engana-se. Tchaikovsky (compositor romântico Russo – 1840 / 1893) foi um dos muitos compositores que trabalhou peças com o acordeão.


Carla Horta

Título: Os Segredos de um Acordeão

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 22

761 

Imagem por: Orin Zebest

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • André BelacorçaAndré Belacorça

    17-09-2012 às 17:02:31

    muito bom :)

    ¬ Responder
  • Alberto

    04-09-2012 às 12:46:42

    É no mínimo "tosco" dizer que o Tchen é um acordeão. O acordeão foi inventado por Buschmann, mas ele não fez isso sozinho - diversos artesões estavam empenhados nesta época, o que contribuiu para que o Buschmann apresentasse a primeira forma consistente deste instrumento maravilhoso. Mais tarde, Cyrill Demian, austríaco, patenteou o invento, já com inúmeras melhorias. Foi, no entanto, Demian o primeiro divulgador deste instrumento, tanto que o então jovem Paolo Soprani, italiano, se interessou em reproduzir o "novo invento". A influência de Paolo Soprani foi enorme, pois em Ancona, Itália, temos a maior concentração de confeccionadores de acordeão e bandoneon no mundo - e de qualidade indiscutível. Na Alemanha, no entanto, precursora no instrumento, existem poucos fabricantes, mas de excelente qualidade. Outros países como a Eslovênia, Holanda e França também dominam bem a arte. No Brasil tivemos a Todeschini, que em seu auge, chegou a produzir 1500 acordeões de altíssima qualidade.

    Enfim, os chineses inventaram o mecanismo da palheta livre, mas não são os inventores do acordeão.

    ¬ Responder

Comentários - Os Segredos de um Acordeão

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Informática
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?\"Rua
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Bom, Não é de hoje que tecnologia vem surpreendendo a todos nós com grandes revoluções e os custos que diminuem cada vez mais.
Hoje em dia é comum ver crianças com smarthphones com tecnologia que a 10 anos atrás nem o celular mais moderno e caro do mercado tinha.
Com isso surgiram sugiram vários profetas da tecnologia e visionários, tentando prever qual será o próximo passo.

E os filmes retratam bem esse tema e usam essa formula que atrai a curiosidade das pessoas.
Exemplos:

Minority report - A nova lei de 2002 (Imagem)

Transcendence de 2014

Em Transcendence um tema mais conspiratório, onde um ser humano transcende a uma consciência artificial e assim se torna imortal e com infinita capacidade de aprendizagem.
Vale a pena ver tanto um quanto o outro filme. Algumas tecnologias de Minority Report, como utilizar computadores com as mãos (caso do kinect do Xbox 360 e One) e carros dirigidos automaticamente, já parecem bem mais próximo do que as tecnologias vistas em Transcendence, pois o foco principal do mesmo ainda é um tema que a humanidade engatinha, que é o cérebro humano, a máquina mais complexa conhecida até o momento.

Eu particularmente, acredito que em alguns anos teremos realmente, carros pilotados automaticamente, devido ao investimento de gigantes como o Google e o Baidu nessa tecnologia.

Também acho que o inicio da colonização de Marte, vai trazer grandes conquistas para humanidade, porém grandes desafios, desafios esses que vão nos obrigar a evoluir rapidamente nossa tecnologia e nossa forma de encarar a exploração espacial, não como um gasto, mas sim como um investimento necessário a toda humanidade e a perpetuação da sua existência.

A única salvação verdadeira para humanidade e para o planeta terra, é que seja possível o ser humano habitar outros planetas, seja localizando planetas parecidos com a terra ou mudando planetas sem condições para a vida em planetas habitáveis e isso só será possível com gente morando nesses planetas, como será o caso do Marte. O ser humano com a sua engenhosidade, aprendeu a mudar o ambiente a sua volta e assim deixou de ser nômade e da mesma forma teremos que aprender a mudar os mundos, sistemas, galáxias e o universo a nossa volta.

Espero que tenham gostado do meu primeiro texto.
Obrigado à todos!
Até a Próxima!


Pesquisar mais textos:

Érico da Silva Kaercher

Título:Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Autor:Érico da Kaercher(todos os textos)

Imagem por: Orin Zebest

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios