Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > Crítica ao livro: “O Príncipe do méxico”.

Crítica ao livro: “O Príncipe do méxico”.

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Literatura
Crítica ao livro: “O Príncipe do méxico”.

O livro “Príncipe do méxico”, de Federica de Cesco, conta a história de amor de dois príncipes adolescentes que viveram no tempo do Império Asteca.

Tive acesso a este livro nas nesmas circunstâncias em que tive acesso a um outro: A Peúga Mágica”. Lutava contra a inércia numa cama de hospital. Foi num desses dias em que esperava ter alta médica que recebi a visita de uma tia que me ofereceu dois livros. Li primeiro “A Peúga Mágica”, pois, como criança gostava mais de livros com imagens. Daí que pus o livro: “O Príncipe do México”, temporariamente de lado. O tempo foi passando até que num dia de chuva, em que não havia nada para fazer, peguei-lhe e comecei a ler.

“Numa noite do final de janeiro do ano Ce-Acatl...a princesa Tecuichpo...foi arrancada cedo ao sono por um grito agúdo. Soergueu-se nas mãos e o coração deu-lhe um salto no peito. Por instantes pairou um silêncio semelhante a uma rede invisível no escuro. Em seguida, o ruído ecoou novamente: um misterioso soluçar entrecortado”.

“ Arrastara-a por entre os arbustos e afugentara um bando de aves. Tinha arrancado um espinho de uma árvore e, ante a nervosa jovenzinha, espetara-o fundo no braço. Em seguida, pegara no pulso frágil da companheira e fizera o mesmo. Apertara as duas feridas uma de enconrtro à outra, misturando os sangues”.

“ao chegar diante do trono imperial, ajoelhou-se e ergueu as mãos com um gesto implorativo”.
“...-Mas que filha é que atira a honra do pai para a lama e lhe cobre no nome de vergonha e opróbrio?”

“Quando Guatemoc mandou destruir o aqueduto...a situação dos espanhois e dos tlaxcaltecas, que a eles se tinham aliado, tornou-se crítica.

“ Guatemoc ficou só. Subitamente, ouviu um ligeiro ruído nas suas costas.Uma mão pousou-lhe no ombro...Mantiveram-se, muito juntos, esgotados e vencidos, mas de cabeças erguidas, enquanto a cidade destruída pelas chamas lançava reflexos de sangue sobre as águas cobertas de destroços.

Confesso que não foi uma leitura fácil, mas não conseguia parar de ler. Era como se a história me hipnotizasse. As palavras a traíam-me de uma tal forma que só descansei quando cheguei ao fim do livro. Quando olhei lá para fora, tinha parado de chover.


Jovita Capitão

Título: Crítica ao livro: “O Príncipe do méxico”.

Autor: Jovita Capitão (todos os textos)

Visitas: 0

603 

Comentários - Crítica ao livro: “O Príncipe do méxico”.

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os primeiros brinquedos

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Brinquedos
Os primeiros brinquedos\"Rua
O brinquedo é mais do que um objecto para a criança se divertir e distrair, é também uma forma de conhecer o mundo que tem ao seu redor e para dar asas à sua imaginação. Desta forma, os brinquedos sempre estiveram presentes na sociedade.

Os primeiros brinquedos datam de 6500 anos atrás, no Japão, em que as crianças brincavam com bolas de fibra de bambu. Entretanto há 3000 anos surgiram os piões feitos de argila e decorados, na Babilónia.

No século XIII apareceram os soldadinhos de chumbo, porém só eram acessíveis às famílias nobres. Cinco séculos mais tarde, apareceram as caixas de música, criadas por relojoeiros suíços.

As bonecas são muito antigas, surgiram enquanto figuras adoradas como deusas, há 40 mil anos, mas a primeira fábrica abriu apenas em 1413 na Alemanha. Barbie, a boneca mais famosa do mundo, foi criada em 1959, mas ainda hoje é das mais apetecíveis pelas crianças.

O grande boom dos brinquedos aconteceu quando se descobriu o plástico para o fabrico. Mesmo assim, muitas famílias não podiam comprar brinquedos aos filhos, como tal, estes utilizavam diversos tipos de materiais e construíam os seus próprios brinquedos.

Actualmente, as crianças têm acesso a uma enorme variedade de brinquedos, desde bonecas, a carros telecomandados, a videojogos… Educativos ou apenas lúdicos, há de tudo e para todos os gostos e preços.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Os primeiros brinquedos

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • umdolitoys 23-01-2013 às 05:46:38

    Adorei a reportagem! e tenho algo para vocês verem!!

    Espero que gostem!!!

    ¬ Responder
  • sofia 22-07-2012 às 21:56:29

    Achei muito interecante e muito legal saber que ano foi fabricadoas bonecas

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios