Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > Como Foi O Barroco Em Portugal?

Como Foi O Barroco Em Portugal?

Categoria: Literatura
Visitas: 2
Como Foi O Barroco Em Portugal?

Em termos didáticos, o Barroco português vai de 1580 a 1756. O ano de 1580 é significativo em dois aspectos: assinala a morte de Camões, o maior nome do Classicismo português, e marca o fim da autonomia política de Portugal, pois, com a morte de D. Sebastião, em 1578, o rei Filipe II, da Espanha, ganha o direito de subir ao trono português.

Portugal passa a fazer parte do reino espanhol. Com a transferência do centro político para Madrid, Portugal perde também seu foco cultural. Em todo o século XVII, a influência espanhola será marcante na cultura portuguesa.

Em 1640, Portugal consegue libertar-se do domínio espanhol, e D. João IV, da dinastia de Bragança, é coroado rei. Porém, até 1668 o reino português ainda teria de sustentar muitas lutas, não só contra os espanhóis, para defender seu território, como também contra os holandeses, para recuperar as colônias da África Ocidental e parte do Brasil.

A fundação da Arcádia Lusitana, em 1756, marca simbolicamente o fim do Barroco e o início do Arcadismo. Nessa altura, Portugal já vivia as transformações sociais e culturais provocadas pela ação vigorosa do marquês de Pombal, ministro do rei D. José I, que subiu ao poder em 1750.

O padre Antônio Vieira é o principal autor do Barroco em Portugal. Como ele passou a maior parte de sua vida no Brasil, ele é considerado também um grande precursor do Barroco no Brasil.

Ele escreveu muitos sermões, dentre os quais se destacam: Sermão da Sexagésima, em que discorre sobre a arte de pregar; Sermão de Santo Antônio aos peixes, em que trata da escravidão do indígena; Sermão do mandato, em que fala do amor místico de Cristo; Sermão pelo bom sucesso das armas de Portugal contra as de Holanda, que proferiu por ocasião do cerco dos holandeses à cidade da Bahia.

Ainda há poesias religiosas?

Embora a época do Barroco tenha passado, a produção de poesias religiosas não parou. Mesmo poetas contemporâneos têm escrito sobre os dilemas do ser humano quanto à existência ou não de Deus, quanto ao destino do homem depois da morte etc.

Mudou o modo de ver a questão, mas o problema em si não foi resolvido e ainda angustia muitos poetas.


Adriana Santos

Título: Como Foi O Barroco Em Portugal?

Autor: Adriana Santos (todos os textos)

Visitas: 2

0 

Comentários - Como Foi O Barroco Em Portugal?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O meu instrumento musical avariou!

Ler próximo texto...

Tema: Instrumentos Musicais
O meu instrumento musical avariou!\"Rua
É inevitável que, mais cedo ou mais tarde, um instrumento musical precise de reparação.

Mesmo que conheçamos bem o nosso instrumento e o consigamos arranjar, na maioria das vezes é necessário um técnico para o fazer com a melhor das qualidades.

Eventualmente, nem será necessário existir um problema com o instrumento, poderá ser apenas uma questão de manutenção. 

No caso de uma guitarra, por exemplo, qualquer instrumentista é perfeitamente capaz de substituir uma corda partida e tirar da guitarra o mesmo som que ela tinha.

No entanto, existem reparações, seja uma amolgadela no tampo ou uma tarraxa arrancada, que convêm ser feitas por técnicos especializados.

Por norma, as próprias casas que vendem instrumentos musicais efectuam essas reparações ou são capazes de aconselhar técnicos para as fazer.

Mediante o instrumento musical em questão, a reparação ou manutenção poderá ser mais cara. É sempre mais fácil arranjar um técnico que repare um piano do que um que arranje oboés.

Apesar de ser normal cuidar do nosso instrumento musical regularmente, os percalços acontecem todos os dias. Para os contornar, há sempre alguém que nos poderá aconselhar melhor do que nós próprios.

Apesar de poder sair mais caro, temos também a certeza de que o nosso instrumento foi arranjado por especialistas no assunto.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:O meu instrumento musical avariou!

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • luiz fabiano 18-02-2012 às 15:48:28

    boa tarde amigos preciso de um cabo flex da lcd da camera g70 se aulguem tiver mande um email obrigado

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios