Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > Sinto Muito – Ler para Muito Sentir

Sinto Muito – Ler para Muito Sentir

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Literatura
Comentários: 1
Sinto Muito – Ler para Muito Sentir

Podem falar-se de todos os livros do mundo. De todas as fábulas, histórias de encantar, de romances que nos fazem apaixonar. Podem falar-se de obras literárias, de livros com descrições soberbas e paisagens que imaginamos de forma inconsciente e imediata.

Podem falar-se de todos os livros no mundo, mas se quer ler sobre sentimentos, não pode deixar de ler o livro de que lhe vou falar.

“Sinto Muito” de Nuno Lobo Antunes.

O nome é capaz de lhe soar a familiar, e é obrigatório dizer que a escrita está no sangue deste autor, pois é irmão de António Lobo Antunes. Apesar de irmãos, a escrita é totalmente diferente. Nuno Lobo Antunes, fala-nos neste “Sinto Muito”, a sua própria vida e o que encara e enfrenta com bravura todos os seus dias.

O autor é neuro-oncologista pediátrico e escreve sobre o seu mais profundo sentimento.
“Sinto Muito” choca-nos para uma realidade absoluta, de crianças que sofrem de cancro neurológico e cuja sina está bem vincada no rosto. O sofrimento das mães e o seu acreditar constante e infindável de que vai existir uma cura. Afinal, ama tanto o seu pequeno que nada de mal lhe acontecerá. Pergunta-se inclusive o autor a determinada altura, se não pensarão aquelas mães que possam não ter amado o suficiente.

Se com os sentimentos destas mães nos sentimos a sobressaltar, vamos com este livro perceber que também os médicos sofrem. No seu silêncio em que não lhes é politicamente correto demonstrar. Deontologicamente são ensinados que a ligação com o doente pode causar marcas profundas, mas torna-se inevitável. São humanos e Deus sabe como sentem.

Porque um médico não esquece, e se ao longo da sua carreira marcou a vida de alguém, muitos são aqueles que marcam a vida de um médico. Um olhar, um pedido, uma simples palavra, um ai… e um médico, nunca mais se esquece.

Único, o autor desabafa sentimentos e soluços quando no seu dia a dia salva e lamenta a vida de outros. De tantos outros.

A não perder:

“Há no médico o desejo de ser santo, de ser maior. Mas na sua memória transporta, como um fardo, olhares, sons, cheiros e tudo o que o lembra de ser menor e imperfeito.

Este é um livro de confissões. Uma peregrinação interior em que a bailarina torce o pé, o saltador derruba a barra, o arquiteto se senta debaixo da abobada, e no fim, ela desaba.

O médico e o seu doente são um só, face dupla da mesma moeda.

O médico provoca o Criador, não lhe vai na finta, evita o engodo. Mas no cais despede-se, e pede perdão por não ter sido parceiro para tal desafio.” O autor

Enfim, extraordinário. Sinto muito se ainda não o leu!


Carla Horta

Título: Sinto Muito – Ler para Muito Sentir

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 0

637 

Imagem por: stephmcg

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoDaniela Vicente

    10-09-2012 às 15:24:40

    Não conhecia este livro, mas parece um óptimo livro. Eu nunca fui muito adepta deste tipo de livros, prefiro os romances históricos, mas se me dessem este livro para ler, não recusava com toda a certeza. O seu texto conta com grande humanidade um livro que retrata o cancro na cara de crianças e pais. É preciso grande sensibilidade para abordar um tema destes. O realce dos médicos é adequado neste caso de doenças prolongadas.

    ¬ Responder

Comentários - Sinto Muito – Ler para Muito Sentir

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Fine and Mellow

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Música
Fine and Mellow\"Rua
"O amor é como uma torneira
Que você abre e fecha
Às vezes quando você pensa que ela está aberta, querido
Ela se fechou e se foi"
(Fine and Melow by Billie Holiday)

Ao assistir a Bio de Billie Holiday, ocorreu-me a questão Bluesingers x feminismo, pois quem ouve Blues, especialmente as mais antigas, as damas dos anos 10, 20, 30, 40, 50, há de pensar que eram mulheres submissas ao machismo e maldade de seus homens. Mas, as cantoras de Blues, eram mulheres extremamente independentes; embora cantassem seus problemas, elas não eram submissas a ponto de serem ultrajadas, espancadas... Eram submissas, sim, ao amor, ao bom trato... Essas mulheres, durante muito tempo, tiveram de se virar sozinhas e sempre que era necessário, ficavam sós ou mudavam de parceiros ou assumiam sua bissexualidade ou homossexualidade efetiva. Estas senhoras, muitas trabalharam como prostitutas, eram viciadas em drogas ou viviam boa parte entregues ao álcool, merecem todo nosso respeito. Além de serem precursoras do feminismo, pois romperam barreiras em tempos bem difíceis, amargavam sua solidão motivadas pelo preconceito em relação a cor de sua pele, como aconteceu a Lady Day quê, quando tocava com Artie Shaw, teve que esperar muitas vezes dentro do ônibus, enquanto uma cantora branca cantava os arranjos que haviam sido feitos especialmente para ela, Bilie Holiday. Foram humilhadas, mas, nunca servis; lutaram com garra e competência, eram mulheres de fibra e cheias de muito amor. Ouvir Billie cantar Strange Fruit, uma das primeiras canções de protestos, sem medo, apenas com dor na alma, é demais para quem tem sentimentos. O brilho nos olhos de Billie, fosse quando cantava sobre dor de amor ou sobre dor da dor, é insubstituível. Viva elas, nossas Divas do Blues, viva Billie Holiday, aquela que quando canta parte o coração da gente; linda, magnifica, incomparável, Lady Day.

O amor vai fazer você beber e cair
Vai fazer você ficar a noite toda se repetindo

O amor vai fazer você fazer coisas
Que você sabe que são erradas

Mas, se você me tratar bem, querido
Eu estarei em casa todos os dias

Mas, se você continuar a ser tão mau pra mim, querido
Eu sei que você vai acabar comigo

Pesquisar mais textos:

Sayonara Melo

Título:Fine and Mellow

Autor:Sayonara Melo(todos os textos)

Imagem por: stephmcg

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios