Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > literatura - um modo de vida

literatura - um modo de vida

Categoria: Literatura
Visitas: 2
Comentários: 1
literatura - um modo de vida

Assim à primeira vista, ou ao ouvido, literatura soa a algo de eruditos, especialistas, “inteligentes mais do que a conta”, intelectuais (ou “intectualóides”…), enfim, “caixas de óculos”, gente chata e sem interesse para aqueles que não sejam tão apaixonados pelo saber e pela cultura como esses “papa-livros” e, como não costumam ser esquisitos, tudo o que de redacção lhes aparecer à frente. Estes nem nas noites frias de Inverno devem dar descanso aos pobres volumes deixando que eles fechem a capa… E só não os devoram de cima a baixo, porque, pelo menos no Ocidente, a escrita e a respectiva leitura se processam da esquerda para a direita! O pior é se têm algum filho médico que, por defeito profissional, não pode ver apêndices e desata a cortar as últimas páginas dos livros todos…!

As ofertas literárias são cada vez mais amplas e diversificadas, e, hoje em dia, desde que se seja minimamente dotado e se possua uma mensagem a transmitir e dinheiro ou patrocinadores, quase qualquer pessoa tem a possibilidade de publicar escritos seus. Muitos escolhem a poesia para se lançar. Normalmente, esses poemas decorrem de momentos de grande sofrimento ou de uma paixão assolapada e de sentimentos e/ou estratégias associados. Alguns versos são aquilo que se poderia apelidar de heróicos, uma vez que consubstanciam a coragem de alguém em divulgar uma coisa sem pés nem cabeça que resolveu escrever…!

Outros bons escritores, infelizmente, apenas são reconhecidos já após o falecimento, havendo obras póstumas de grande envergadura e conteúdo. Estas não representam livros que o autor escreve depois de morto, como pensam individualidades menos bafejadas pelo poder de reflexão, mas dizem respeito à publicação já fora de vida do autor.

Nos tempos que correm, e em boa parte mercê da má alimentação que se faz, há um número crescente de indivíduos a utilizar a sanita para pôr a leitura em dia. É o chamado dois em um: enquanto fazem força para o “cocózinho” sair, vão-se focando nas notícias desportivas e da actualidade nacional e internacional, ou, dependendo dos gostos, tendências e maturidade, aproveitam para ler umas bandas desenhadas (de alto teor pedagógico, diga-se de passagem). Assim sendo, de há uns anos a esta parte, foram aparecendo umas tampas almofadadas, mais esbeltas e, sem dúvida, confortáveis para o efeito. Tanto a posição como a disponibilidade mental verificada no contexto de um W.C. todinho só para si favorece a leitura atenta e inequívoca das entrelinhas… ou “entredesenhos”…

Maria Bijóias

Título: literatura - um modo de vida

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 2

601 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoDaniela Vicente

    12-09-2012 às 20:55:00

    para ler não precisa ser grande erudito ao sábio, basta perceber como é mágico um livro. perceber como viajamos sem sair do sofá. perceber como nos apaixonamos sem sair do sofá. só custa as primeiras páginas até captar a história e depois já ninguém nos pára. não interessa onde lemos: no metro, no autocarro, no café, na escola, na casa-de-banho, etc. só interessa ler.

    ¬ Responder

Comentários - literatura - um modo de vida

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Boyhood um filme que você não espera muito, mas encontra bastante.

Ler próximo texto...

Tema: DVD Filmes
Boyhood um filme que você não espera muito, mas encontra bastante.\"Rua
Finalmente assisti Boyhood. O filme sugerido por um amigo há alguns dias atrás que, tirando o fato de ser sido feito em 12 anos, nunca tinha me chamado a atenção. Lembro de visto os comentários na época do Oscar, mas mesmo assim não estava empenhado em vê-lo.

Quando me falaram que era estilo real life, torci mais ainda o nariz, achando que veria algo no esquema, “Atividade Paranormal”, que para mim usa a desculpa de “semidocumental” para justificar péssimas atuações.
No entanto, mesmo com a expectativa baixa, nas primeiras cenas do filme já comecei a mudar de ideia e conforme o mesmo avançava iam surgindo frases do tipo: “Opa, talvez só pela trilha sonora já valha a pena! ”, ou “Caraca, essas crianças estão ótimas nesses papéis! ”, ou ainda “Até o Ethan Hawke, está legal nesse filme! ”. Até passar da metade e começarem os comentários tipo: “Ah meu Deus, não quero plot twist, quero que tudo acabe bem com o Mason e sua família”, ou “Por favor sem surpresas no final, eu quero apenas um final feliz! ”.

Eu realmente fiquei muito surpreso com o filme. (SPOILLERS daqui pra frente). Não com o roteiro e como eu disse acima: ainda bem. A história e super comum. O final é comum como o esperado, com exceção da Mãe de Mason, Olivia Ewans. Esta só teve o seu digno final na cerimônia do Oscar quando a atriz Patrícia Arquete, que interpretou a mãe, venceu como atriz coadjuvante, e fez um discurso muito bom sobre a igualdade de direitos entre homens e mulheres.

No filme as situações lembram bastante a realidade, destaco uma cena em que o Ethan Hawke, está conversando com sua nova esposa em uma festa para comemorar a formatura de Mason no colegial e sua ex-sogra, fica interrogando-os com algum assunto qualquer, depois que ela saiu de perto deles eles ficam rindo e fazendo umas caretas comentando tipo: “que conversa estranha! ”, ou algo assim, coisas que todos fazemos, mas muitas vezes nem reparamos. Esses tipos de detalhes do cotidiano foram muito bem captados, pelo diretor e exposto de forma muito natural.

Fica essa dica de um filme muito interessante, que vale a pena ser visto por toda a família, inclusive para quem tem olhos mais clínicos, pois poderá perceber sutilezas nos cenários e nos diálogos que foram muito bem construídos.

Pesquisar mais textos:

Jhon Erik Voese

Título:Boyhood um filme que você não espera muito, mas encontra bastante.

Autor:Jhon Erik Voese(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Leputs 20-08-2015 às 22:32:59

    Boa critica, vim por recomendação de um user de um fórum e acabei lendo suas outras resenhas, na minha opinião as primeiras resenhas que você fez eram mais profissionais, agora elas estão pendendo mais para um lado "não crítico". Recomendo você dar uma relida nas antigas que da para aproveitar muita coisa.
    No mais curti muito sua forma de interpretação e relato. Parabéns.

    ¬ Responder
  • Jhon Erik VoeseJhon Erik Voese

    21-08-2015 às 23:42:37

    Opa obrigado pelo seu tempo e pelo conselho.
    Sem querer me justificar, mas já o fazendo ainda estou trabalhando nesse meu estilo de escrita e por isso tenho experimentado um pouco. Meu intuito na verdade era buscar um diferencial nas críticas e resenhas sem ficar muito preso a somente descrição da obra, mas realmente ser parcial, ou até passional, como você pode ler nessa última, até pra gerar debates e expor um pouco do que eu "senti" logo que terminei de ver os filme, ou de ler os livros. Mas seu conselho está anotado, pois entendo que tenho que encontrar um equilíbrio entre a paixão e o profissional, para que não vire um relato de diário. Mais uma vez agradeço pelo feedback e espero que continue acompanhando, pois muito virá depois destes!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios