Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Música > A música e o Fado

A música e o Fado

Categoria: Música
Visitas: 10
Comentários: 1
A música e o Fado

Quem diz que podemos viver sem a música? Acho que ninguém consegue, pois na musica renovamos nossas forças e estímulos e sonhos, com a música vem à inspiração, a dor de um amor que se foi, a saudade de quem partiu ou a alegria de um dia feliz. A música é diversificada, ela atinge a todos os países. A música ele tem ritmo diferenciado, ela atinge da criança ao idoso, ela tem seu tempo, tempo este que fica na lembrança.

A música tem varias classificação, o jazz é uma música que sua origem vem dos Estados Unidos da America, tendo sua cultura popular à comunidade negra, o jazz se pode tocar em quase todo instrumento. A música Pope uma continuidade do rock, é uma música que é apreciada por todo tipo de publico, e ela tem como seu principal objetivo a sua audiência e o sucesso comercial.

Quanto a musica popular é a música do povo é que transmite ao longo das gerações e muitos dizem que a música popular também é uma música folclórica, é também uma música de um povo transmitida ao longo das gerações. As músicas eruditas muitos chamam de uma arte verdadeira, ela é de origem da Grécia e Roma antiga. Existe também a música popular Brasileira que é um gênero musica brasileiro, e é muito apreciado pela classe média urbana do Brasil, e seu surgimento foi em 1966 com a segunda geração da Bossa nova, depois houve outras misturas de ritmo como o samba e o rock que deu origem ao pop.

A música romântica é uma musica de toda hora e de todo momento, ela nos traz alegria por lembrarmos-nos de tempos bons, e que jamais se esquece, ou de momentos que dói em nossa alma, aqueles de que o amor se foi, ou aquele tempo em que você deu o seu primeiro beijo em seu primeiro amor, a música romântica ela se torna como uma trilha sonora de um momento de sua vida. Nada é mais romântico do que uma musica que é símbolo em Portugal, ela toca a alma, nos trás vida, ela é a que encanta Portugal, a música fado ela é de origem portuguesa, ela é também uma música romântica ela nos traz a dor de uma saudade.

O fado é a alma dos portugueses, o fado não é apenas uma canção que é acompanhada de um instrumento musical como a guitarra, ela é a própria alma dos portugueses, ouvindo o fado ouvi-se a presença do mar e de sua gente, do pescador ao marinheiro, das ruelas e becos de Lisboa, fado e guitarra juntos é uma essência de uma historia ligada ao mar, o fado esta ligado a fatos e tragédias da Grécia clássica.Ninguém pode ir a Portugal sem curtir um bom fado, é mesmo que beijar e não ser correspondido.



Waldiney Melo

Título: A música e o Fado

Autor: Waldiney (todos os textos)

Visitas: 10

628 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • LuanaLuana

    07-04-2011 às 14:56:57

    Olá eu sou a Luana,tenho 10anos,e concordo que nao podemos viver sem música...Qual quer hora estou cantando fado !!!! adorei o que vc escreveu Waldiney Melo ,a senhora tb canta???
    Gostaria de conversar com vc ! e obrigado por ter escrito estás coisas maravilhosas sobre música!e tenho a certeza que vc tb nao vive sem cantar! bjs até logo

    ¬ Responder

Comentários - A música e o Fado

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Pulp Fiction: 20 anos depois

Ler próximo texto...

Tema: Arte
Pulp Fiction: 20 anos depois\"Rua
Faz hoje 20 anos que estreou um dos mais importantes ícones cinematográficos americanos.

Pulp Fiction é um marco do cinema, que atirou para a ribalta Quentin Tarantino e as suas ideias controversas (ainda poucos tinham visto o brilhante “Cães Danados”).

Repleto de referências ao cinema dos anos 70 e com uma escolha de casting excepcional, Pulp Fiction conquistou o público com um discurso incisivo (os monólogos bíblicos de Samuel L. Jackson são um exemplo disso), uma violência propositadamente mordaz e uma não linearidade na sucessão dos acontecimentos, tudo isto, associado a um ritmo alucinante.

As três narrativas principais entrelaçadas de dois assassinos, um pugilista e um casal, valeram-lhe a nomeação para sete Óscares da Academia, acabando por vencer na categoria de Melhor Argumento Original, ganhando também o Globo de Ouro para Melhor Argumento e a Palma D'Ouro do Festival de Cannes para Melhor Filme.

O elenco era composto por nomes como John Travolta, Samuel L. Jackson, Bruce Willis, Uma Thurman e (porque há um português em cada canto do mundo) Maria de Medeiros.

Para muitos a sua banda sonora continua a constar na lista das melhores de sempre, e na memória cinéfila, ficam eternamente, os passos de dança de Uma Thurman e Travolta.

As personagens pareciam ser feitas à medida de cada actor.
Para John Travolta, até então conhecido pelos musicais “Grease” e “Febre de Sábado à Noite”, dar vida a Vincent Vega foi como um renascer na sua carreira.

Uma Thurman começou por recusar o papel de Mia Wallace, mas Tarantino soube ser persuasivo e leu-lhe o guião ao telefone até ela o aceitar.

Começava ali uma parceria profissional (como é habitual de Tarantino) que voltaria ao topo do sucesso com “Kill Bill”, quase 10 anos depois.

Com um humor negro afiadíssimo, Tarantino provou em 1994 que veio para revolucionar o cinema independente americano e nasceu aí uma inspirada carreira de sucesso, que ainda hoje é politicamente incorrecta, contradizendo-se da restante indústria.

Pulp Fiction é uma obra genial. Uma obra crua e simultaneamente refrescante, que sobreviveu ao tempo e se tornou um clássico.
Pulp Fiction foi uma lição de cinema!

Curiosidade Cinéfila:
pulp fiction ou revista pulp são nomes dados a revistas feitas com papel de baixa qualidade a partir do início de 1900. Essas revistas geralmente eram dedicadas às histórias de fantasia e ficção científica e o termo “pulp fiction” foi usado para descrever histórias de qualidade menor ou absurdas.

Pesquisar mais textos:

Carla Correia

Título:Pulp Fiction: 20 anos depois

Autor:Carla Correia(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios