Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Viagens > O arquipélago de Cabo Verde

O arquipélago de Cabo Verde

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Viagens
Visitas: 4
Comentários: 1
O arquipélago de Cabo Verde

Cabo Verde é um arquipélago vulcânico composto por 10 ilhas e 8ilhotas no Oceano Atlântico a 450 km de o ponto mais ocidental do continente Africano, que foi descoberto por navegadores portugueses em 1460.



O povo cabo-verdiano é o resultado da miscigenação entre colonizadores portugueses e escravos africanos, o que resultou em uma mistura de entretenimento, cultura e criatividade, o que vai motivar-nos para desfrutar de umas férias diferentes.



INFORMAÇÕES ÚTEIS


Nome oficial: República de Cabo Verde
Área: 4,030 km ²
População: 401.343 habitantes.
Capital: Praia (61.797 hab.)
Nacionalidades e grupos étnicos: 71% crioulo, 28% Africano e 1% europeu
Idioma: Português e Crioulo (misturado Português crioulo e palavras da África Ocidental)
Religião: Católica (combinado com crenças indígenas) e protestante
Vistos: Todos os visitantes precisam de visto
Hora local: GMT-1
Electricidade: 220 V, 50 Hz

O QUE VER EM CABO VERDE?



Sal

É uma peça de ouro do deserto no meio do oceano, uma pérola de sol, areia e sal. Fuga Sal, significa ter um período de férias com 365 dias de sol, ideal para escapar da poluição, vento surf ou mergulho em um tranquilo refúgio tropical, uma ilha sem stress.
Seus melhores praias são, na pequena cidade de Santa Maria, no extremo sul da ilha, e apenas 18 km do aeroporto.



São definidos por terem areia muito macia e água tão clara que você pode ver sua sombra no fundo da água. De manhã cedo e descarregada lembro de ver peixe fresco e frutos do mar, o que você pode desfrutar em seus restaurantes. Você também pode desfrutar de jet ski, esqui aquático e pesca, entre outras atividades.



Santiago

Escravos da Costa da Guiné foram os primeiros habitantes de Santiago. Hoje, a ilha é considerada a mais Africano do arquipélago e é o lar de metade da população de todas as ilhas.

Sua capital é a Praia com o seu mercado, onde tudo o que cresce na ilha e no mar. Cheia de contrastes, ninguém escapa Sucupira boas compras, uma visita a São Jorge, onde há um jardim botânico e espetacular para Tarrafal, que é uma pequena vila de pescadores cercada por longas praias com coqueiros. Não se esqueça de visitar a Cidade Velha, a antiga capital de Cabo Verde, que tem sido o maior mercado de escravos no mundo.



São Vicente

A coisa mais importante é a sua capital São Vicente "Mindelo", que foi desenvolvido no século XIX, como uma escala de pontos muito importante entre os continentes.
É marcado por seu porto natural, que é aberto a todas as culturas e costumes que se cruzam com um sotaque britânico, destacando suas tavernas.

É um paraíso para os amantes da vida noturna que vêm para dançar aos seus clubes, marcados pela dança crioula.
Não deixe de visitar o século XVIII Castelo e Torre de Belém (imitação pequena da uma em Lisboa).



Boavista

É a ilha mais próxima ao continente Africano e mais tropical, localizado a 20 minutos de avião de sal e quatro horas de barco. O clima ea paisagem são influenciadas pelos ventos quentes e secos do Saara.
Suas dunas de areia e oásis de palmeiras formam um cenário típico de deserto ao longo de seus 60 quilômetros de cristalinas águas azul-turquesa da ilha torna um paraíso ideal para esquecer o stress.
Não deixe de visitar o deserto de Viana, João Barrosa praia em que as tartarugas se reproduzem e Corralinho praia.


 
Fogo

A ilha do Fogo deve a sua existência ao Pico do vulcão do Fogo, com seus imponentes 2.829 metros acima do nível do mar.

Localizado a 60 km de Santiago. Para tomar um banho pode ir para Vale de Cavleiros ou Bay Salinas. De manhã cedo é o tempo para subir ao ponto mais alto do vulcão, ele vai precisar alugar um carro para ir até Chã das Caldeiras situados a 1.700 m de altitude, a respiração longa, bons sapatos e água mineral. Em Chã das Caldeiras facilmente encontrar guias para sua escalada até o topo (cerca de 4 horas de caminhada).



Santo Antão

De Mindelo, você pode ver uma moita que parece parte da ilha de São Vicente. Cenicamente é uma das mais belas. Principalmente atrai os amantes da natureza por causa de sua exuberante vegetação que brota das montanhas, com cerca de 2.000 m de altitude. É tal que cada estrada é intransitável, se uma obra de arte, mas ... onde há uma vontade, há um caminho ... para aventureiros que querem auto penetrar os mistérios da Ilha






Empresa seo

Título: O arquipélago de Cabo Verde

Autor: Empresa seo (todos os textos)

Visitas: 4

608 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    12-06-2014 às 22:36:01

    Adoraria conhecer o arquipélago de Cabo Verde. Quanta riqueza!!!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - O arquipélago de Cabo Verde

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Pulp Fiction: 20 anos depois

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Arte
Pulp Fiction: 20 anos depois\"Rua
Faz hoje 20 anos que estreou um dos mais importantes ícones cinematográficos americanos.

Pulp Fiction é um marco do cinema, que atirou para a ribalta Quentin Tarantino e as suas ideias controversas (ainda poucos tinham visto o brilhante “Cães Danados”).

Repleto de referências ao cinema dos anos 70 e com uma escolha de casting excepcional, Pulp Fiction conquistou o público com um discurso incisivo (os monólogos bíblicos de Samuel L. Jackson são um exemplo disso), uma violência propositadamente mordaz e uma não linearidade na sucessão dos acontecimentos, tudo isto, associado a um ritmo alucinante.

As três narrativas principais entrelaçadas de dois assassinos, um pugilista e um casal, valeram-lhe a nomeação para sete Óscares da Academia, acabando por vencer na categoria de Melhor Argumento Original, ganhando também o Globo de Ouro para Melhor Argumento e a Palma D'Ouro do Festival de Cannes para Melhor Filme.

O elenco era composto por nomes como John Travolta, Samuel L. Jackson, Bruce Willis, Uma Thurman e (porque há um português em cada canto do mundo) Maria de Medeiros.

Para muitos a sua banda sonora continua a constar na lista das melhores de sempre, e na memória cinéfila, ficam eternamente, os passos de dança de Uma Thurman e Travolta.

As personagens pareciam ser feitas à medida de cada actor.
Para John Travolta, até então conhecido pelos musicais “Grease” e “Febre de Sábado à Noite”, dar vida a Vincent Vega foi como um renascer na sua carreira.

Uma Thurman começou por recusar o papel de Mia Wallace, mas Tarantino soube ser persuasivo e leu-lhe o guião ao telefone até ela o aceitar.

Começava ali uma parceria profissional (como é habitual de Tarantino) que voltaria ao topo do sucesso com “Kill Bill”, quase 10 anos depois.

Com um humor negro afiadíssimo, Tarantino provou em 1994 que veio para revolucionar o cinema independente americano e nasceu aí uma inspirada carreira de sucesso, que ainda hoje é politicamente incorrecta, contradizendo-se da restante indústria.

Pulp Fiction é uma obra genial. Uma obra crua e simultaneamente refrescante, que sobreviveu ao tempo e se tornou um clássico.
Pulp Fiction foi uma lição de cinema!

Curiosidade Cinéfila:
pulp fiction ou revista pulp são nomes dados a revistas feitas com papel de baixa qualidade a partir do início de 1900. Essas revistas geralmente eram dedicadas às histórias de fantasia e ficção científica e o termo “pulp fiction” foi usado para descrever histórias de qualidade menor ou absurdas.

Pesquisar mais textos:

Carla Correia

Título:Pulp Fiction: 20 anos depois

Autor:Carla Correia(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios