Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Viagens > Mafra – um cenário belo e histórico sob o olhar atento do convento

Mafra – um cenário belo e histórico sob o olhar atento do convento

Categoria: Viagens
Comentários: 1
Mafra – um cenário belo e histórico sob o olhar atento do convento

Não muito longe de Lisboa, a vila de Mafra tem no Palácio Nacional o seu principal cartão de visita. Este não é, contudo, o único tesouro a merecer atenção.

O Palácio Nacional de Mafra é um dos mais relevantes monumentos do Barroco em Portugal e um símbolo do reinado absolutista de D. João V, que a 26 de Novembro de 1711 autorizou, através de um decreto, que fosse construído em Mafra um convento consagrado a Santo António, iniciando-se as obras quase seis anos depois. Afinal, a questão das burocracias e dos prazos em Portugal já vem de longa data…

Com cerca de 40 mil metros quadrados, o Convento de Mafra, como é designado entre os mafrenses este edifício real, exibe uma fachada com 200 metros de comprimento, possuindo 1200 divisões, das quais sobressaem a biblioteca, a mais importante do século xviii, o convento e a basílica, obra-prima da arquitectura setecentista. Os carrilhões integram um conjunto único no mundo (pelas dimensões e pela beleza do seu mecanismo), constituindo razão de grande orgulho.

Antes, porém, da edificação do castelo, a vila movia-se em redor do castelo e da Igreja de Santo André, pertencente à chamada “vila velha”. É um dos templos mais antigos de que ainda subsistem vestígios, datado do século xiii. Reza a tradição que terá sido aqui pároco Pedro Hispano, futuro Papa João XXI.

Outros espaços, menos arquitectónicos mas igualmente fantásticos, são o Jardim do Cerco e a Tapada, únicos em termos de conservação ambiental, que convidam a um aprazível passeio. O Jardim do Cerco remonta ao ano de 1718 e foi criado por D. João V. Ocupa oito hectares a norte do Convento de Mafra e possui bosque, jardins e nora. É um espaço bastante agradável.

A Tapada de Mafra, naquela época um parque destinado ao lazer do mesmo rei e da respectiva corte, tem os seus 800 hectares escudados por um muro histórico com 21 quilómetros. Veados, gamos, raposas, javalis e coelhos povoam o seu interior, também detentor de extensas e frondosas matas. Em acréscimo, é possível fazer caminhadas diurnas e nocturnas, passeios em BTT, visitas em comboio pelo interior da tapada, educação ambiental e diversas outras actividades.

Entretanto, no caminho de Mafra para a Ericeira, encontra-se uma aldeia típica do célebre oleiro e escultor José Franco, no Sobreiro. Trata-se de uma réplica em tamanho natural de uma aldeia saloia do início do século xx. A arquitectura das casas, as artes e ofícios, e os costumes estão patentes através de uma sala de aulas, do moinho, do talho, da azenha, do ferrador, da eira, da mercearia, da taberna, da casa do proprietário rural, da carpintaria e de tudo o que constituía a realidade de então. Existe ainda uma exposição permanente das esplêndidas peças do mestre José Franco. Que tal uma viagem a outros tempos?


Maria Bijóias

Título: Mafra – um cenário belo e histórico sob o olhar atento do convento

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

674 

Imagem por: amaianos

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoDaniela Vicente

    13-09-2012 às 22:14:38

    adorei conhecer o Convento de Mafra. faz-nos remontar ao reinado de D. João V, o Magnânimo. todas as suas obras são fantásticas, assim como convento. este pertence ao movimento artístico designado Barroco. a tapada a fazer parte da paisagem dá um toque fantástico à cidade. aconselho a todos a visitarem este belo exemplar com quase 300 anos.

    ¬ Responder

Comentários - Mafra – um cenário belo e histórico sob o olhar atento do convento

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Cães e Humanos: Amizade por interesses

Ler próximo texto...

Tema: Animais Estimação
Cães e Humanos: Amizade por interesses\"Rua
Não é de hoje que os cães são considerados nossos melhores amigos, porém como toda amizade ela não é totalmente incondicional e livre de interesses, pense bem, você pode discordar a princípio, mas analise a fundo e verá que tenho razão.

Cães convivem conosco a mais de 10mil anos, foi lá atrás na pré história que essa amizade começou, uma das mais duradouras da história. Teorias dizem que essa conexão iniciou pois ambas as espécies precisavam de algo que não possuíam e juntos se completaram.

Em plena era do gelo onde a sobrevivência estava sendo testada a todo vapor, aquele lobo considerado mais corajoso se encontrou com um homem também corajoso e resolveram unir forças, talvez não conscientemente, mas deu certo para ambos, e ali iniciava uma amizade que duraria por milênios.

Nesse estágio da nossa história, corríamos perigo de sobrevivência; faltava comida, segurança e energia ! ... E então percebemos que esses lobos simpáticos poderiam nos dar uma vantagem na corrida contra a morte, afinal eles caçavam muito bem , coisa que tínhamos dificuldade em fazer pela falta de energia naquele momento; então pensamos, eles nos ajudam a caçar, nós dividimos o alimento e em troca eles ganham segurança e afeto, e foi assim que essa amizade nos ajudou a enfrentar todos os percalços do caminho, e hoje evoluímos tanto que não precisamos mais de seus serviços e ainda sim continuam sendo nossos melhores amigos, posso dizer então que realmente é uma amizade verdadeira, que surgiu da dificuldade e interesses mas que não se deixou abalar por nada.

Então, agora quando virmos alguém maltratar esses animais, desdenhar deles dizendo que "não prestam pra nada", "não fazem nada de útil", como a galinha que põe ovos, ou a vaca que dá leite, lembremo-nos o quão útil eles foram na nossa caminhada, não só no quesito físico mas também no emocional, numa época em que as aparências não importavam e nem o QI para se fazer um amigo, bastava ser corajoso o bastante pra ultrapassar barreiras e conhecer mais o outro, do jeito que ele viesse, garanto que vantagens incríveis nascerão dessa amizade, e não pense em vantagens como algo ruim, quando digo penso em a vantagem da gente se sentir o humano mais importante do mundo quando esses seres peludos nos olham nos olhos sem pedir mais nada em troca, damos e recebemos carinho como nunca, uma retribuição silenciosa a quem sempre esteve do nosso lado, no pior e melhor momento.

O maior interesse em uma amizade é que ela dure para sempre, e acho que com os Cães conseguimos isso.

Pesquisar mais textos:

Lara Lavic

Título:Cães e Humanos: Amizade por interesses

Autor:Lara Lavic(todos os textos)

Imagem por: amaianos

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios