Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Instrumentos Musicais > Pedaleira: o instrumento que modifica o som

Pedaleira: o instrumento que modifica o som

Visitas: 6
Comentários: 16
Pedaleira: o instrumento que modifica o som

A pedaleira é um aparelho electrónico que modifica ou distorce os sons de um instrumento amplificado.

Os instrumentos mais utilizados em conjunto com as pedaleiras são as guitarras eléctricas e os teclados. Podem ter um único efeito, com botões de compensação, ou ainda um processador para programar vários efeitos.

Estes efeitos podem alterar a totalidade do som ou apenas modificá-lo um pouco. As pedaleiras analógicas mantêm o timbre do instrumento, mas as digitais podem alterá-lo por completo.

Estas pedaleiras eram produzidas, até há pouco tempo, por pequenas companhias e a publicidade funcionava principalmente através do “boca-a-boca” e da Internet. No entanto, as grandes empresas viram aqui um nicho de mercado em que decidiram apostar.

Além deste nicho de mercado, existe ainda um outro dentro deste que se dedica à alteração dos efeitos produzidos.

Quando se compra uma pedaleira, a modificação de som que existe é standard, mas existem entidades que modificam estes padrões das pedaleiras.

Ao nível do mercado existente, há uma preferência clara pela linha analógica de pedaleiras, uma vez que é a que permite alterar o som de um instrumento, mas sem que este perca o timbre mais original.

No entanto, com estes pedais é possível fazer imensas combinações de sons. Antes de comprar, e mesmo conhecendo as distorções possíveis, o futuro utilizador deve ser sempre aconselhado a experimentar o produto.


Rua Direita

Título: Pedaleira: o instrumento que modifica o som

Autor: Rua Direita (todos os textos)

Visitas: 6

712 

Imagem por: Marco Raaphorst

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 16 )    recentes

  • Carla HortaCarla Horta

    07-10-2012 às 22:45:54

    Para qualquer guitarrista são fundamentais. Muitos dos efeitos que ouvimos e julgamos (e bem, claro) extraordinários, muito se devem a este acessório de musica. Tão indispensável quanto as cordas de uma guitarra, podem custar verdadeiras fortunas se a aposta for numa boa qualidade e em funções exibicionistas, mas muito, muito agradáveis.

    ¬ Responder
  • Ruben GonçalvesRuben Gonçalves

    07-10-2012 às 03:25:09

    Tal como a maioria dos equipamentos analógicos, também as pedaleiras analógicas são preferidas em relação ás versão digitais. Embora as versões digitais possam ser obtidas a custos inferiores e tenham algumas inovações, a maioria dos músicos continua a preferir usar os equipamentos analógicos, pois apresentam características mais interessantes no som que produzem.

    ¬ Responder
  • Ruben GonçalvesRuben Gonçalves

    07-10-2012 às 03:24:56

    Uma configuração de demasiadas pedaleiras pode dificultar a nossa escolha do som ideal, mas de facto temos uma variedade de opções muito maior ao nosso dispor. Em caso de duvida podemos simplesmente desliga-la ou tentar outra configuração dos parâmetros. É muito importante conseguirmos usar os sons no momento certo, por termos uma nossa pedaleira não significa que sejamos obrigados a usa-la em todas as músicas.

    ¬ Responder
  • Ruben GonçalvesRuben Gonçalves

    07-10-2012 às 03:24:43

    As pedaleiras têm uma particularidade muito interessante, como o próprio nome indica permitem ser utilizadas com os pés, o que é fantástico se pensarmos que temos as mão ocupadas a tocar ou a segurar no instrumento. É o facto de serem tão complementares que as torna um equipamento tão utilizado no mundo inteiro.

    ¬ Responder
  • Ruben GonçalvesRuben Gonçalves

    07-10-2012 às 03:24:25

    Existem pedaleiras de vários preços, é aconselhável começar por comprar as pedaleiras mais versáteis e adequadas ao género musical que toca. Uma pedaleira cara não significa que seja essencial. É muito importante que o afinador esteja sempre colocado antes de todas as pedaleiras, sob pena de não conseguir afinar o instrumento.

    ¬ Responder
  • Ruben GonçalvesRuben Gonçalves

    07-10-2012 às 03:24:12

    A magia das pedaleiras consiste no facto de se poderem criar combinações de vários tipos de pedaleiras de forma a obter todos os sons que pretendemos. É muito fácil criar uma rede de pedaleiras para podermos obter novos sons da nossa guitarra ou de outro instrumento musical da nossa preferência.

    ¬ Responder
  • Wallace RandalWallace Randal

    06-10-2012 às 17:27:39

    Legal saber as funções de uma pedaleira e aonde podemos usá-la, mas eu não tenho conhecimento o bastante para opinar nos tipos de distorção que elas fazem. Foi interessante saber que este produto surgiu de uma forma tão inesperada, sendo comercializada de forma até “caseira” , por assim dizer. A aposta de grandes empresas tornou-o bem conhecido, e hoje em dia todo mundo que pensa em comprar uma gitarra ou teclado, também o quer.

    ¬ Responder
  • Wallace RandalWallace Randal

    06-10-2012 às 17:27:29

    Legal saber as funções de uma pedaleira e aonde podemos usá-la, mas eu não tenho conhecimento o bastante para opinar nos tipos de distorção que elas fazem. Foi interessante saber que este produto surgiu de uma forma tão inesperada, sendo comercializada de forma até “caseira” , por assim dizer. A aposta de grandes empresas tornou-o bem conhecido, e hoje em dia todo mundo que pensa em comprar uma gitarra ou teclado, também o quer.

    ¬ Responder
  • Wallace RandalWallace Randal

    06-10-2012 às 17:27:19

    Legal saber as funções de uma pedaleira e aonde podemos usá-la, mas eu não tenho conhecimento o bastante para opinar nos tipos de distorção que elas fazem. Foi interessante saber que este produto surgiu de uma forma tão inesperada, sendo comercializada de forma até “caseira” , por assim dizer. A aposta de grandes empresas tornou-o bem conhecido, e hoje em dia todo mundo que pensa em comprar uma gitarra ou teclado, também o quer.

    ¬ Responder
  • Anne TeixeiraAnne Teixeira

    05-10-2012 às 16:34:24

    De uns tempos pra cá guitarras tem conquistado um lugar especial no meu coração. Ouço diversos guitarristas famosos e adoro o som que conseguem tirar com o auxílio de uma pedaleira.O mesmo não acontece com violões (o que eu toco), até porque o foco dos instrumentos é diferente. De qualquer forma, nada me encanta mais que o Steve Vai tocando... passaria horas ouvindo sem problemas. Quem curte?

    ¬ Responder
  • Lucas SouzaLucas Souza

    01-10-2012 às 19:07:46

    Pedaleiras são acessórios extremamente interessantes. Sou fã de música e toco guitarra e violão por Hobbi. Tenho meu pedal distorcion que é show de bola, consigo tirar diversos tipos de sons diferentes com ele, muito legal. Pretendo ainda comprar uma pedaleira para ter uma variedade maior de efeitos e poder me divertir tocando minhas músicas. Para que vai começar nesse mundo, sem ter um efeito básico não vai ser tão legal. Belo texto Marcos, parabéns!

    ¬ Responder
  • Nilson EmpreendedorNilson Uemoto

    01-10-2012 às 06:13:44

    Mais um acessório que eu já tinha ouvido falar mas desconhecia sua verdadeira função.Não fazia idéia que a pedaleira modificava o som, já tinha visto pessoas que tocam guitarra com pedaleiras mas imaginava que tinham outra função.É um recurso bem interessante quando se pretende variar o som, causando outros tipos de efeitos.É a Rua Direita sempre aumentando nosso conhecimento

    ¬ Responder
  • Gabriela TorresGabriela Torres

    26-09-2012 às 03:24:20

    Tenho um amigo que faz coleção de pedaleiras.Ele muitas vezes nem chega a tocar sua guitarra.Acredito que ele goste mais de pedais do que guitarras.O fato é que sus coleção tem mais de 300 pedais.

    ¬ Responder
  • Adriana SantosAdriana dos Santos da Silva

    25-09-2012 às 06:11:43

    A pedaleira é um instrumento muito útil na bateria e pode-se observar o quanto ela muda a intensidade do som, dos ritmos e da música. Muitas pessoas que tocam este instrumento, tem a verdadeira paixão pelo som, dá para notar em seus estilos. Não entendo muito bem disso, mas dá para observar seu texto é que isso faz de fato uma diferença grande. Para quem já é experiente sabe que é importante usar a pedaleira.

    ¬ Responder
  • Sofia NunesSofia Nunes

    25-09-2012 às 00:06:21

    Acho interessante que o mercado que produz as pedaleiras se tenha vindo a desenvolver recentemente de modo que a oferta cresça (um nicho de mercado como tantos há, à espera de quem tenha uma ideia interessante e resolva apostar na sua concretização), existindo até modificações de som para além do standard. É algo que decerto criará novas evoluções e nuances interessantes ao nível da sonoridade tanto das guitarras eléctricas como também dos teclados.

    ¬ Responder
  • rafaelrafael

    24-04-2012 às 18:58:38

    quero um pedal so que não tenho dinheiro

    ¬ Responder

Comentários - Pedaleira: o instrumento que modifica o som

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os descendentes de Eça

Ler próximo texto...

Tema: Literatura
Os descendentes de Eça\"Rua
Recentemente, por via da comunicação social, soubemos da entrega do prémio Leya, a um trineto de Eça de Queirós. Julgo que bastou essa noticia, para que todos ficássemos curiosos sobre os seus descendentes…esse mistério, como o Mistério da Estrada de Sintra, começou a adensar-se entre quem se interessa por estas coisas da literatura e da genealogia…então aqui deixo algumas notas que poderão ser importantes para quiçá, um dia, um qualquer jornalista, ou editor, se lembre, de conseguir reunir todos os seus descendentes vivos e se tire uma fotografia de família.

José Maria Eça de Queirós, escritor pródigo da nossa nação, contraiu matrimónio em 1886, com Emília de Castro Pamplona Resende, condessa de Resende, deixando à data de sua morte, em Paris, quatro filhos como seus descendentes e herdeiros diretos; foram eles António Eça de Queirós, Maria Eça de Queirós, Alberto Eça de Queirós e José Maria Eça de Queirós; portanto três meninos e uma menina.
Através do site Geneall.net, foi possível perceber as linhas genealógicas que se seguiram aos seus filhos. No entanto, nem todos os nomes dos seus bisnetos e trinetos estão aí presentes, com certeza por motivos de ordem pessoal, de resguardo da privacidade, motivos que não podemos questionar. Porém, é possível, pelo menos determinar a existência desses membros da família queirosiana.

De antemão sabemos que não houve descendência por parte de dois dos seus filhos, António Eça de Queirós e de Alberto Eça de Queirós.
Maria Eça de Queirós teve dois filhos, uma menina e um menino, porém a menina morreu muito nova, ficando apenas o menino, de seu nome Manuel Pedro Benedito de Castro, que mais tarde casou com Maria da Graça Salema de Castro, a mulher que se tornou a primeira diretora da Fundação Eça de Queirós, na casa de Tormes, pertença da família da esposa de Eça de Queirós. Como Manuel Pedro Benedito de Castro não teve filhos, sabemos que por este ramo, terminou a descendência do escritor.

Convém, entretanto, acrescentar aqui uma curiosidade. Depois do regresso a Portugal da viúva de Eça, ela e os filhos, foram residir para a casa da Granja, pertencente à família de Sophia de Mello Breyner. Inicialmente como esta casa costumava ser arrendada pela família de Sophia, Emília de Castro, arrendou-a, vindo a compra-la uns anos depois. Portanto, é aqui nesta casa que ela cria os seus filhos, e é onde, José Maria Eça de Queirós, um dos seus filhos, permanece após a sua morte, tendo criado aqui os seus filhos e netos, e tendo aqui também falecido.

Podemos então seguramente afirmar que a sua grande linha de descendência parte do seu filho, com o mesmo nome, José Maria Eça de Queirós, que teve também ele, atente-se à curiosidade, quatro filhos, neste caso, ao inverso, um menino, e três meninas, respetivamente de seus nomes, Manuel Eça de Queirós, Maria das Dores Eça de Queirós, Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós e Emília Maria de Castro Eça de Queirós. Esta ultima, Emília, teve ao que consta nove filhos, sendo que um deles, Afonso Maria Eça de Queirós Cabral, é quem atualmente preside à Fundação acima citada, depois da morte da primeira presidente, referida atrás, Maria da Graça Salema de Castro.

Manuel Eça de Queirós por sua vez teve seis filhos, Maria das Dores Eça de Queirós teve três filhos, e Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós, dois filhos. Somados, contabilizamos vinte, os bisnetos do famoso escritor. Seria interessante avançar um pouco mais nos ramos genealógicos e aflorar quem são ou pelo menos, quantos são os trinetos e tetranetos de Eça, por conseguinte fica aqui o desafio, pois é certo que porventura alguns destes descendentes não se conhecem, e nunca terão trocado qualquer impressão sobre o seu ascendente, para uns, bisavô, para outros trisavô, e ainda para outros, tetravô.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Os descendentes de Eça

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Imagem por: Marco Raaphorst

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios