Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Brinquedos > O meu cavalinho de pau

O meu cavalinho de pau

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Brinquedos
Visitas: 86
Comentários: 1
O meu cavalinho de pau

No imaginário de cada criança, encontramos milhões de brincadeiras.

Umas mais do que outras, as crianças têm a extraordinária capacidade de brincar com qualquer coisa, qualquer pessoa, em qualquer espaço, independentemente do tempo que faça, ou do tempo que permaneça num local. Portadores de uma fantástica criatividade, as crianças inventam, e inventam tanto que não é muito difícil ouvi-las a falar sozinhas.

As meninas porque falam com os seus bebés ou ensinam letrinhas e números à bonecada, os meninos perecem-nos à partida mais musicais, quando a cada disparo de corridas de carrinhos, imitam o barulho do motores a roncar.

Em suma e como dizia o poeta “…melhor do mundo, são as crianças…”.

Se julgamos que as crianças de hoje só sabem brincar com objectos e que antigamente se inventavam muitas mais brincadeiras sem que fosse necessário carregar uma boneca, estamos ligeiramente enganados.

Existem brincadeiras intemporais e instintivas. Um cavalinho de pau é significado disso.

Brinquedo com dezenas e dezenas de anos, um cavalinho de pau, não é nada mais, nada menos que um pau com uma cabeça de cavalo talhada na extremidade. Ninguém sabe muito bem quem inventou ou quem talhou o primeiro cavalinho de pau, mas a entender pela criatividade, conseguimos ter algumas certezas que o inventor foi uma criança. Na tentativa de ter o seu próprio cavalo e na certeza que este serviria para percorrer mundo, montou-se num pequeno pau e começou a cavalgar.

Uns mais equipados do que outros, os cavalinhos de pau começaram desde cedo a ser alterados. Uns com crinas e rédeas, outros com cabeça de papel, as delicias das crianças são sempre atingidas havendo vontade de ser um verdadeiro cavaleiro.

E se não há quem possa talhar uma cabeça de cavalo em madeira, a vassoura lá de casa também serve, pois o que interessa mesmo é brincar.

Ainda hoje, e contando que este brinquedo é secular, encontramos em muitas lojas e quartos de crianças os famosos cavalinhos de pau. Pintados com cores garridas, envernizados depois de muito bem lixados, pois os cuidados com brinquedos hoje em dia são bem superiores aos de antigamente.

Mais sofisticados, a extremidade traseira é hoje acompanhada por uma pequena roda que desliza e não faz estragar o chão, não vá a mãe zangar-se.

Vivem-se aventuras com todo o tipo de brinquedos, mas um cavalinho de pau é sempre uma aventura especial. Como se pode ver, nem sempre se mudam as vontades.


Carla Horta

Título: O meu cavalinho de pau

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 86

765 

Imagem por: edenpictures

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    25-04-2014 às 18:40:06

    Lendo seu texto, recordei minha infância e como brincava com meu cavalinho de pau, tão bom recordar isso!

    ¬ Responder

Comentários - O meu cavalinho de pau

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como economizar energia em condomínios, empresas e edificações comerciais

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Energias Renováveis
Como economizar energia em condomínios, empresas e edificações comerciais\"Rua
Economizar energia elétrica é importante para nós e para o planeta, já que esse recurso é produzido, em sua grande maioria, através de processos caros e extremamente prejudiciais ao meio ambiente.

O consumo racional e eficiente de energia elétrica depende de mudanças de hábito por parte dos consumidores (residenciais, comerciais e industriais), principalmente no que diz respeito a ações cotidianas.

Nesse texto selecionamos algumas dicas e informações de grande utilidade pra ajudá-los a programar o uso racional da energia elétrica em condomínios, empresas e em edificações comerciais.

Tome nota:

•Faça manutenção planejada e constante nas instalações elétricas, e não sobrecarregue os circuitos além do que foi especificado em projeto, ou pelo eletricista. A falta de manutenção e a sobrecarga dos circuitos podem causar curtos, aquecer a fiação e permitir que quantidade significativa de energia elétrica se perca pela rede, e ainda danifique a própria fiação.

•Troque todas as lâmpadas incandescentes por fluorescentes (tubulares ou compactas), e, se possível, invista na iluminação de LED. As lâmpadas de LED consomem cerca de 80% menos de energia elétrica, quando comparadas às incandescentes e duram oito vezes mais.

•Se o ambiente é muito grande, muito largo, ou muito extenso, divida a iluminação em vários circuitos. Essa medida permite o desligamento parcial de lâmpadas em desuso ou desnecessárias.

•Em áreas de pouca circulação e de permanência transitória como corredores, sanitários, garagens, áreas de serviço e copas, é recomendável a instalação de sensores de presença, mecanismos que acionam a iluminação somente quando houver circulação de pessoas.

•Em áreas cuja iluminação natural consegue ser aproveitada, podem ser também instalados sensores de fotocélulas, dispositivos que detectam automaticamente a necessidade de acionamento da iluminação artificial quando a iluminação natural é insuficiente (á noite e em dias nublados, por exemplo).

•Mantenha as luminárias sempre limpas para que a potência das lâmpadas seja 100% aproveitada.

•Pinte as paredes internas e os tetos dos ambientes com cores claras, pois essas refletem e espalham a luz para todo o ambiente.

•Troque equipamentos elétricos velhos, motores defasados, aparelhos de ar condicionados antigos, luminárias muito gastas, por modelos mais novos, que já são projetados para consumirem menos energia elétrica, e contam com selos de garantia que os qualificam com relação à eficiência.

•Faça manutenção e limpeza constantes nos aparelhos de ar condicionado. Filtros sujos exigem maior esforço dos aparelhos (maior gasto energético) no processo de refrigeração e ainda causam grande risco à saúde.

•Não deixe caixas condensadoras e resfriadoras do sistema de ar condicionados instaladas em locais onde recebam incidência solar constante. Quando recebem sol durante muito tempo esses equipamentos chegam a consumir o dobro da energia prevista, já que a utilizam primeiramente para promover o seu próprio resfriamento e só depois a refrigeração dos ambientes.

Aproveitem nossas dicas e se precisarem de mais informações, entrem em contato com um profissional capacitado.

Pesquisar mais textos:

Danília Oliveira Gonçalves

Título:Como economizar energia em condomínios, empresas e edificações comerciais

Autor:Danília Oliveira Gonçalves(todos os textos)

Imagem por: edenpictures

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios