Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Material Escritório > Materiais de escritório - Está na hora de poupar

Materiais de escritório - Está na hora de poupar

Visitas: 12
Comentários: 2
Materiais de escritório - Está na hora de poupar

Para quem trabalha com materiais considerados de escritório, sabe que entre gastar e poupar, a diferença pode ser substancial.

Obviamente que se falarmos de uma grande empresa, os gastos e custos em material de escritório, são bastantes, e que decrescem se se tratar de uma média empresa e assim sucessivamente. No entanto, cabe ao responsável pelas compras de material de escritório de uma empresa, independentemente da sua dimensão, analisar e estudar quanto gasta cada funcionário em material de escritório.

Não é necessário controlar funcionários, um a um para que a conta seja feita, basta que reúna os custos dos materiais gastos durante um mês e divida pelo número de funcionários.

Mesmo que se mantenha a ideia de que numa pequena empresa se gastam menos materiais de escritório, a conta pode e deve ser feita em qualquer empresa. Quem sabe, o custo por funcionário não é maior numa pequena empresa do que numa grande?

Se para gastar não é necessário muito esforço, o mesmo não se pode dizer em relação ao poupar.

Para poupar siga algumas dicas que aqui são deixadas:

Adquira materiais ecológicos. São mais baratos, por exemplo no caso de algumas resmas de folhas. Mesmo que se trate de cartas timbradas, uma folha reciclada fica sempre bem. Mostra preocupação com o meio ambiente e acaba por poupar dinheiro;

Adquira clips e agrafos em promoções. Isto não significa que compre materiais de escritório com baixa qualidade, mas para quê comprar clips com cores, forrados a plástico e com estrelinhas? Materiais clássicos e básicos são o ideal.

Os tinteiros recarregáveis já são uma realidade. Nem sequer tem de se dar ao trabalho. Muitas são as empresas no mercado que oferecem o serviço de recolha de tinteiros antigos na compra de novos. Pesquise na internet e vai ver que vai encontrar um mundo delas.

Folhas usadas? Não deite fora. Se não contiverem informações importantes nem confidenciais, podem ser reutilizadas nas costas brancas para documentos internos sem grande importância.

Por norma, não existe numa empresa a politica da poupança. Quem gasta não é quem paga e esse facto leva a um gasto muitas vezes absurdo de todo o tipo de materiais de escritório. Implemente regras e politicas de reciclagem, poupança argumentando de diferentes formas. Sem recorrer a uma atitude de ditadura, “obrigue” os seus colaboradores a poupar no escritório, como se estivessem em casa.


Carla Horta

Título: Materiais de escritório - Está na hora de poupar

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 12

787 

Imagem por: yoohoojuju

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • silvaniasilvania

    02-01-2012 às 14:33:04

    Bom Dia!!!!
    Gostaria de uma idéia de como controlar por número saida de material de uso permanente de cada funcionário

    ¬ Responder
  • Construformas

    14-04-2013 às 07:09:18

    bom dia primeiro deixar uma pessoa responsavel pela distribuição destes materiais, segundo os materiais como caneta e outos, só serão entregue na devolução da outra vazia, assim vc poderar economizar e evitar o desperdicios.

    ¬ Responder

Comentários - Materiais de escritório - Está na hora de poupar

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Imagem por: yoohoojuju

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios