Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Material Escritório > Tenha um escritório prático

Tenha um escritório prático

Visitas: 2
Tenha um escritório prático

Nos tempos que correm, em que a casa acaba, muitas vezes, por constituir o prolongamento do local de trabalho, porque há sempre relatórios inacabados, propostas que precisam de uma olhadela atenta e de um estudo mais aprofundado, testes de alunos para corrigir, conferências para preparar, planos para elaborar, …, grande parte dos lares possuem já uma divisão destinada à labuta no domicílio: o escritório. Alguns talvez tivessem começado a existir para receber o computador e os seus acessórios, mas rapidamente papéis, contas e livros lhe foram fazer companhia, até porque, normalmente, não se sabe onde colocá-los. O escritório corresponde, basicamente, a um quarto de arrumação, pelo que será útil aproveitar todos os recantos elevados para instalar prateleiras ou armários.

Trata-se de um compartimento dotado de importância crescente, dado que a carreira profissional e a formação contínua “perseguem” um cada vez maior número de cidadãos. Paralelamente, trabalhar a partir de casa, em regime de ful- time, part-time ou freelancer, afigura-se uma opção tomada por muitos como meio de subsistência ou mero complemento dos rendimentos mensais.

Os principais elementos de qualquer escritório são, sem dúvida, a mesa, que “incarna” o posto de trabalho onde se passarão horas a fio, e a cadeira, tão ou mais importante do que a secretária. Na verdade, estar desconfortavelmente sentado a padecer de dores atrozes na coluna não favorece em nada a disposição nem a fecundidade do serviço que se pretende levar a cabo. Neste caso, não vale a pena andar à procura do mais barato, pois, com toda a certeza, acabará por sair mais caro!
Existem cadeiras para todos os gostos e necessidades: simples em madeira ou plástico, forradas com tecido, de camurça ou de pele, rotativas ou não, com ou sem rodas.
Contudo, as rodas propiciam movimentos mais fáceis e rápidos entre as extremidades da mesa e, inclusive, dentro do escritório. Seja qual for o tipo escolhido, convém que as respectivas costas apresentem um ligeiro contorno que acompanhe a curvatura da coluna vertebral, e um assento almofadado para não se ficar com o traseiro quadrado! O repouso de braços é assaz útil, sobretudo quando se despende muito tempo seguido à frente do computador.

As secretárias podem ser grandes, pequenas, quadradas, ovais, redondas, em madeira maciça, aglomerado, com tampo em mármore ou vidro, enfim, o ideal para cada pessoa e o espaço em que ela se vai mover. Uma coisa é certa: a mesa e a cadeira têm uma implicação directa na produtividade. Sendo assim, se a escolha não for bem feita, os efeitos negativos não tardarão a surgir, por causa das dores (pernas, costas, braços, pulsos), do cansaço, da irritabilidade, do stress e da desconcentração. Experimentar tudo in loco antes da aquisição pode ser uma boa dica.

Maria Bijóias

Título: Tenha um escritório prático

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 2

650 

Comentários - Tenha um escritório prático

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Ler próximo texto...

Tema: Literatura
Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal\"Rua
Gertrude Stein foi uma escritora de peças de teatro, de peças de opera, de ficção, de biografia e de poesia, nascida nos Estados Unidos da América, e escreveu a Autobiografia de Alice B. Toklas, vestindo a pele, e ouvindo pela viva voz da sua companheira de 25 anos de vida, os relatos da historia de ambas, numa escrita acessível, apresentando situações caricatas ou indiscretas de grandes vultos da arte e da escrita da sua época. Alice B. Toklas foi também escritora, apesar de ter vivido sempre um pouco na sombra de Stein. Apesar de ambas terem crescido na Califórnia, apenas se conheceram em Paris, em 1907.


Naquela altura, Gertrude vivia há quatro anos com o seu irmão, o artista Leo Stein, no numero 27 da rue de Fleurus, num apartamento que se tinha transformado num salão de arte, recebendo exposições de arte moderna, e divulgando artistas que viriam a tornar-se muito famosos. Nestes anos iniciais em Paris, Stein estava a escrever o seu mais importante trabalho de início de carreira, Three Lives (1905).


Quando Gertrude e Alice se conheceram, a sua conexão foi imediata, e rapidamente Alice foi viver com Gertrude, tornando-se sua parceira de escrita e de vida. A casa, como se referiu atrás, tornou-se um local de reunião para escritores e artistas da vanguarda da época. Stein ajudou a lançar as carreiras de Matisse, e Picasso, entre outros, e passou a ser uma espécie de teórica de arte, aquela que descrevia os trabalhos destes artistas. No entanto, a maior parte das críticas que Stein recebia, acusavam-na de utilizar uma escrita demasiado densa e difícil, pelo que apenas em 1933, com a publicação da Autobiografia de Alice B. Toklas, é que o trabalho de Gertrude Stein se tornou de facto reconhecido e elogiado.


Alice foi o apoio de Gertrude, foi a dona de casa, a cozinheira, grande cozinheira aliás, vindo mais tarde a publicar algumas das suas receitas, e aquela que redigia e corrigia o que Gertrude lhe ditava. Assim, Toklas fundou uma pequena editora, a Plain Editions, onde publicava o trabalho de Gertrude. Aliás, é reconhecido nesta Autobiografia, que o papel de Gertrude, no casal, era o de marido, escrevendo e discutindo arte com os homens, enquanto Alice se ocupava da casa e da cozinha, e de conversar sobre chapéus e roupas com as mulheres dos artistas que visitavam a casa. Depois da morte de Gertrude, Alice continuou a promover o trabalho da sua companheira, bem como alguns trabalhos seus, de culinária, e um de memórias da vida que ambas partilharam.


Assim, este livro que inspirou o filme “Meia noite em Paris”, de Woody Allen, é um livro a não perder, já nas livrarias em Portugal, pela editora Ponto de Fuga.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios