Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Fotografia > Como tirar boas fotografias

Como tirar boas fotografias

Categoria: Fotografia
Visitas: 12
Comentários: 3
Como tirar boas fotografias

Se tem estado a utilizar uma câmara fotográfica digital compacta, é provável que todas as suas fotografias tenham sido guardadas como ficheiros JPEG. A sua câmara fotográfica DSLR também pode produzir estes ficheiros, mas também oferece a opção de produzir ficheiros Raw. Então o que é um ficheiro Raw e porque é que poderia preferir utilizá-lo em vez dos JPEG a que está habituado?

Quando tira uma fotografia, o sensor da câmara regista uma vasta quantidade de dados, muito mais do que os necessários para fazer apenas um ficheiro JPEG. Quando a câmara processa a imagem, tem de eliminar muitos desses dados para produzir um ficheiro mais pequeno. A imagem final será perfeita para a maioria dos fins a que se destina, como a impressão ou a partilha da imagem através de correio electrónico ou num sítio Web.

Ao contrário de um ficheiro JPEG, um ficheiro Raw não foi processado nem comprimido pela câmara fotográfica. Contém todos os dados registados pelo sensor quando tirou a fotografia. Estes incluem uma gama muito mais alargada de cores e tons que os utilizados num JPEG, e também podem ter muito mais detalhe em condições extremas de sombras e de realces. Por este motivo, por vezes é chamado "negativo digital". E, da mesma forma que a revelação e a impressão das suas próprias fotografias num quarto escuro lhe permitem reproduzir resultados muito melhores que aqueles obtidos numa loja de fotografia, os dados extra registados num ficheiro Raw também podem ser utilizados para obter imagens com maior qualidade. Basta ter alguma prática

Para processar ficheiros Raw, é necessário um software "conversor raw" especial, como o Image Data Converter SR, fornecido com a sua câmara fotográfica.

Quando abrir um ficheiro Raw no Image Data Converter, este começa por apresentar a imagem tal como esta apareceria se tivesse aplicado as definições na câmara no momento em que foi fotografada. Nesse momento, poderá efectuar alterações à exposição, ao equilíbrio de brancos, ao modo de cor, ao contraste e a uma variedade de outras definições, até ter exactamente o aspecto que pretende. Até pode mostrar imagens do "antes" e do "depois", lado a lado, para poder ver o efeito que está a conseguir. E não terá de preocupar-se com possíveis erros. Quando tiver terminado de ajustar a fotografia, pode guardar os resultados como um novo ficheiro TIFF ou JPEG. O ficheiro Raw original permanece completamente inalterado, para que possa recuperá-lo mais tarde e fazer um conjunto completamente diferente de ajustes, se o pretender.


Miguel Pereira

Título: Como tirar boas fotografias

Autor: Miguel Pereira (todos os textos)

Visitas: 12

603 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 3 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoGertrudes

    25-04-2014 às 11:30:17

    Eu sempre gostei de fotografia, mas a minha câmara estragou-se, qual a melhor para fotografias em movimento e fotografias na praia e na noite? Obg pelo texto

    ¬ Responder
  • SophiaSophia

    30-04-2014 às 21:01:02

    Para fotografias em movimento o ideal são as câmeras com ISO alto(ISO1000) como a Sony DSC-T50. Quanto mais alto o ISO, melhor a imagem em movimento. Agora, para praias e noites, você precisa apenas fazer os ajustes na câmera, aprender algumas técnicas.

    ¬ Responder
  • SophiaSophia

    17-04-2014 às 21:43:52

    Fotografar é uma arte belíssima. A Rua Direita o parabeniza pelo ótimo texto.

    ¬ Responder

Comentários - Como tirar boas fotografias

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Cecília Meireles

Ler próximo texto...

Tema: Biografias
Cecília Meireles\"Rua
Biografia, obras e estilo literário

Cecília Meireles é uma das grandes escritoras da literatura brasileira. Seus poemas encantam os leitores de todas as idades. Nasceu no dia 7 de novembro de 1901, na cidade do Rio de Janeiro e seu nome completo era Cecília Benevides de Carvalho Meireles.

Sua infância foi marcada pela dor e solidão, pois perdeu a mãe com apenas três anos de idade e o pai não chegou a conhecer (morreu antes de seu nascimento). Foi criada pela avó Dona Jacinta. Por volta dos nove anos de idade, Cecília começou a escrever suas primeiras poesias.

Formou-se professora (cursou a Escola Normal) e com apenas 18 anos de idade, no ano de 1919, publicou seu primeiro livro “Espectro” (vários poemas de caráter simbolista). Embora fosse o auge do Modernismo, a jovem poetisa foi fortemente influenciada pelo movimento literário simbolista.

No ano de 1922, Cecília casou-se com o pintor Fernando Correia Dias. Com ele, a escritora teve três filhas.

Sua formação como professora e interesse pela educação levou-a a fundar a primeira biblioteca infantil do Rio de Janeiro no ano de 1934. Escreveu várias obras na área de literatura infantil como, por exemplo, “O cavalinho branco”, “Colar de Carolina”, “Sonhos de menina”, “O menino azul”, entre outros. Estes poemas infantis são marcados pela musicalidade (uma das principais características de sua poesia).

O marido suicidou-se em 1936, após vários anos de sofrimento por depressão. O novo casamento de Cecília aconteceu somente em 1940, quando conheceu o engenheiro agrônomo Heitor Vinícius da Silveira.

No ano de 1939, Cecília publicou o livro Viagem. A beleza das poesias trouxe-lhe um grande reconhecimento dos leitores e também dos acadêmicos da área de literatura. Com este livro, ganhou o Prêmio de Poesia da Academia Brasileira de Letras.

Cecília faleceu em sua cidade natal no dia 9 de novembro de 1964.

Relação de suas obras:

Espectro - 1919
Criança, meu amor - 1923
Nunca mais... - 1923
Poema dos Poemas -1923
Baladas para El-Rei - 1925
O Espírito Vitorioso - 1935
Viagem - 1939
Vaga Música - 1942
Poetas Novos de Portugal - 1944
Mar Absoluto - 1945
Rute e Alberto - 1945
Rui — Pequena História de uma Grande Vida - 1948
Retrato Natural - 1949
Amor em Leonoreta - 1952
12 Noturnos de Holanda e o Aeronauta - 1952
Romanceiro da Inconfidência -1953
Poemas Escritos na Índia - 1953
Batuque - 1953
Pequeno Oratório de Santa Clara - 1955
Pistóia, Cemitério Militar Brasileiro - 1955
Panorama Folclórico de Açores -1955
Canções - 1956
Giroflê, Giroflá - 1956
Romance de Santa Cecília - 1957
A Rosa - 1957
Obra Poética -1958
Metal Rosicler -1960
Solombra -1963
Ou Isto ou Aquilo -1964
Escolha o Seu Sonho - 1964

Pesquisar mais textos:

Elisangela Lourenço de Oliveira

Título:Cecília Meireles

Autor:Elisangela Lourenço Oliveira(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios