Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > SER MISERÁVEL

SER MISERÁVEL

Categoria: Literatura
Visitas: 122
SER MISERÁVEL

Ser miserável é viver sob a ponte,
Não ter água da fonte,
Não comer, não beber e quase não viver.

Ser miserável é não poder ter prazer,
Não ter livros pra ler,
Não ter caminhos a percorrer.

Ser miserável é viver isolado,
Como um doente terminal,
Consciente do seu final.

Ser miserável é ter o passado negado,
Ter uma vida restrita,
Na calçada em que habita.

Ser miserável é estar desprotegido,
A mercê dos perigos,
Aguardando o ocorrido.

Ser miserável é esquecer a limpeza,
Conhecer os odores humanos,
Ter pensamentos insanos.

Ser miserável é viver na pobreza,
Ter a certeza que ninguém te vê,
E não quer estar com você.

Ser miserável é acordar todo dia,
Sem pensar no amanhã,
Acreditando que será melhor.

Ser miserável é nos dias frios,
Conseguir um jornal,
E por isso se achar o tal.

Ser miserável é olhar para o lado,
Se sentir retratado,
E não ficar zangado.

Ser miserável pode trazer muitas coisas,
Garra para a sobrevivência,
Esperança no futuro.

Ser miserável é não ter escolhas,
Saber que a vida não é boa,
E mesmo assim insistir.

Ser miserável por consequência,
É diferente de ser um miserável por opção.

Ser miserável é olhar o mendigo dormindo,
Atear fogo em seu corpo,
E achar bom ele estar morto.

Ser miserável é discutir com um velhinho,
E só por discordar do que ele tem a falar,
Espancar seu corpo até matar.

Ser miserável é violar uma flor,
E durante seus gritos de dor,
Conseguir imaginar que aquilo é amor.

Ser miserável é atirar num estranho,
Podando seus sonhos,
E não se sentir medonho.

Ser miserável é em nome do dinheiro,
Prejudicar o mundo inteiro,
E se achar um grande investidor.

Ser miserável é não ajudar um miserável,
É não dividir a comida,
E apesar de bem vestida,
Ser mais pobre que o miserável.

Ser miserável e não respeitar o direito do outro,
Sempre achar que o seu livro é sagrado,
E o do outro é descartável.
Ser miserável é gritar suas verdades,
Ignorando as maldades,
Que diz acreditar.

Ser miserável é ver o sofrimento do outro,
E se ele fizer parte do seu rol de inimigos,
Desejar que tivesse um fim preciso.

Ser miserável é achar o outro diferente,
Sem perceber que a desigualdade,
Reside apenas na sua mente.

Ser miserável é viver na miséria,
Miséria da fome,
Miséria da alma,
Miséria de amor,
Miséria de valores.

Quando o ser conseguir vencer seu lado miserável por opção,
E ajudar o miserável por consequência,
Poderá eliminar da existência toda a miséria dos miseráveis.

E como em um passe de mágica nos tornaremos seres mais humanos.


Maria Cecilia Barbosa de Oliveira

Título: SER MISERÁVEL

Autor: Maria Cecilia Oliveira (todos os textos)

Visitas: 122

8 

Comentários - SER MISERÁVEL

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Fine and Mellow

Ler próximo texto...

Tema: Música
Fine and Mellow\"Rua
"O amor é como uma torneira
Que você abre e fecha
Às vezes quando você pensa que ela está aberta, querido
Ela se fechou e se foi"
(Fine and Melow by Billie Holiday)

Ao assistir a Bio de Billie Holiday, ocorreu-me a questão Bluesingers x feminismo, pois quem ouve Blues, especialmente as mais antigas, as damas dos anos 10, 20, 30, 40, 50, há de pensar que eram mulheres submissas ao machismo e maldade de seus homens. Mas, as cantoras de Blues, eram mulheres extremamente independentes; embora cantassem seus problemas, elas não eram submissas a ponto de serem ultrajadas, espancadas... Eram submissas, sim, ao amor, ao bom trato... Essas mulheres, durante muito tempo, tiveram de se virar sozinhas e sempre que era necessário, ficavam sós ou mudavam de parceiros ou assumiam sua bissexualidade ou homossexualidade efetiva. Estas senhoras, muitas trabalharam como prostitutas, eram viciadas em drogas ou viviam boa parte entregues ao álcool, merecem todo nosso respeito. Além de serem precursoras do feminismo, pois romperam barreiras em tempos bem difíceis, amargavam sua solidão motivadas pelo preconceito em relação a cor de sua pele, como aconteceu a Lady Day quê, quando tocava com Artie Shaw, teve que esperar muitas vezes dentro do ônibus, enquanto uma cantora branca cantava os arranjos que haviam sido feitos especialmente para ela, Bilie Holiday. Foram humilhadas, mas, nunca servis; lutaram com garra e competência, eram mulheres de fibra e cheias de muito amor. Ouvir Billie cantar Strange Fruit, uma das primeiras canções de protestos, sem medo, apenas com dor na alma, é demais para quem tem sentimentos. O brilho nos olhos de Billie, fosse quando cantava sobre dor de amor ou sobre dor da dor, é insubstituível. Viva elas, nossas Divas do Blues, viva Billie Holiday, aquela que quando canta parte o coração da gente; linda, magnifica, incomparável, Lady Day.

O amor vai fazer você beber e cair
Vai fazer você ficar a noite toda se repetindo

O amor vai fazer você fazer coisas
Que você sabe que são erradas

Mas, se você me tratar bem, querido
Eu estarei em casa todos os dias

Mas, se você continuar a ser tão mau pra mim, querido
Eu sei que você vai acabar comigo

Pesquisar mais textos:

Sayonara Melo

Título:Fine and Mellow

Autor:Sayonara Melo(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios