Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Restaurantes > Sushi – Primeiro estranha-se, depois entranha-se

Sushi – Primeiro estranha-se, depois entranha-se

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Restaurantes
Visitas: 2
Comentários: 5
Sushi – Primeiro estranha-se, depois entranha-se

À primeira vista, a ideia de comer peixe cru não é muito apelativa. No entanto, depois de experimentar é possível verificar que nem tudo o que é estranho é mau.

O sushi e o sashimi são pratos típicos japoneses confecionados à base de peixe cru, vegetais ou frutas e apresentados, normalmente, sob a forma de pequenos rolinhos coloridos, o que facilita a descoberta de novos sabores e contribui para uma refeição mais equilibrada. Com a proliferação de restaurantes de comida rápida e, por vezes, temporariamente enganadora do estômago, este pode ser um ótimo complemento à dieta, sendo até uma entrada original para aquele jantar em casa que temos planeado com os amigos.

Os peixes mais comuns para a confeção destas especialidades são o salmão, o atum, o arenque e a truta, complementados com arroz japonês, algas, molho de soja ou gengibre, entre outros.

Existem alguns conselhos a dar aos iniciantes. Por exemplo, uma boa refeição deve ser iniciada com fatias de sashimi, tanto com peixes gordos como magros. Por norma, é aceitável usar os dedos, sendo que se deve também oferecer uma toalha húmida para serem limpos. A peça de comida não deve ser mergulhada por completo nos molhos, uma vez que se corre o risco de a desfazer e, consequentemente, perder todo o sabor. Cada peça de sushi deve ser comida na totalidade, uma vez que comer apenas uma parte é considerado grosseiro. As bebidas tradicionais que acompanham uma refeição tipicamente japonesa são a cerveja (japonesa, de preferência...), o sake, o vinho de arroz ou o chá verde. Dentro da cultura ocidental, é comum acompanhar-se este tipo de refeição com vinho verde ou espumante.

Os restaurantes de comida japonesa já começam a ser comuns em muitos países, pelo que não será difícil encontrar um lugar onde possa iniciar ou desfrutar dos prazeres da cozinha oriental. Inicialmente, o aconselhável é mesmo ir a um restaurante. No entanto, já é possível encontrar comida japonesa nos supermercados, o que permite poupar tempo na confeção destes pratos, que pode ser bastante demorada.

Hoje em dia, vivemos numa aldeia global de um âmbito muito superior ao das comunicações ou da economia. As culturas que nos eram distantes estão cada vez mais próximas e é pelo estômago que, muitas vezes, existe o contacto inicial.

Apesar das culturas orientais nos serem estranhas em muitos aspetos, podem depois tornarem-se agradáveis surpresas que, se ao princípio são estranhadas, acabam depois por serem entranhadas.


Luís Seco Passadouro

Título: Sushi – Primeiro estranha-se, depois entranha-se

Autor: Luís Seco Passadouro (todos os textos)

Visitas: 2

809 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 5 )    recentes

  • Kizua UriasKizua

    14-09-2014 às 19:12:33

    Já provei o sushi e o sashimi, mas gostei muito mais do empanado, aquele que vem frito, acho que é butherfly o nome dele. Não é minha comida preferida, mas de vez em quando eu saboreio.

    ¬ Responder
  • SophiaSophia

    19-05-2014 às 03:39:29

    Já experimentei bastante o sushi e sashimi e gostei por certo tempo. No meu caso, enjoei,mas tem gente que é viciada em comer sushi! heheh
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • Sofia NunesSofia Nunes

    14-09-2012 às 17:52:02

    Vendo este completo texto sobre sushi, não posso deixar de lembrar-me da minha ignorância, só há poucos meses quebrada, sobre a verdadeira natureza do sushi. Provei sushi há uns anos e não gostei. Entretanto tornei-me vegetariana e não voltei a experimentar sushi porque pensava que era uma espécie de sinónimo de peixe cru. Só recentemente soube que o ingrediente que define o sushi é o arroz, podendo ser confeccionado sushi com vegetais. Voltarei a provar.

    ¬ Responder
  • JOCILIA sEIXASJOCILIA sEIXAS

    31-12-2009 às 23:05:38

    Conheci a comida japonesa há oito anos atrás em Brasília,entretanto não dava muita bola a ela. Só agora com o abandono TOTAL a carne e ao total adaptação ao comidas mais saudáveis como vegetais, que vejo na comida Japonesa uma alternativa maravilhosa, que me satisfaz e extremamente saborosa....

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãotui

    18-05-2009 às 01:22:48

    Foi na grecia ,há mais de 12 anos que comi sushi pela primeira vez. Estava a agradar a minha namorada (hoje é minha mulher) e eu realmente tentei gostar. Eu fiz um esforço e expermentei de quase tudo, isto de agradar tem o seu preço, equeria te dizer luis que odiei. Eu tentei gostar de sushi.
    A serio. Para mim sushi ficou por ali.
    Expermentei e odiei sushi.

    A minha mulher ainda come regularmente sushi, e eu ate faço companhia mas antes como um burguer....

    Sushi ou se gosta ou se odeia.

    ¬ Responder

Comentários - Sushi – Primeiro estranha-se, depois entranha-se

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como burlar a crise e fazer a viagem dos sonhos gastando pouco

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Viagens
Como burlar a crise e fazer a viagem dos sonhos gastando pouco\"Rua
Não é novidade para ninguém que o Brasil está passando por uma séria crise econômica e política. Atrelado a isso, a elevação do dólar nos últimos meses tem contribuído para a queda considerável no número de viagens internacionais. Para os amantes de viagens, também chamados travelholics, a crise não é um motivo para adiar aquela viagem tão esperada.
Nesse post você terá dicas de como superar esse momento e realizar seu sonho de uma forma mais econômica, sem precisar de guias turísticos, que encarecem ainda mais a viagem.

Dica 1) Planeje sua viagem com antecedência.
Provavelmente a maioria já ouviu falar disso, mas é a pura verdade. Programar a viagem é o primeiro passo para uma estadia tranquila e bem mais barata. Escolher o destino, a época do ano e com quem ir é o começo de tudo. As passagens aéreas costumam ter preços promocionais quando comprada com antecedência e você poderá escolher melhor onde passará as noites.

Dica 2) Pesquise os preços das passagens diariamente.
Se o destino já está definido, comece a buscar as passagens já. Os preços costumam variar diariamente, e sim, podem cair ou subir absurdamente de um dia para o outro. Eu super indico o Google Voos como busca de passagem. Ele apresenta os valores e os horários das mais variadas companhias aéreas e no final, te redireciona para o site da empresa sem te cobrar nenhuma taxa por isso. Além disso, ter em mente a opção de flexibilizar as datas pode te possibilitar um bom desconto no final. Você e o seu vizinho de assento podem estar indo pro mesmo destino, mas pagando valores completamente diferentes.

Dica 3) Use e abuse do Google Maps para escolher a região de hospedagem.
O Google Maps é uma opção de busca com mil e uma utilidades. Depois de escolhida a cidade, pesquise a localização dos principais pontos turísticos que são do seu interesse. Há várias ferramentas para busca de hotéis e pontos turísticos no site. Se você vai depender de transporte público ou ''viação pé'' para conhecer a cidade, uma boa dica para economizar tempo e dinheiro é ficar na região cultural da cidade. Você poderá pagar um pouco mais caro na estadia, mas economizará em outros quesitos.

Dica 4) Utilize os sites de busca de hotéis para fazer as reservas.
Depois de muito pesquisar, descobri que organizar a viagem por conta própria pode sair até pela metade do preço do que seria através de uma agência de viagem. Existem muitos sites de hotéis, mas é bom pesquisar sua credibilidade em fóruns e sites de reclamação. Minha sugestão é o Booking.com, há anos no mercado com milhões de clientes, ele é reconhecido pela sua transparência e grande assistência àqueles que precisaram resolver algum problema. Utilizando as datas de entrada e saída, e os filtros como valor máximo da diária e número de estrelas, você encontra o melhor hotel pro seu gosto e seu bolso.

Dica 5) Seguro Viagem
É imprescindível a contratação de um seguro viagem se você está indo para o exterior. Dependendo do país, uma diária no hospital pode sair mais cara que toda a viagem. Sem falar que em caso de extravio de bagagem e algum problema mais grave com um parente próximo no país de origem, além de outras questões, o seguro tem a cobertura específica. Não se deixe levar pelos pequenos preços. Procure aqueles conhecidos mundialmente e, de preferência, utilizado por algum conhecido. Quanto mais detalhado for, melhor.

Dica 6) Curta a pré-viagem pesquisando
O período antes da viagem é tão gostoso quanto ela, propriamente dita. Aproveite para pesquisar sobre os locais do seu interesse, restaurantes, lojas e principalmente transporte. Hoje, já existe taxímetro online em grandes metrópoles, onde você pode fazer um cálculo estimado da corrida de um lugar a outro. Como o nosso objetivo é a economia, são muitas as alternativas de transporte. Além do bom e velho ônibus, as vans compartilhadas do aeroporto para o hotel podem sair bem mais em conta que o táxi. Para quem for ficar poucos dias em uma grande cidade, os ônibus vermelhos de dois andares, conhecidos por Hop On Hop Off, dão uma geral na cidade, passando pelos principais pontos e possibilitando ao turista parar onde quiser, e esperar pelo próximo nos pontos indicados. Existem ticktes de 24, 48 e 72 horas ilimitado, a partir do momento do primeiro uso.

Pesquisar mais textos:

Letícia Spínola Flávio

Título:Como burlar a crise e fazer a viagem dos sonhos gastando pouco

Autor:Letícia Spínola Flávio(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Adriana SantosAdriana Santos

    10-11-2015 às 21:16:50

    Gostei das dicas! Valeu!
    Realmente, as pessoas que amam viajar encontram diversas formas, nem que seja um lugar próximo a sua cidade!

    Abraços!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios