Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Instrumentos Musicais > Dicas para a manutenção de um piano

Dicas para a manutenção de um piano

Visitas: 36
Comentários: 7
Dicas para a manutenção de um piano

Para manter um piano nas melhores condições, é preciso ter alguns cuidados básicos e não descurar outros tantos procedimentos. A afinação regular deste instrumento (de preferência, três a quatro vezes por ano) e a calibragem ou regulação (que consiste no ajuste de todas as partes internas da maquinaria, como a igualação do peso do teclado, de escapes, martelos, apagadores, pedais, etcétera) são essenciais, e levados a cabo por um técnico, poderão evitar problemas futuros no piano. Muita gente fica surpreendida ao constatar como deveria ser o som do piano durante os anos em que a regulação não foi efetuada.

As eventuais reparações a fazer, embora possam parecer simples, revelam-se, muitas vezes, mais dispendiosas, porque um pequeno engano custa bastante caro. Um profissional especializado terá as ferramentas apropriadas e o conhecimento necessário para realizar essa tarefa da melhor forma.

Os pianos não devem estar perto de aparelhos de ar condicionado e de aquecimento, lareiras, radiadores e ventiladores de ar quente, nem ser sujeitos a variações súbitas de temperatura e humidade; aquecendo demasiado a divisória que o alberga, a humidade condensa-se nas cordas e noutras partes metálicas (podendo originar oxidação). Para proteger do frio um piano de cauda, é conveniente recorrer a um cobertor de pianos, à venda em lojas da especialidade. As variações de temperatura e de humidade podem ser controladas com uma estação meteorológica, que fornece informação acerca de ambas. Uma humidade relativa entre os 40 e os 60 por cento é o ideal. Ligar um desumidificador no compartimento onde o piano se encontra ou comprar um desumidificador especial para instalar no interior do piano são formas de combater o excesso de humidade.

Do mesmo modo, é importante manter o instrumento resguardado da incidência solar, passível de danificar os acabamentos e, inclusive, de alterar a afinação. Mudar o piano de sítio ou usar cortinas grossas nas janelas são opções de proteção.

Plantas, vasos, bebidas e qualquer outro líquido devem ser mantidos longe do piano, sob pena de arriscar danos irreversíveis. Os produtos de limpeza também estão interditos. Polidores, óleos e afins são suscetíveis de provocar estragos no revestimento ou contaminar a madeira, independentemente do que digam os rótulos. Quando houver necessidade de uma higiene mais profunda, há que pedir informações ao técnico sobre os melhores produtos, pois existem uns quantos específicos para o efeito.

O piano não é uma mesa nem um carrinho de apoio, pelo que servir-se dele para colocar objetos não é boa ideia. Os riscos formados explicam porquê. Até para limpar o pó, é aconselhável removê-lo primeiro com um espanador e só depois passar com um pano de algodão macio a transitar no sentido dos grãos de pó. De ressalvar a conveniência de se usarem panos diferentes para as teclas pretas e brancas.

As traças parecem apreciar sobremaneira o feltro e os panos que o piano contém, deliciando-se sobretudo com os feltros de alta densidade das cabeças dos martelos. Colocar um recipiente com umas bolas de naftalina dentro do piano será suficiente para afastar traças, larvas e outra bicharada.

Finalmente, há que fechar sempre a tampa do piano depois de tocar. De “boca” aberta, multiplicam-se as probabilidades de “engasgamento”…


Maria Bijóias

Título: Dicas para a manutenção de um piano

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 36

801 

Imagem por: Mourner

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 7 )    recentes

  • Tania

    22-09-2014 às 19:32:42

    Uma das teclas do meu piano está "enroscando" ou seja, quando toco ela não volta.... sabe me dizer o que poderia estar acontecendo?
    Obrigada

    ¬ Responder
  • SophiaSophia

    24-09-2014 às 02:36:49

    Olá, pode ser apenas alguma sujeira, pedaço de algo, então, tente passar um palito fino ou limpe-o. Pode ser também sujeira, poeira.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • Tania

    24-09-2014 às 15:01:03

    Obrigada pela dica!!!

    ¬ Responder
  • Marínalvas Valentim

    28-07-2014 às 21:40:38

    Ganhei um piano e as teclas estão desencapadas onde encontrar um jogo de teclas por um preço acessível.

    ¬ Responder
  • Kaká Ferreira

    07-09-2013 às 02:29:53

    PRECISO DE UM ORÇAMENTO PARA REFORMA DO MEU PIANO M. CHWARTZMANN - AS TECLAS ESTÃO MUITO AMARELAS, E TRÊS ESTÃO TRAVANDO.
    GOSTARIA DE SABER SE HÁ POSSIBILIDADE DE DEIXAR O TECLADO BRANCO E TAMBÉM GOSTARIA DE UM VERNIZ NO MÓVEL.

    Estou no Bairro Bela Vista em São Paulo - SP
    Rua João Passalaqua, 189 apto. 21

    Muito obrigado.

    ¬ Responder
  • Octavio PintoOctavio Pinto

    06-10-2010 às 17:06:57

    Preciso de reparar/substituir as cabeças dos martelos de um piano velho vertical.A maior parte está roída pelas traças.Onde posso comprar feltro denso para aplicar nos espaços em falta? Ou substituir as cabeças?
    M.cumprimentos
    V.P.

    ¬ Responder
  • Ricardo L. vieiraRicardo L. vieira

    16-07-2010 às 20:30:26

    desejo comprar desumificadores para pianos.
    como fazer?

    ¬ Responder

Comentários - Dicas para a manutenção de um piano

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

A história da fotografia

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Fotografia
A história da fotografia\"Rua
A história e princípios básicos da fotografia e da câmara fotográfica remontam à Grécia Antiga, quando Aristóteles verificou que os raios de luz solar e com o uso de substâncias químicas, ao atravessarem um pequeno orifício, projetavam na parede de um quarto escuro a imagem do exterior. Este método recebeu o nome de câmara escura.

A primeira fotografia reconhecida foi uma imagem produzida em 1826 por Niepce. Esta fotografia foi feita com uma câmara e assente numa placa de estanho coberta com um derivado de petróleo, tendo estado exposta à luz solar por oito horas, esta encontra-se ainda hoje preservada.

Niepce e Louis –Jacques Mandé Daguerre inciaram em 1829 as suas pesquisas, sendo que dez anos depois foi oficializado o processo fotográfico o nome de daguerreótipo. Este processo consistia na utilização de duas placas, uma dourada e outra prateada, que uma vez expostas a vapores de iodo, formando uma pelicula de iodeto de prata sobre a mesma, ai era a luz que entrava na camara escura e o calor gerado pela luz que gravava a imagem/fotografia na placa, sendo usado vapor de mercúrio para fazer a revelação da imagem. Foi graças á investigação realizada por Friedrich Voigtlander e John F. Goddard em 1840, que os tempos de exposição e revelação foram encurtados.




Podemos dizer que o grande passo (não descurando muitas outras mentes brilhantes) foi dado por Richard Leach Maddox, que em 1871 fabricou as primeiras placas secas com gelatina, substituindo o colódio. Três anos depois, as emulsões começaram a ser lavadas com água corrente para eliminar resíduos.

A fotografia digital


Com o boom das novas tecnologias e com a capacidade de converter quase tudo que era analógico em digital, sendo a fotografia uma dessas mesmas áreas, podemos ver no início dos anos 90, um rápido crescimento de um novo mercado, a fotografia digital. Esta é o ideal para as mais diversas áreas do nosso dia a dia, seja a nível profissional ou pessoal.

As máquinas tornaram-se mais pequenas, mais leves e mais práticas, ideais para quem não teve formação na área e que não tem tempo para realizar a revelação de um rolo fotográfico, sem necessidade de impressão. Os melhores momentos da nossa vida podem agora ser partilhados rapidamente com os nossos amigos e familiares rapidamente usando a internet e sites sociais como o Facebook e o Twitter .

A primeira câmara digital começou a ser comercializada em 1990, pela Kodak. Num instante dominou o mercado e hoje tornou-se produto de consumo, substituindo quase por completo as tradicionais máquinas fotográficas.

Sendo que presentemente com o aparecimento do FullHD, já consegue comprar uma máquina com sensores digitais que lhe permitem, além de fazer fotografia, fazer vídeo em Alta-Definição, criando assim não só fotografias quase que perfeitas em quase todas as condições de luz bem como vídeo com uma qualidade até agora impossível no mercado do vídeo amador.

Tirar fotografias já é acessível a todos e como já não existe o limite que era imposto pelos rolos, “dispara-se” por tudo e por nada. Ter uma máquina fotográfica não é mais um luxo, até já existem máquinas disponíveis para as crianças. Muitas vezes uma fotografia vale mais que mil palavras e afinal marca um momento para mais tarde recordar.

Pesquisar mais textos:

Bruno Jorge

Título:A história da fotografia

Autor:Bruno Jorge(todos os textos)

Imagem por: Mourner

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    05-05-2014 às 03:48:18

    Como é bom viver o hoje e saber da história da fotografia. Isso nos dá a ideia de como tudo evoluiu e como o mundo está melhor a cada dia produzindo fotos mais bonitas e com qualidade!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios