Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Música > Wagner e o antissemitismo

Wagner e o antissemitismo

Categoria: Música
Visitas: 8
Wagner e o antissemitismo

O tão propalado antissemitismo do compositor Richard Wagner, serviu de base para Hitler, começar uma revolução na cultura alemã. Se Wagner fosse vivo por essa época, creio que não concordaria com os métodos de extermínio de Hitler. Wagner podia ser antissemita, mas apenas no sentido cultural da coisa. Ele não gostava das óperas, nem das obras de outros autores, era muito focado em si mesmo e em sua terra natal. Não sabia viver em outro lugar..

detestava Paris, Londres.. ele queria estar para sempre na Alemanha.
Wagner nasceu em um quarteirão judeu em Leipzig, em 22 de maio de 1813 e lá viveu ao menos por 13 anos. As críticas de Wagner em relação ao judeus e que acabou descambando em antissemitismo, dizia respeito a não inclusão pelos judeus dos costumes alemães em sua vida ordinária. Ele era realmente cruel em seus ataques aos judeus e suas influências sobre a cultura alemã.

Nacionalista exacerbado, Wagner, destilava críticas venenosas a eles, escrevendo ensaios onde falava coisas do tipo "ex-canibais, agora treinados para ser agentes de negócios da sociedade". Ainda na visão de Wagner, os judeus haviam corrompido a língua do país onde viviam há centenas de gerações. Segundo Wagner, a sua natureza, tornava-os incapazes de penetrar a essência das coisas.

Mas, críticas ácidas assim, eram dirigidas particularmente aos compositores judeus Giacomo Meyerbeer e Felix Mendelssohn, que, antes de tudo, eram seus rivais. Wagner, achava que os judeus que viviam na Alemanha deveriam abandonar a prática do Judaísmo e incorporar o modo de vida alemão. Por toda a vida, Wagner teve amigos e colaboradores judeus. Uma pena que sua obra tenha sido redirecionada pelos nazistas, como prelúdio musical, trilha sonora fatal do extermínio de raças e povos inteiros, com a desculpa de serem eles, os arianos, os senhores do Ragnarock.

A nora de Wagner, Winifred, casada com Sigfried, filho de Wagner, o responsável pelo seu legado, é que era nazista de carteirinha, surgindo até alguns rumores de que ela mantinha um conluio romântico com Hitler. Infelizmente, após a morte de Sigfried, todo o legado de Wagner foi parar nas mãos de Winifred e por causa dela, a casa dos Wagner, em Bareyuth, tornou-se o centro de peregrinação de Hitler, recebendo por isso, apoio do governo e isenção de impostos.

Winifred, apesar de sua ligação estreita com Hitler, negou qualquer relação com o partido nazista, coisa que não acredito, ela professava as mesmas crenças do líder Nazista e facilitou suas entrevistas com a Inglaterra, servindo como tradutora.

Richard Wagner (1813-1883)


Sayonara Melo

Título: Wagner e o antissemitismo

Autor: Sayonara Melo (todos os textos)

Visitas: 8

0 

Comentários - Wagner e o antissemitismo

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O meu instrumento musical avariou!

Ler próximo texto...

Tema: Instrumentos Musicais
O meu instrumento musical avariou!\"Rua
É inevitável que, mais cedo ou mais tarde, um instrumento musical precise de reparação.

Mesmo que conheçamos bem o nosso instrumento e o consigamos arranjar, na maioria das vezes é necessário um técnico para o fazer com a melhor das qualidades.

Eventualmente, nem será necessário existir um problema com o instrumento, poderá ser apenas uma questão de manutenção. 

No caso de uma guitarra, por exemplo, qualquer instrumentista é perfeitamente capaz de substituir uma corda partida e tirar da guitarra o mesmo som que ela tinha.

No entanto, existem reparações, seja uma amolgadela no tampo ou uma tarraxa arrancada, que convêm ser feitas por técnicos especializados.

Por norma, as próprias casas que vendem instrumentos musicais efectuam essas reparações ou são capazes de aconselhar técnicos para as fazer.

Mediante o instrumento musical em questão, a reparação ou manutenção poderá ser mais cara. É sempre mais fácil arranjar um técnico que repare um piano do que um que arranje oboés.

Apesar de ser normal cuidar do nosso instrumento musical regularmente, os percalços acontecem todos os dias. Para os contornar, há sempre alguém que nos poderá aconselhar melhor do que nós próprios.

Apesar de poder sair mais caro, temos também a certeza de que o nosso instrumento foi arranjado por especialistas no assunto.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:O meu instrumento musical avariou!

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • luiz fabiano 18-02-2012 às 15:48:28

    boa tarde amigos preciso de um cabo flex da lcd da camera g70 se aulguem tiver mande um email obrigado

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios