Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Brinquedos > Não dê apenas um brinquedo

Não dê apenas um brinquedo

Categoria: Brinquedos
Visitas: 2
Comentários: 1
Não dê apenas um brinquedo

Os brinquedos, que umas crianças têm em excesso e outras nem conhecem, são uma componente importante da educação e do desenvolvimento do imaginário dos mais pequenos. Se, para além de divertir, os brinquedos também ajudarem na construção da personalidade e no desenvolvimento de determinadas capacidades, então está-se diante brinquedos didácticos.

Apresentando um grau de simplicidade superior aos brinquedos electrónicos da moda (e um preço mais acessível), os brinquedos educativos estimulam a criatividade e o raciocínio dos miúdos, através dos constantes desafios que propõem, para além de se poderem transportar mais facilmente para os mais diversos ambientes frequentados pelas crianças. Números, formas, cores, letras, vocabulário, e outros conceitos pré-escolares são introduzidos e desmistificados. O sentido de organização, as deduções lógicas e a curiosidade são espicaçados. Em acréscimo, alguns jogos implicam noções de estratégia e um final em que há vencedores e vencidos, o que vai transmitindo aos garotos princípios de respeito recíproco. Os fantoches, por exemplo, nas suas formas tão variadas (sobretudo se incluírem figuras negras, sem pernas ou braços, …), podem inserir o tema das diferenças, ao mesmo tempo que permitem à criança exprimir-se, criar ou reinventar narrativas, relacionar-se e enriquecer os termos da sua linguagem.

Existe uma enorme variedade de brinquedos didácticos, desde cubos, a jogos de estratégia, marionetas, caleidoscópios, legos, casinhas com materiais básicos, livros para pintar, etcétera, de acordo com a idade, a etapa do crescimento e os interesses da própria criança.

Assim, dos zero aos nove meses, são indicados chocalhos, móbiles, argolas para puxar e morder, brinquedos de borracha (para o banho) e caixinhas de música. Dos nove aos 12 meses, bolas pequenas, blocos de madeira ou plástico para encaixar e empilhar. Com um ano, recomendam-se brinquedos que promovam a coordenação motora, como martelinhos, bolas, cubos e outros jogos de encaixe, brinquedos para puxar e empurrar, bonecos de pano ou pelúcia, objectos de balanço (ex. cavalinhos), livros de ilustrações resistentes e laváveis. A partir dos dois anos, a criança já é capaz de identificar cores, pelo que é útil escolher brinquedos com cores primárias, que podem acrescentar aos anteriores lápis de cera telefones de plástico, bonecas, comboios, ferro de engomar, …

Na faixa etária dos três aos cinco anos, os pequenos já querem testar a força física e imitam os adultos. Deste modo, os brinquedos devem estimular a memória e o raciocínio, sendo os jogos de visualização (como o quebra-cabeças), carrinhos pequenos, roupa e mobília de bonecas, kits de médico, livros ilustrados e de fábulas, barro e massinhas não tóxicas, instrumentos musicais, letras e números, adequados.

Dos cinco aos sete anos, o enfoque deve ir para brinquedos pedagógicos que promovam o raciocínio, como dominós, jogos de perguntas, de construção e de estratégia, quebra-cabeças, marionetas, fantoches, caixinhas de ferramentas, equipamentos para casas de bonecas, …

Dos sete aos nove anos, a anterior panóplia enriquecida com cartas, jogo de damas, bicicletas, patins, piões, utensílios de jardim, livros de histórias, cabanas desmontáveis, etcétera.

Dos nove aos doze anos, as crianças começam a despertar para a tecnologia (jogos de consola, de computador, …) e para o desporto. O pingue-pongue, os comboios eléctricos, livros de aventuras, CD, DVD, skate e materiais coleccionáveis (selos, conchas, porta-chaves, esferográficas,...) também podem fazer parte do rol.


Maria Bijóias

Título: Não dê apenas um brinquedo

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 2

783 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    25-04-2014 às 18:44:01

    Com certeza, a Rua Direita concorda com você. Há outros presentes que se pode dar à criança como um livro, uma câmera fotográfica, uma roupa, enfim, inúmeras coisas que não são necessariamente, brinquedos.

    ¬ Responder

Comentários - Não dê apenas um brinquedo

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Um sinal de compromisso

Ler próximo texto...

Tema: Jóias Relógios
Um sinal de compromisso\"Rua
Exibir uma aliança de compromisso é, frequentemente, motivo de orgulho e, quando se olha para ela, vai-se rodando-a no dedo e fica-se com aquela expressão ridícula na cara.

Uma questão se coloca: qual a razão de estas alianças de compromisso serem tão fininhas: será porque os seus principais clientes, os jovens, são sujeitos de poucas posses (tendendo as mesadas a emagrecer ainda mais com a crise generalizada) ou porque esse compromisso, não obstante a paixão arrebatadora, é frágil e inseguro?

Sim, porque aqui há que fazer cálculos matemáticos: x compromissos vezes y alianças…com um orçamento limitado sobre um fundo sentimental infinito…

Depois, importa perpassar os tipos destas alianças. Há as provisórias, que duram em média quinze dias; há as voadoras, que atravessam os ares à velocidade da luz quando a coisa dá para o torto; há as que insistem em cair do dedo, sobretudo em momentos em que ter um compromisso se revela extremamente inoportuno; e depois há as residentes, que uma vez entradas não tornam a sair.

Os pombos-correios usam anilhas onde figuram códigos que os identificam. Talvez não fosse completamente descabido fazer umas inscrições deste género em algumas alianças de compromisso por aí…

Só para ajudar os mais esquecidos a recordarem a que “pombal” pertencem.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Um sinal de compromisso

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Luene ZarcoLuene

    22-09-2014 às 05:46:10

    Um sinal de amor e lealdade perpétua! Adoro ver os vários modelos de aliança! Vale a pena escolher uma bem bonita!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios