Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > 10 Melhores Livros

10 Melhores Livros

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Literatura
Visitas: 2
Comentários: 2
10 Melhores Livros

LER – Eis algo a que a grande maioria das pessoas devia dedicar mais tempo. Um livro pode ser um amigo, uma fonte de conhecimento, uma companhia… Além disso, e tal como já alguém referiu: “Quem lê sabe mais” – essa é que é a verdade!

Nesta conjuntura de crise global, há um livro que vem mesmo a calhar – “Como esticar o salário e encurtar o mês” de Camilo Lourenço (Apresentador do Programa “A Cor do Dinheiro”, que passa na RTPN). Neste livro irá encontrar inúmeras dicas que irão certamente ajudá-lo(a) a sobreviver à crise.

Um outro título muito interessante para todos aqueles que querem mudar a sua vida e alcançar a excelência pessoal é o livro de Adelino Cunha – “Eu tenho o poder”. Escrito numa linguagem simples e bastante acessível para todas as pessoas que quiserem saber mais sobre a forma como nós funcionamos enquanto seres humanos, e com isso operar as mudanças necessárias que lhe permitirão realizar os seus sonhos.

“Utopia” de Thomas More, uma obra de referência na qual o autor imagina e descreve o mundo ideal – uma sociedade justa, igualitária, pacífica e feliz. Um ensaio deveras único.

“Era uma vez um velho que pescava sozinho…” – assim começa a narrativa de “O velho e o mar” – Ernest Hemingway. Uma obra magnífica deste grande escritor.

E quem não se lembra dos desenhos animados de “Tom Sawyer”. Muitos certamente ainda se recordarão e os mais acérrimos de certeza conseguem “assobiar” na perfeição a música do genérico. O livro é igualmente imprescindível – “Tom Sawyer” de Mark Twain.

“O Código da Vinci” de Dan Brown. Um best-seller mundial. Uma história verdadeiramente intrigante. Será que anda “sangue” de Jesus Cristo entre nós?

Passando agora para a música – “Nirvana – Rock n´ Roll” de Jordi Bianciotto. Este livro é um pedaço de história, neste caso da história da música, e mais precisamente do grunge. Relata um pouco da história da banda do carismático líder Kurt Cobain, “desaparecido” a 5 de Abril de 1994, deixando “órfãos” milhões de fãs em todo o mundo. Escrito em Espanhol. Inclui algumas letras.

Agora um livro para os apreciadores de literatura mais “negra” e melancólica. “Contos” de Edgar Allen Poe. Não recomendável para pessoas que estejam a atravessar uma fase mais depressiva.

Para os verdadeiros amantes de futebol, “Planeta do Futebol” de Luís Freitas Lobo. Um livro da autoria de um dos melhores e mais conceituados comentadores da actualidade.

Quer descobrir o segredo de alguns dos maiores milionários que o mundo já conheceu? Leia este livro: “Pense e Fique Rico” de Napoleon Hill.

E agora o porquê destas escolhas: A razão é que foram livros que eu li, e que me marcaram de uma ou outra forma em diferentes momentos!

Boas leituras, e não se esqueça que “quem lê sabe mais”.



Carlos Vieira

Título: 10 Melhores Livros

Autor: Carlos Vieira (todos os textos)

Visitas: 2

781 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoDaniela Vicente

    10-09-2012 às 13:34:35

    Você enumerou no seu texto um grande número de livros: uns melhores, outros piores. Já li o Código da Vinci e adorei. É daqueles livros que lemos num só fôlego e sabe tão bem acabar. O Velho e o Mar, de Ernest Hemingway é um livro pequeno, mas muito interessante. Ao princípio parece que estamos perante um livro para ler antes de dormir, mas não. Tem uma lição de vida muito interessante.

    ¬ Responder
  • CristinaCristina

    29-03-2010 às 23:46:13

    A destacar o livro O Nome do Vento, de Patrick Rothfuss

    ¬ Responder

Comentários - 10 Melhores Livros

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Pulp Fiction: 20 anos depois

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Arte
Pulp Fiction: 20 anos depois\"Rua
Faz hoje 20 anos que estreou um dos mais importantes ícones cinematográficos americanos.

Pulp Fiction é um marco do cinema, que atirou para a ribalta Quentin Tarantino e as suas ideias controversas (ainda poucos tinham visto o brilhante “Cães Danados”).

Repleto de referências ao cinema dos anos 70 e com uma escolha de casting excepcional, Pulp Fiction conquistou o público com um discurso incisivo (os monólogos bíblicos de Samuel L. Jackson são um exemplo disso), uma violência propositadamente mordaz e uma não linearidade na sucessão dos acontecimentos, tudo isto, associado a um ritmo alucinante.

As três narrativas principais entrelaçadas de dois assassinos, um pugilista e um casal, valeram-lhe a nomeação para sete Óscares da Academia, acabando por vencer na categoria de Melhor Argumento Original, ganhando também o Globo de Ouro para Melhor Argumento e a Palma D'Ouro do Festival de Cannes para Melhor Filme.

O elenco era composto por nomes como John Travolta, Samuel L. Jackson, Bruce Willis, Uma Thurman e (porque há um português em cada canto do mundo) Maria de Medeiros.

Para muitos a sua banda sonora continua a constar na lista das melhores de sempre, e na memória cinéfila, ficam eternamente, os passos de dança de Uma Thurman e Travolta.

As personagens pareciam ser feitas à medida de cada actor.
Para John Travolta, até então conhecido pelos musicais “Grease” e “Febre de Sábado à Noite”, dar vida a Vincent Vega foi como um renascer na sua carreira.

Uma Thurman começou por recusar o papel de Mia Wallace, mas Tarantino soube ser persuasivo e leu-lhe o guião ao telefone até ela o aceitar.

Começava ali uma parceria profissional (como é habitual de Tarantino) que voltaria ao topo do sucesso com “Kill Bill”, quase 10 anos depois.

Com um humor negro afiadíssimo, Tarantino provou em 1994 que veio para revolucionar o cinema independente americano e nasceu aí uma inspirada carreira de sucesso, que ainda hoje é politicamente incorrecta, contradizendo-se da restante indústria.

Pulp Fiction é uma obra genial. Uma obra crua e simultaneamente refrescante, que sobreviveu ao tempo e se tornou um clássico.
Pulp Fiction foi uma lição de cinema!

Curiosidade Cinéfila:
pulp fiction ou revista pulp são nomes dados a revistas feitas com papel de baixa qualidade a partir do início de 1900. Essas revistas geralmente eram dedicadas às histórias de fantasia e ficção científica e o termo “pulp fiction” foi usado para descrever histórias de qualidade menor ou absurdas.

Pesquisar mais textos:

Carla Correia

Título:Pulp Fiction: 20 anos depois

Autor:Carla Correia(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios