Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Acupunctura Na Saúde

Acupunctura Na Saúde

Categoria: Saúde
Acupunctura Na Saúde

O termo “acupunctura” significa “punção com agulhas”. Pode parecer assustador a quem padeça de fobia a coisas mais pontiagudas tidas como causadoras de dor, mas o certo é que os benefícios desta modalidade terapêutica milenar compensam largamente o hipotético desconforto que se possa sentir. Na realidade, o toque das agulhas, feito correctamente, apenas provoca uma certa cãibra, sensação eléctrica, formigueiro, peso ou distensão, quer à volta da agulha, quer na parte ascendente ou descendente do meridiano afectado (que constitui o canal de circulação de energia).

Enquanto que no Ocidente as doenças são ligadas à acção de vírus e bactérias e à proliferação de células enfermas, e os tratamentos se dirigem nessas direcções, no Oriente (de onde provém a acupunctura) acredita-se piamente que as patologias são causadas por um desequilíbrio energético. A acupunctura, aplicada em determinados pontos do corpo, serviria, então, para desbloquear o fluxo de energia e recuperar a harmonia do seu funcionamento. Efectivamente, a acupunctura visa o tratamento do indivíduo integral, e não apenas desta ou daquela parte específica, como se o ser humano fosse uma manta de retalhos.

Inicialmente vista como uma especialidade médica destinada a mitigar as dores, na actualidade reconhece-se um domínio bastante mais vasto no que concerne às virtudes da acupunctura. De facto, a Organização Mundial de Saúde estatuiu que a acupunctura é adequada para perturbações que incluem problemas de ouvidos, nariz e garganta, dores de dentes, asmas brônquica sem complicações secundárias (em adultos e crianças), dificuldades do tracto digestivo, soluços, inflamação do estômago e do cólon, úlceras duodenais crónicas, obstipação, diarreia, inflamação da retina ou da conjuntiva, miopia (em crianças), cataratas não complexas, dores de cabeça, enxaquecas, determinadas paralisias faciais ou padecimentos nervosos, debilitações parciais decorrentes de acidentes vasculares cerebrais, incontinência urinária nocturna, ciática, dores lombares e osteoaetrite, inflamação de terminações nervosas, etcétera. A acupunctura apresenta ainda resultados na redução da tensão arterial, no controlo dos níveis de glicémia no sangue, na moderação dos sintomas de esquizofrenia, no estímulo da memória e até na contenção da ejaculação precoce.

Em caso de cancro, por exemplo, o paciente pode beneficiar da acupunctura para minimizar as consequências colaterais da quimioterapia, aumentando, simultaneamente, a resistência física, o que lhe permitirá suportar melhor o tratamento convencional.

A acupunctura é completamente compatível com os cuidados médicos tradicionais. A cooperação e complementaridade entre ambos garantirá efeitos de qualidade superior.

As agulhas têm o poder de excitar as células nervosas da pele, atingir o sistema nervoso central (SNC) e incitar o cérebro a produzir analgésicos e anti-inflamatórios naturais.

O objectivo fulcral da acupunctura é a prevenção de doenças, ou, quando os males estão já instalados, servir de terapia. Não obstante, a aplicação da medicina chinesa contempla também o uso de plantas e minerais, uma alimentação equilibrada e exercícios terapêuticos (como as massagens).

Apesar do seu inegável potencial terapêutico, a acupunctura não é magia. Há enfermidades que ela pode curar, outras para as quais é o tratamento principal, e uma terceira categoria em que esta técnica pode, simplesmente, ajudar.



Maria Bijóias

Título: Acupunctura Na Saúde

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

605 

Comentários - Acupunctura Na Saúde

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como fazer disfarces de Carnaval

Ler próximo texto...

Tema: Vestuário
Como fazer disfarces de Carnaval\"Rua
O ano começa e depressa chega uma data muito ansiada principalmente pelos mais jovens: o desejado Carnaval!

Esta é uma data que os pequenos adoram e deliram com as fantasias. O problema maior é a despesa que os disfarces representam e no ano seguinte já não usarão o mesmo disfarce ou, no caso dos mais pequenos, já não lhes serve.
O melhor nesta data é mesmo reciclar e aprender a fazer disfarces caseiros utilizando truques mais económicos e materiais reciclados para preparar as fantasias dos pequenitos!

Uma sugestão para os meninos é o traje de pirata que pode facilmente ser criado a partir de peças que tenha em casa. Procure uma camisa de tamanho grande e, de preferência, de cor branca com folhos. Se não tiver uma camisa com estas características facilmente encontrará um modelo destes no guarda-vestidos de alguma familiar, talvez da avó.

Precisará de um colete preto. Na falta do colete pode utilizar um casaco preto que esteja curto, rasgue as mangas pelas costuras dos ombros. As calças devem ser velhas e pretas para poderem ser cortadas na zona das pernas para envelhecer a peça. Coloque um lenço preto ou vermelho na cabeça do menino e, de seguida, com um elástico preto e um pouco de velcro tape um dos olhos.

Para as meninas não faltam ideias originais para fazer disfarces bonitos e especiais para este dia. Uma ideia original é a fantasia de Flinstone. É muito fácil e prática de fazer e fica um disfarce muito bonito. Comece por arranjar um pedaço de tecido branco. Coloque o tecido em volta do corpo como uma toalha de banho e depois amarre num dos braços fazendo uma alça. Depois corte as pontas em ziguezague mantendo um lado mais comprido que o outro. Amarre o cabelo da menina todo no cimo da cabeça, como se estivesse a fazer um rabo-de-cavalo mas alteie-o mais. Com o auxílio de um pente frise o cabelo, pegando nas pontas e passando o pente em sentido contrário até que fique todo despenteado. Numa loja de disfarces compre um osso de plástico e prenda na fita da criança.

Pegue nos materiais, puxe pela imaginação e ponha mãos ao trabalho!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Como fazer disfarces de Carnaval

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    09-06-2014 às 04:01:21

    Não em carnaval, mas em bailes de fantasia, sempre usei o TNT. Eles são ótimos para trabalhar o corte, para costurar e deixa bem bonito!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios