Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > O Bullying Dentro de Casa

O Bullying Dentro de Casa

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Visitas: 314
Comentários: 3
O Bullying Dentro de Casa

Muito se tem falado sobre o bullying e a forma como afeta as nossas crianças e jovens. Esta agressividade, quer seja física ou emocional, causa marcas irreversíveis para toda a vida. Existem inclusive traumas que têm de ser tratadas com visitas a um terapeuta ou psicólogo e acompanhadas por medicação.
Ansiedade, angustia e muitas vezes o desespero são sentimentos que muitas das nossas crianças e jovens conhecem e as vitimas não conseguem muitas vezes encontrar um equilíbrio e uma saída. A família é fundamental para superar casos de bullying e a tranquilidade e segurança que sentem em casa são fatores fundamentais para ultrapassar tão gigantesco problema.
No entanto, em casa, o bullying pode acontecer de forma muito mais agressiva. Naquele que é supostamente o meio mais reconfortante, existem crianças que sofrem bulliyng por parte de membros diretos da família.
Existem casos de irmãos que não suportam a presença e a existência do irmão e qualquer meio serve para atingir o fim. Proporcionar todos os maus momentos possíveis ao irmão, em prol de mostrar aos pais que ele sim, é o menino e filho exemplar.
Ao viverem na mesma casa, o agressor sente-se num local conhecido e a sua confiança aumenta. Quanto à vítima, a situação é bem mais complicada, até porque para falar com os pais, não se queixará de outra criança qualquer, mas sim do outro filho deles. Poderá ter a sensação que os pais não vão acreditar na sua palavra ou que irão escolher o irmão, o que agravará ainda mais a sua posição dentro de casa.
No entanto, os irmãos podem não ser os agressores. A agressão verbal pode partir da parte de um dos progenitores. A violência física pode nunca existir, mas as agressões verbais traumatizam e marcam para toda a vida.
Uma mãe que não incentive um filho ou que não o encoraje para a vida, contribui para um saldo negativo na autoestima do filho. Agredi-lo com palavras que contribuem para ele se sinta deprimido é bullying.
Quantos são aqueles que criticam noticiários e jornais que relatam casos de bullying e o fazem em casa quando tornam os seus filhos em pessoas inseguras e nervosas? Acusar um filho de que não faz nada bem, de que a sua existência implica necessidades da sua parte, que deixou de viver como queria quando ele nasceu e até mesmo numa recusa permanente de amor maternal/paternal são considerados maus tratos aos olhos de qualquer um que o olhe de fora.
Estude as suas atitudes perante os seus filhos. Ninguém diz que desculpar e permitir excessos é dar amor, mas dê atenção e siga os passos deles. Encoraje-os e permita que eles errem, afinal, isso faz parte de viver. Alimente a autoestima dos seus filhos e perante dificuldades, deixe-os tentar, dando-lhes a certeza que estará por perto para apoiar a queda e tratar-lhes das feridas.

Carla Horta

Título: O Bullying Dentro de Casa

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 314

767 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 3 )    recentes

  • Vicente SilvaVicente

    18-08-2014 às 04:47:20

    Muito difícil quando o bullying é dentro de sua própria casa. É bom saber lidar com isso, mas nem sempre temos paciência.

    ¬ Responder
  • Marcello Godoy

    19-12-2013 às 02:58:08

    passei a maior parte da vida sofrendo bullying, desde a minha infância eu vivo nesse inferno
    hoje tenho 26 anos e autismo leve, e ainda sofro com essa forma NEFASTA de assédio moral e dentro da minha família o buraco é bem mais embaixo, aliás, qualquer lugar é propenso pra sofrer bullying
    resumindo, eu durmo com vários inimigos fortíssimos e ninguém, eu disse NINGUÉM, faz nada, ou seja, é eu sozinho contra todo mundo

    ¬ Responder
  • regiane soeiro casanova

    13-03-2013 às 10:46:32

    foi importante conhecer mais um pouco de bullyng,passei por isso quando criança,e hoje vivo tentando esquecer.é ótimo as pessoas tomarem conhecimento disso pois evitaremos muitas tragedias e sofrimentos para ambos.

    ¬ Responder

Comentários - O Bullying Dentro de Casa

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios