Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Viagens > Gronelândia – a dureza e a beleza do gelo

Gronelândia – a dureza e a beleza do gelo

Categoria: Viagens
Visitas: 2
Comentários: 1
Gronelândia – a dureza e a beleza do gelo

A Gronelândia é uma região autónoma dinamarquesa que ocupa a ilha com o mesmo nome e situa-se na costa noroeste da América do Norte. Trata-se da maior ilha do mundo, possuindo mais de 44 mil quilómetros de linha de costa. Não tem grande densidade populacional, sendo que as poucas pessoas se dividem em pequenos povoados junto à costa. A vegetação é habitualmente dispersa, havendo uma escassa área de floresta no município de Nanortalik, no extremo sul, perto do Cabo Farewell.

O clima tem características árcticas e sub-árcticas, com Verões frescos e Invernos extremamente frios. A costa é composta, na sua maioria, por rochas e falésias, sendo o ponto de menor altitude o nível do mar e o mais alto o Gunnbjørn, com 3700 metros. O interior da ilha encontra-se coberto por adensas camadas de gelo, que em certos sítios podem chegar a dois ou três mil metros de espessura, o que torna a fixação humana naturalmente impraticável. As horas de sol no decurso do Inverno são bastante parcas e os habitantes construíram casas com cores fortes e alegres para contrabalançar com o tempo sempre cinzento e carregado.
Com estas circunstâncias climáticas, a agricultura torna-se muito difícil, pelo que a criação de gado se afigura como uma boa opção. Assim sendo, as ovelhas são, juntamente com a pesca, um elemento importante da actividade económica da Gronelândia.

O Sul desta ilha oferece, ainda assim, a quem se digne visitá-la, a beleza dos glaciares, o impacto de um mar a abarrotar de icebergs, uma zona onde se podem realizar os melhores trekkings (que permitem o contacto permanente com a Natureza numa lenta e saborosa descoberta da montanha), e a expedição ao enigmático e grandioso glaciar Inlandis. O fiorde Tasermiut e as montanhas Ketil e Ulamertorssuaq, com paredes de granito, estão também contados entre as dez maravilhas do Árctico. Paralelamente, esta é uma região ideal para banhos de águas termais e navegação exploratória pelos fiordes e icebergs no sentido de descobrir a fauna polar (águias, renas, lebres, focas árcticas, bois almiscarados, baleias e focas), as auroras boreais e a pesca. O Sul da Gronelândia foi até hoje a casa dos índios Inuit e exala ainda a luta do Homem pela adaptação a um meio ambiente adverso, através de formas de vida tradicionais.

Outros pontos de interesse dizem respeito a visitas a ruínas esquimós e vikings (Brathalid e Gardar) e a cidades do Sul (Igaliko e Qassiarsuk), a caminhadas sobre um glaciar numa das massas geladas mais antigas do planeta, à degustação da dieta esquimó (carne de foca, baleia e rena), ao acampamento numa frente glaciar de dez quilómetros e paredes de gelo com 40 cm de altura, à convivência com os Inuit nas povoações mais pitorescas (Tasiusaq, Igaliko, Qassiarsuk), à pesca de salmão e bacalhau árctico, à apanha de mexilhões e cogumelos, enfim, a uma série de coisas que não se fazem todos os dias.

Abafe-se bem e venha daí!


Maria Bijóias

Título: Gronelândia – a dureza e a beleza do gelo

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 2

663 

Imagem por: jurvetson

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    14-06-2014 às 05:42:54

    Noossa, deve ser muito frioooo...A Gronelândia era desconhecida para mim, obrigada pelo ótimo texto!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - Gronelândia – a dureza e a beleza do gelo

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

A arte de trabalhar a madeira

Ler próximo texto...

Tema: Serviços Construção
A arte de trabalhar a madeira\"Rua
A carpintaria constitui, digamos assim, a arte de trabalhar a madeira. É claro que, de acordo com o produto final, se percebe bem que uns carpinteiros são mais artistas do que outros…

Às vezes nem se trata tanto dos pormenores, mas mesmo de desvirtuar o que era a ideia inicial e constava da encomenda. Mal comparado, quase se assemelha à situação daquela aspirante a costureira que pretendia fazer uma camisola para o marido e, no fim, saíram umas calças!

Na construção civil, a madeira é utilizada para diversos fins, temporários ou definitivos. Na forma vitalícia (esperam os clientes!) incluem-se estruturas de cobertura, esquadrias (portas e janelas), forros, pisos e edifícios pré-fabricados.

Quase todos os tipos de madeira podem ser empregues na fabricação de móveis, mas alguns são preferidos pela sua beleza, durabilidade e utilidade. É conveniente conhecer as características básicas de todas as madeiras, como a solidez, a textura e a côr.

Ser capaz de identificar o género de madeira usado na mobília lá de casa pode ajudar a determinar o seu real valor. Imagine-se a possibilidade de uma cómoda velha, que estava prestes a engrossar o entulho para a recolha de lixo, ter sido feita com o que hoje se considera uma madeira rara.

É praticamente equivalente a um bilhete premiado do Euromilhões, dado que se possui uma autêntica relíquia! Nestes casos, a carpintaria entra na área do restauro e da recuperação. Afinal, nem tudo o que é velho se deita fora…

Por outro lado, as madeiras com textura mais fraca são frequentemente manchadas para ganhar personalidade. Aqui há que remover completamente o acabamento para se confirmar a verdadeira natureza da madeira.

É assim também com muita gente: tirando a capa, mostram-se autenticamente. Mas destes, nem um artificie com “bicho-carpinteiro” consegue fazer nada…!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:A arte de trabalhar a madeira

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Imagem por: jurvetson

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Luene ZarcoLuene

    23-09-2014 às 13:23:35

    Uma excelente técnica que penso ser muito bonito e sofisticado. A arte de trabalhar madeira está sempre em desenvolvimento e crescimento.

    ¬ Responder
  • Rua DireitaRua Direita

    01-06-2014 às 05:18:46

    É ótimo o trabalho com a madeira. Pode-se perceber grandes obras que se faz com ela. Realmente, é uma verdadeira arte!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios